🎓 Aprenda Lojban

Como usar este curso:

  1. leia-o
  2. colete seus comentários e sugestões
  3. envie-os para 💬 o chat ao vivo

Lição 1. A língua em um relance

Alfabeto

A coisa básica que você precisa saber sobre Lojban é o alfabeto.

Lojban usa o alfabeto latino (as vogais estão coloridas):

a b c d e f g i j k l m n o p r s t u v x y z ' .

As palavras são pronunciadas como são escritas.

Existem 10 vogais em Lojban:

a como em gato.
e como em geto.
i como em miquina.
o como em olho.
u como em lúcido.
yNo sotaque paulistano e sulista o a em cama, mama, fã e hortelã (não nazalizam o "a"), é próximo de y em Lojban. Em português europeu é e em pergunta.

4 vogais são escritas usando combinações de letras:

au como em mau
ai como em pai
ei como em leite
oi como em dois

Quanto às consoantes, elas são pronunciadas como em inglês ou latim, mas há várias diferenças:

c é pronunciado como ch em chave.
g como g como em fogo.
j como g em gente.
x como ch em escocês loch ou como em alemão Bach, como J em espanhol Jose ou Kh em árabe moderno Khaled. Tente pronunciar ksss mantendo a língua abaixada e você obterá esse som.
' como o h em inglês. Portanto, o apóstrofo é considerado uma letra própria do Lojban e pronunciado como um h. Ele só é encontrado entre vogais. Por exemplo, u'i é pronunciado como oo-hee (enquanto ui é pronunciado como wee).
. um ponto final (ponto, pausa entre palavras) também é considerado uma letra no Lojban. É uma pausa curta na fala para evitar que as palavras se fundam umas nas outras. Na verdade, qualquer palavra que comece com uma vogal tem um ponto final colocado na frente dela. Isso ajuda a evitar a fusão indesejada de duas palavras sequenciais em uma só.
i i antes de vogais é considerado uma consoante e pronunciado mais curto, por exemplo:
  • ia é pronunciado como ia em saia
  • ie é pronunciado como ye em yeti
u u antes de vogais é considerado uma consoante e pronunciado mais curto, por exemplo:
  • ua é pronunciado como em quão
  • ue é pronunciado como ue em frequente

O estresse é colocado na segunda vogal a partir do final. Se uma palavra tiver apenas uma vogal, você simplesmente não a estressa.

A letra r pode ser pronunciada como o r em inglês, escocês, russo, então há uma variedade de pronúncias aceitáveis para ela.

Vogais não-lojban como o i curto e o u em inglês britânico padrão em hit e but, são usadas por algumas pessoas para separar consoantes. Portanto, se você tiver dificuldade em pronunciar duas consoantes seguidas (por exemplo, o vl em tavla, que significa falar com), então você pode dizer tavɪla — onde o ɪ é muito curto. No entanto, outras vogais como a e u devem ser longas.

A frase mais simples

A unidade básica em Lojban é a "frase". Aqui estão três exemplos simples:

le prenu cu tavla mi A pessoa fala comigo.

le prenu
a pessoa
tavla
... fala com ..., ... conversa com ...
mi
eu, me

mi prami do Eu te amo.

prami
... ama ... (alguém)
do
você

mi ca cu tavla do Eu agora falo com você.

ca
agora

le prenu cu tavla mi
A pessoa fala comigo.

mi
Eu / me

mi prami do
Eu te amo.

do
você

Cada frase em Lojban consiste nas seguintes partes da esquerda para a direita:

  • a cabeça:
    • consiste em chamadas "termos",
      • le prenu é o único termo da cabeça no exemplo le prenu cu tavla mi acima,
      • mi, ca são termos da cabeça no exemplo mi ca cu tavla do acima.
  • o separador da cabeça cu:
    • pronunciado como chu em chuva já que c é para ch,
    • indica que a cabeça terminou,
    • pode ser omitido quando está claro que a cabeça está completa.
  • a cauda:
    • a construção principal de relação (chamada "selbrisni" em Lojban)
    • + possivelmente um ou mais termos depois dela,
      • tavla, prami são selbrisni, construções principais de relação nos exemplos acima.
      • mi é o único termo da cauda no exemplo le prenu cu tavla mi acima.
      • do é o único termo da cauda no exemplo mi prami do acima.
frase
termos da cabeça
mi
ca
cu
caudo
termos da cauda
do
tavla

Em Lojban, nós geralmente falamos de relações em vez de substantivos ou verbos.

Aqui estão as duas palavras de relação, que correspondem aproximadamente a verbos:

prenu
... é uma pessoa / são pessoas
tavla
... fala com ...

Cada relação tem um ou mais papéis que também podem ser chamados de "espaços" ou "lugares". Acima, eles são rotulados com "..." Esses espaços devem ser preenchidos com argumentos (chamados de "sumti" em Lojban). Os termos de argumento são construções como le prenu, mi, do, não importa se esses termos acabam sendo na cabeça ou na cauda de uma frase. Colocamos os termos de argumento em ordem, preenchendo assim esses espaços e dando um significado concreto à relação.

lista de termos-argumentos
relação
mi
do
prami

Também podemos transformar essa relação em um termo-argumento.

Para isso, colocamos uma palavra curta le na frente dela:

prenu
... é uma pessoa
le prenu
a pessoa, as pessoas

Da mesma forma,

tavla
... fala com ...

e assim

le tavla
o falante, os falantes

Pode parecer estranho como pessoa pode ser um "verbo", mas na verdade, isso torna o Lojban muito simples:

palavra de relação com espaços não preenchidosforma de argumento (sumti)
prenu... (alguém) é uma pessoa le prenua pessoa / as pessoas
le prenuaquele que é uma pessoa / aqueles que são pessoas
tavla... (alguém) fala com ... (alguém) le tavlao falante / os falantes
le tavlaaquele que é um falante / aqueles que são falantes

O primeiro espaço das relações desaparece ao usar le, portanto, traduções alternativas como aquele que ... são possíveis.

Observe que o Lojban, por padrão, não especifica o número entre o falante ou os falantes. Ou seja, le tavla é vago nesse aspecto, e em breve descobriremos maneiras de definir o número.

Além dos termos de argumento, existem termos modais como ca:

mi ca cu tavla do Eu agora falo com você.

ca
agora

Os termos modais não preenchem espaços na estrutura principal da relação ("selbrisni"). Em vez disso, eles são aplicados a toda a frase, enriquecendo ou limitando seu significado.

Assim, os termos em Lojban são representados por:

  • termos de argumento que preenchem espaços nas relações. Exemplos são:
    • substantivos como le prenu (a pessoa)
    • pronomes como mi (eu, me), do (você). Os pronomes funcionam exatamente como substantivos, mas le não é usado para eles. Eles funcionam como argumentos por si mesmos.
  • termos modais que não preenchem espaços nas relações, mas especificam informações adicionais e esclarecedoras.
    • por exemplo, ca (agora, no presente).

Alguns exemplos adicionais:

mi nintadni
Eu sou um estudante novo, um calouro.

mi nintadni Eu sou um estudante novo.

nintadni
… (alguém) é um estudante novo, um novato

Ao contrário do português, não precisamos adicionar o verbo "ser/estar" à frase em Lojban. Isso já está implícito. A palavra de relação nintadni (… é um estudante novo) já possui o "ser/estar" em sua tradução para o português.

do jimpe Você entende.

jimpe
… (alguém) entende … (algo)

le prenu cu pilno le fonxa
A pessoa usa o telefone.

mi pilno le fonxa Eu uso o telefone.

pilno
… (alguém) usa … (algo)
fonxa
… é um telefone, … são telefones
le fonxa
o telefone, os telefones

mi citka
Eu como.

mi citka Eu como.

citka
… (alguém) come … (algo)

do citka Você come.

mi citka le plise Eu como as maçãs.

le plise cu kukte
As maçãs são saborosas.

le plise cu kukte As maçãs são saborosas.

le plise
as maçãs
kukte
… (algo) é saboroso

Uma frase mais simples em Lojban conteria apenas uma palavra principal de relação:

karce
É um carro.

karce Carro! É um carro.

Você poderia dizer isso quando vê um carro se aproximando. Aqui, o contexto seria claro o suficiente de que há um carro em algum lugar e provavelmente é perigoso.

karce em si é uma palavra de relação que significa é um carro.

Podemos, é claro, ser mais precisos e dizer, por exemplo:

bolci Bola! É uma bola.

onde bolci é uma palavra de relação que significa é uma bola.

ti bolci Esta é uma bola perto de mim.

ta bolci Esta é uma bola perto de você.

ti
pronome: essa coisa perto de mim
ta
pronome: isto/aquilo perto de você
tu
pronome: aquele longe de você e de mim

ti
este (perto de mim, o falante)
ta
esse (perto de você, o ouvinte)
tu
aquele ali (longe de você e de mim)

Da mesma forma, você pode dizer

carvi
… está chovendo

carvi Está chovendo.

onde

carvi
… é uma chuva, … está chovendo

ou

pluka É agradável.

onde

pluka
… é agradável

Observe que em Lojban não há necessidade da palavra it nesse sentido. Você simplesmente usa a palavra de relação que precisa.

prami Alguém ama.

le prenu cu bajra
A pessoa corre.

bajra Alguém corre.

bajra
… corre usando membros

Novamente, o contexto provavelmente diria quem ama quem e quem corre.

Tarefa

le prenu cu pinxe le djacu
A pessoa bebe a água.

pinxe
… bebe … (algo)
le djacu
a água

Feche a parte direita da tabela. Traduza as frases à esquerda do Lojban.

do citka Você come.
mi pinxe le djacu Eu bebo água.
mi citka le plise Eu como maçãs.

«.i» separa as frases

Colocamos a palavra curta .i para separar duas frases consecutivas:

mi tavla le prenu .i le prenu cu tavla mi Estou conversando com as pessoas. As pessoas estão conversando comigo.

.i separa as frases, assim como o ponto final no final das frases em textos em português.

Ao falar uma frase após a outra em português, fazemos uma pausa (que pode ser curta) entre elas. Mas a pausa tem muitos significados diferentes em português. No Lojban, temos uma maneira melhor de entender onde uma frase termina e outra começa.

Também observe que, às vezes, ao pronunciar palavras rapidamente, você não consegue identificar onde uma frase termina e a palavra da próxima frase começa. Portanto, é aconselhável usar a palavra .i antes de começar uma nova frase.

Números: ‘1 2 3 4 5 6 7 8 9 0’ = «pa re ci vo mu xa ze bi so no»

le simplesmente transforma uma construção de relação em um argumento, mas esse argumento não tem número associado a ele. A frase

le prenu cu tavla mi As pessoas falam comigo.

não especifica o número de pessoas falando comigo. Em português, é impossível omitir o número porque pessoas em português implica mais de uma pessoa. No entanto, em Lojban, você pode omitir o número.

Agora vamos especificar quantas das pessoas são relevantes para nossa discussão.

Vamos adicionar um número após le.

pa re ci vo mu xa ze bi so no
1 2 3 4 5 6 7 8 9 0

le ci prenu
As três pessoas

le pa prenu cu tavla mi A pessoa fala comigo.

Adicionamos um número após le e assim especificamos pessoas individuais.

Para números compostos por vários dígitos, apenas juntamos esses dígitos:

le re mu prenu cu tavla mi As 25 pessoas falam comigo.

Sim, é tão simples assim.

Se quisermos contar, podemos separar os números com .i:

mu .i vo .i ci .i re .i pa .i no 5 … 4 … 3 … 2 … 1 … 0

O número za'u significa mais que … (> em matemática), o número me'i significa menos que (< em matemática):

le za'u re prenu cu tavla mi Mais de duas pessoas falam comigo.

le me'i pa no prenu cu tavla mi Menos de 10 pessoas falam comigo.

le za'u ci prenu cu tavla mi Mais de três pessoas falam comigo.

Para dizer apenas pessoas (número plural) em oposição a uma pessoa, usamos za'u pa, mais de uma ou simplesmente za'u.

le za'u pa prenu cu tavla mi le za'u prenu cu tavla mi As pessoas falam comigo.

za'u por padrão significa za'u pa, portanto, essa contração é possível.

le prenu
a pessoa / as pessoas
le pa prenu
a pessoa (singular)
le za'u prenu
as pessoas (duas ou mais)

Tarefa

stati
… (alguém) é inteligente, … tem um talento

stati
… tem um talento

klama
… vem para … (algum lugar ou objeto)

le prenu cu klama ti
A pessoa veio aqui.

nelci
… gosta de (algo)
le zarci
o mercado

le prenu cu zvati le zarci
A pessoa está na loja.

le najnimre
a laranja (fruta), as laranjas

najnimre
… é uma laranja

le badna
a banana, as bananas

badna
… é uma banana

Feche a parte direita da tabela. Traduza as frases à esquerda do Lojban.

le mu prenu cu klama le zarciAs cinco pessoas vão ao mercado.
le pa re prenu cu stati .i do statiAs 12 pessoas são inteligentes. Você é inteligente.
le prenu cu nelci le pliseAs pessoas gostam das maçãs.
le za'u re prenu cu citka .i le me'i mu prenu cu pinxe le djacuMais de duas pessoas comem. Menos de 5 pessoas bebem a água.
le za'u re prenu cu statiMais de duas pessoas são inteligentes.
As 256 pessoas são inteligentes.le re mu prenu cu esperta
Menos de 12 maçãs são saborosas.le me'i pa re macã cu gostosa

Relação composta

A construção de relação composta (tanru em Lojban) consiste em várias palavras de relação colocadas uma após a outra.

tu melbi zdani Aquele ali é uma casa bonita.

melbi zdani
... é uma casa bonita

tu
aquele ali (longe de você e de mim)
melbi
... é bonito, agradável
zdani
... é uma casa ou ninho para ... (alguém)
melbi zdani
construção de relação composta: ... é uma casa bonita para ... (alguém)

le prenu cu melbi dansu
A pessoa dança lindamente.

do melbi dansu Você dança lindamente.

dansu
... dança

Aqui, a relação melbi adiciona um significado adicional, pois é colocada à esquerda de outra relação: zdani. O componente esquerdo geralmente é traduzido usando adjetivos e advérbios.

Relações compostas são um recurso poderoso que produz significados mais ricos. Basta juntar duas palavras de relação e o componente esquerdo dessa relação composta adiciona um toque ao componente direito.

Podemos colocar le (por exemplo, com um número) à esquerda de tal relação composta para obter um termo de argumento mais rico:

le pa melbi zdani
a casa bonita

Agora você sabe por que havia cu após os termos principais em nosso exemplo:

le pa prenu cu tavla mi A pessoa fala comigo.

Sem cu, se tornaria le pa prenu tavla, o que teria o significado de a pessoa-falante - seja lá o que isso possa significar.

Considere:

le pa tavla pendo O amigo falante

le pa tavla cu pendo Aquele que fala é um amigo.

Lembre-se de colocar cu antes da construção de relação principal em uma frase para evitar a criação acidental de relações compostas.

As relações compostas podem conter mais de dois componentes. Nesse caso, a primeira relação modifica a segunda, a segunda modifica a terceira e assim por diante:

ti cmalu karce
Este é um carro pequeno.

le pa melbi cmalu karce o carro bonito-pequeno, o carro pequeno de uma maneira bonita

le mutce melbi zdani a casa muito bonita

mutce
... é muito, ... é muito

Tarefa

sutra
... é rápido
barda
... é grande
cmalu
... é pequeno
mlatu
... é um gato

Feche a parte direita da tabela. Traduza as frases à esquerda do Lojban.

le melbi karce o carro bonito / os carros bonitos
do sutra klama Você vem rapidamente. Você vem rápido.
tu barda zdani Aquilo é uma casa grande.
le pa sutra bajra mlatu o gato correndo rapidamente
le pa sutra mlatu o gato rápido
le pa bajra mlatu o gato correndo

Feche a parte direita da tabela. Traduza as frases à esquerda para Lojban.

Este é um carro pequeno. ti cmalu karce
maçãs saborosas le kukte plise
os comedores rápidos le sutra citka
Você é uma pessoa que anda rapidamente. do sutra cadzu prenu

Perguntas de 'Sim/Não'

Para transformar qualquer afirmação em uma pergunta de 'sim/não', simplesmente inserimos a palavra xu em algum lugar da frase, por exemplo, no início:

xu do nelci le gerku Você gosta dos cachorros?

le gerku
o cachorro, os cachorros

ti prenu .i ti gerku
Esta é uma pessoa. Este é um cachorro.

Lembre-se de que, em Lojban, a pontuação como "?" (ponto de interrogação) é principalmente opcional e usada principalmente por motivos estilísticos. Isso ocorre porque a palavra interrogativa xu já indica que é uma pergunta.

Outros exemplos:

xu mi klama Eu estou indo?

klama
... vai para ... (em algum lugar)

xu pelxu Isso é amarelo?

pelxu
... é amarelo

Podemos alterar o significado colocando xu após diferentes partes da relação. Explicações sobre o que mudou no significado são fornecidas entre colchetes:

xu do nelci le gerku Você gosta dos cachorros?

do xu nelci le gerku VOCÊ gosta dos cachorros? (Eu pensei que era outra pessoa que gostava deles).

do nelci xu le gerku Você GOSTA dos cachorros? (Eu pensei que você fosse apenas neutro em relação a eles).

do nelci le xu gerku Você gosta dos CACHORROS? (Eu pensei que você gostasse dos gatos).

do nelci le gerku xu Você gosta daquelas coisas, são cachorros? (Você apenas questiona a validade da relação gerku).

O que é expresso por entonação em português é expresso movendo xu após a parte que queremos enfatizar em Lojban. Observe que a primeira frase com xu no início faz a pergunta mais genérica sem enfatizar nenhum aspecto específico.

xu é uma palavra interjeição. Aqui estão as características das interjeições em Lojban:

  • A interjeição modifica a construção antes dela:

do xu nelci le gerku VOCÊ gosta dos cachorros?

  • Quando colocada no início de uma relação, a interjeição modifica toda a relação:

xu do nelci le gerku Você gosta dos cachorros?

  • As interjeições podem ser colocadas após diferentes partes da mesma relação para alterar o significado.

do nelci le gerku xu Você gosta daqueles objetos, são cachorros?

Aqui, apenas a relação gerku (não o argumento le gerku) é modificada pela palavra interrogativa xu. Portanto, aqui nos perguntamos apenas sobre essa relação. Afirmamos que você gosta desses objetos ou seres vivos e perguntamos se eles são cachorros.

As interjeições não quebram relações compostas, elas podem ser usadas dentro delas:

do nelci le barda xu gerku Você gosta dos cachorros GRANDES?

Agora, como responder a essas perguntas de 'sim/não'? Você repete a construção da relação principal:

— xu le mlatu cu melbi — melbi — Os gatos são bonitos? — Bonitos.

Para responder 'não', usamos o termo modal na ku:

— xu le mlatu cu melbi — na ku melbi — Os gatos são bonitos? — Não bonitos.

na ku
termo: é falso que ...

Ou, podemos usar uma palavra especial de relação go'i:

— xu le mlatu cu melbi — go'i — Os gatos são bonitos? — Bonitos.

go'i
palavra de relação que repete a relação principal da frase anterior

Aqui, go'i significa o mesmo que melbi já que melbi é a relação da relação anterior.

— xu le mlatu cu melbi — na ku go'i — Os gatos são bonitos? — Não bonitos.

O termo modal na ku pode ser usado não apenas em respostas:

na ku mi nelci le gerku É falso que eu gosto dos cachorros. Eu não gosto dos cachorros.

mi na ku nelci do Eu não gosto de você.

Seu oposto, o termo ja'a ku afirma o significado:

mi ja'a ku nelci do Eu gosto de você.

ja'a ku
termo: é verdade que ...

Tarefa

Complete a parte direita da tabela. Traduza as frases da esquerda para o Lojban.

xu le barda zdani cu melbi A casa grande é bonita?
— le prenu cu stati xu
— na ku stati
— As pessoas são inteligentes?
— Não.
do klama le zarci xu Você vai ao mercado?
xu le verba cu prami le mlatu A criança ama os gatos?

Complete a parte direita da tabela. Traduza as frases da esquerda para o Lojban.

O carro é rápido? xu le karce cu sutra
— A laranja é saborosa?
— Sim, é.
— xu le najnimre cu kukte
— kukte
O cachorro te ama? xu le gerku cu prami do

Felicidade e pedidos educados: ‘Yay!’ = «ui», ‘Please!’ = «.e'o»

A interjeição ui expressa a felicidade de quem está falando. É usada da mesma forma que o rosto sorridente ‘:)’ em mensagens, para indicar que você está contente com algo. Embora os emojis possam ser ambíguos, ui tem apenas um significado, o que é útil.

ui do klama Yay, você está vindo!

ui
interjeição: Yay!, interjeição de felicidade

A interjeição .e'o no início de uma frase a transforma em um pedido educado:

.e'o do lebna le fonxa Você poderia pegar o telefone, por favor? Por favor, pegue o telefone.

.e'o
interjeição: por favor (pronunciado como eh-haw com uma pausa curta antes da palavra)
lebna
pegar (algo)

Tarefa

Complete a parte direita da tabela. Traduza as frases da esquerda para o Lojban.

le tcati
o chá

tcati
... é um chá

le ckafi
café

ckafi
... é um café

zgana
observar, assistir (usando qualquer sentido)
le skina
o filme

le prenu cu zgana le skina
A pessoa está assistindo o filme.

kurji
cuidar de (alguém, algo)
ui carvi Yay, está chovendo! Yay, está chovendo!
.e'o do sutra bajra Corra rápido!
.e'o do pinxe le tcati Por favor, beba chá!
.e'o zgana le skina Por favor, assista o filme!

Complete a parte direita da tabela. Traduza as frases da esquerda para o Lojban.

Por favor, seja inteligente! .e'o stati
Por favor, vá para casa! .e'o do klama le zdani
Por favor, beba o café! .e'o do pinxe le ckafi
Yay, estou falando com você! ui mi tavla do
Por favor, cuide da criança. .e'o do kurji le verba

'E' e 'ou'

do nintadni .i je mi nintadni Você é um novato. E eu sou um novato.

do .e mi nintadni Você e eu somos novatos.

do .e mi nintadni
Você e eu somos novos estudantes.

mi tadni .i je mi tavla do Eu estudo. E eu falo com você.

mi tadni gi'e tavla do Eu estudo e falo com você.

.i je
conjunção "e" que combina frases em uma.
.e
conjunção "e" que conecta argumentos.
gi'e
conjunção "e" que conecta caudas de frases.

Podemos combinar duas frases em uma única afirmação usando a conjunção .i je, que significa e:

do nintadni .i je mi nintadni Você é um novato. E eu sou um novato.

Como ambas as frases têm a mesma cauda, podemos usar uma contração: a conjunção .e significa e para argumentos:

do .e mi nintadni Você e eu somos novatos.

do nintadni .i je mi nintadni significa exatamente a mesma coisa que do .e mi nintadni.

Também podemos usar .e para conectar argumentos em outras posições.

Ambas as frases significam a mesma coisa.

mi pinxe le djacu .e le jisra Eu bebo a água e o suco. mi pinxe le djacu .i je mi pinxe le jisra Eu bebo a água, e eu bebo o suco.

le jisra
suco

le prenu cu pinxe le jisra
A pessoa bebe o suco.

Se a cabeça da frase é a mesma, mas as caudas são diferentes, usamos a conjunção gi'e, que significa e para as caudas das frases:

mi tadni .i je mi tavla do mi tadni gi'e tavla do Eu estudo e falo com você.

Ambas as variações significam a mesma coisa; gi'e simplesmente leva a uma realização mais concisa.

Também temos ferramentas para adicionar e para componentes de relações compostas:

le melbi je cmalu zdani cu jibni ti A casa bonita e pequena está perto.

melbi je cmalu zdani
... é uma casa bonita e pequena

jibni
... está perto de ...
ti
esta coisa, este lugar perto de mim

je é uma conjunção em Lojban que significa e em relações compostas.

Sem o je, a frase muda de significado:

le melbi cmalu zdani cu jibni A casa bonita e pequena está perto.

Aqui, melbi modifica cmalu, e melbi cmalu modifica zdani, de acordo com o funcionamento das relações compostas.

Em le melbi je cmalu zdani (a casa bonita e pequena), tanto melbi quanto cmalu modificam zdani diretamente.

Outras conjunções comuns incluem:

le verba cu fengu ja bilma A criança está zangada ou doente (ou talvez zangada e doente)

do .a mi ba vitke le dzena Você ou eu (ou ambos) visitaremos o ancestral.

ja
e/ou

.a = e/ou ao conectar argumentos.

fengu
... está zangado

fengu
... está zangado

bilma
... está doente

le prenu cu bilma
A pessoa está doente

vitke
visitar
dzena
... é um ancestral de ...

dzena
... é um ancestral de ...

le karce cu blabi jo nai grusi O carro é branco ou cinza.

do .o nai mi vitke le laldo Você ou eu visitamos o mais velho.

jo nai
ou ... ou ... mas não ambos
.o nai
ou ... ou ... mas não ambos (ao conectar argumentos)
laldo
... é velho

laldo
… é velho

Observe: é melhor lembrar de jo nai como uma construção única, e o mesmo para .o nai.

mi prami do .i ju do stati Eu te amo. Esteja você inteligente ou não.

le verba cu nelci le plise .u le badna A criança gosta das maçãs, esteja ela gostando ou não das bananas.

ju
esteja ou não ...
.u
esteja ou não ... (ao conectar argumentos)

«joi» é ‘e’ para ações em massa

do joi mi casnu le bangu Você e eu estamos discutindo a língua.

casnu
... discute ...
le bangu
a língua
joi
conjunção e para massas

Se eu disser do .e mi casnu le bangu, pode significar que você discute a língua e eu discuto a língua. Mas não necessariamente significa que estamos na mesma conversa!

Isso pode ser mais visível se expandirmos usando .i je:

do .e mi casnu le bangu do casnu le bangu .i je mi casnu le bangu Você discute a linguagem. E eu discuto a linguagem.

Para enfatizar que você e eu participamos da mesma ação, usamos uma conjunção especial joi que significa e e forma uma "massa":

do joi mi casnu le bangu Você e eu estamos discutindo a linguagem. Você e eu, sendo uma única entidade para este evento, estamos discutindo a linguagem.

O pronome mi'o (você e eu juntos) pode ser expresso como mi joi do, que significa exatamente a mesma coisa (é apenas mais longo). Em Lojban, você pode usar não apenas uma única palavra para nós, mas construções mais precisas como mi joi le pendo (literalmente eu e os amigos).

do joi le pendo joi mi casnu
Você, o amigo e eu estamos em uma discussão.

Tarefa

Complete a parte direita da tabela. Traduza as frases da esquerda do Lojban.

mi nelci le badna .e le plise Gosto das bananas e das maçãs. Gosto das bananas e das maçãs.
do sutra ja stati Você é rápido ou inteligente ou ambos.
le za'u prenu cu casnu le karce .u le gerku As pessoas discutem os carros, quer discutam ou não os cachorros.
mi citka le najnimre .o nai le badna Eu como ou as laranjas ou as bananas.

Complete a parte direita da tabela. Traduza as frases da esquerda para Lojban.

Os amigos e eu gostamos da chuva. le pendo .e mi cu nelci le carvi
Eu ou você vai ao mercado. mi .o nai do klama le zarci
Eu olho para o carro grande e bonito. mi catlu le barda je melbi karce
A criança bebe a água e/ou o suco. le verba cu pinxe le djacu .a le jisra
A criança e o pequeno discutem o carro. le verba joi le pa cmalu cu casnu le karce (observe o uso de joi. o pequeno é apenas le pa cmalu).

Mas...

le najnimre cu barda .i je ku'i le badna cu cmalu As laranjas são grandes. Mas as bananas são pequenas.

ku'i
interjeição: mas, no entanto

Na verdade, em português, mas é o mesmo que e, e adiciona um sabor de contraste.

Em Lojban, usamos apenas a conjunção .i je (ou .e, gi'e, je, dependendo do que estamos conectando) e adicionamos o sabor de contraste com a interjeição ku'i. Isso nos dará o contraste necessário. Como de costume, a interjeição modifica a construção anterior a ela.

Eventos: 'dançar e estar juntos' — «le nu dansu .e le nu kansa»

Alguns espaços de relações esperam um evento:

le cabna cu nicte Agora é noite. No momento, é noite.

cabna
... (evento) está presente com ...; ... (evento) acontece agora
le cabna
o tempo presente, o evento presente
nicte
... (evento) acontece à noite

Mas e se quisermos descrever um evento usando uma frase inteira?

Qualquer frase pode ser transformada em uma construção de relação colocando nu na frente dela:

le nicte cu nu mi viska le lunra A noite é quando eu vejo a Lua. A noite é um evento quando eu vejo a Lua.

le nicte
a noite

le nicte
a noite, as noites
viska
ver (algo)
le lunra
a Lua

Aqui, le nicte é o primeiro argumento da frase e nu mi viska le lunra é a construção de relação principal da frase. No entanto, dentro dessa relação principal, podemos ver outra relação: mi viska le lunra incorporada!

A palavra nu transforma uma frase completa em uma relação que denota um evento (em seu sentido genérico, pode ser um processo, um estado, etc.)

Aqui estão mais alguns exemplos:

nu mi tavla
... é um evento de eu falar
nu do tavla
... é um evento de você falar

Ao adicionar le na frente de nu, criamos um argumento que denota um evento:

pinxe ⇒ le nu pinxe
… bebidas ⇒ a bebida

dansu ⇒ le nu dansu :… danças ⇒ a dança

kansa ⇒ le nu kansa
…está junto com… ⇒ estar junto

klama ⇒ le nu klama :… vem para… ⇒ a vinda

le nu do klama
a vinda de você, você vindo

le nu geralmente corresponde ao sufixo -ção, -são, -mento em português.

Alguns exemplos adicionais com espaços que esperam eventos em vez de entidades comuns:

mi djica le nu do klama ti Eu quero que você venha aqui (para este lugar)

Djica
… quer … (algum evento)

mi gleki le nu do klama Estou feliz porque você está vindo.

gleki
… está feliz com … (algum evento)

gleki
... está feliz com o evento ...

le nu pinxe le jisra cu nabmi mi Beber o suco é um problema para mim.

nabmi
… (evento) é um problema para … (alguém), … (evento) é problemático para … (alguém)

Tarefa

Complete a parte direita da tabela. Traduza as frases da esquerda do Lojban.

pilno
usar (algo)
le skami
o computador
eu gosto de você dançando mi nelci le nu do dansu
você está feliz usando computadores? xu do gleki le nu do pilno le skami
você quer que eu coma a maçã? do djica le nu mi citka le plise xu

Complete a parte direita da tabela. Traduza as frases da esquerda para Lojban.

Vir aqui é um problema. le nu klama ti cu nabmi
Eu quero que você seja feliz. mi djica le nu do gleki

Termos modais. Tempos simples: ‘era’, ‘é’, ‘será’ — «pu», «ca», «ba»

Em Lojban, expressamos o tempo em que algo acontece (gramaticalmente, em português, geralmente chamado de tempo verbal) com termos modais. Já vimos o termo modal ca que significa no presente.

Aqui está uma série de termos relacionados ao tempo que indicam quando algo acontece:

le prenu pu cu tavla mi As pessoas falaram comigo

le prenu ca cu tavla mi As pessoas estão falando comigo (no presente).

le prenu ba cu tavla mi As pessoas vão falar comigo.

Quando colocamos um argumento simples após a partícula relacionada ao tempo, formamos um termo com um significado um pouco diferente:

mi pinxe le djacu ca le nu do klama Eu bebo a água enquanto você está vindo.

A parte ca le nu do klama é um termo longo que significa enquanto você vem / enquanto você está vindo. O le nu do klama é um argumento que significa vinda de você, você vindo.

mi citka ba le nu mi dansu Eu como depois de dançar.

As partículas relacionadas ao tempo são agrupadas em séries de acordo com seu significado para facilitar a memorização e o uso delas.

Palavras para tempos simples:

  • pu significa antes de... (algum evento), pu sozinho denota tempo passado.
  • ca significa ao mesmo tempo que... (algum evento), ca sozinho denota tempo presente.
  • ba significa depois de... (algum evento), ba sozinho denota tempo futuro.

Os tempos adicionam informações sobre quando algo acontece. O português nos obriga a usar certos tempos verbais. Temos que escolher entre:

  • As pessoas falam comigo.
  • As pessoas falaram comigo.
  • As pessoas falarão comigo.

e outras escolhas semelhantes.

Mas em Lojban, as partículas de tempo são opcionais, podemos ser vagos ou precisos conforme desejarmos.

A frase

le prenu cu tavla mi As pessoas falam comigo.

na verdade não diz nada sobre quando isso acontece. O contexto geralmente é suficientemente claro e pode nos ajudar. Mas se precisarmos de mais precisão, basta adicionar mais palavras.

ba significa depois de... (algum evento), então quando dizemos mi ba cu citka, queremos dizer que comemos depois do momento da fala, por isso significa eu vou comer.

Podemos combinar partículas de tempo com e sem argumentos após elas:

mi pu cu citka le plise ba le nu mi dansu Eu comi as maçãs depois de dançar.

Observe que o termo pu (tempo passado) é colocado apenas na relação principal (mi pu cu citka). Em Lojban, assume-se que o evento eu dancei ocorre em relação ao evento de comer.

Não devemos colocar pu com dansu (ao contrário do português), pois mi dansu é visto em relação a mi pu cu citka, então já sabemos que tudo aconteceu no passado.

Mais exemplos de termos relacionados ao tempo:

le nicte cu pluka A noite está agradável.

pluka
... está agradável

ba le nicte cu pluka Depois da noite está agradável.

Aqui, a parte principal da frase contém um termo ba le nicte, um termo modal com seu argumento interno. Em seguida, após o separador cu, segue-se a relação principal da frase pluka (pluka sozinho significa Está agradável.)

Para dizer será agradável, devemos usar o termo no tempo passado:

le nicte ba cu pluka A noite será agradável.

Também observe que adicionar um argumento após uma partícula relacionada ao tempo pode levar a um significado drasticamente diferente:

le nicte ba le nu citka cu pluka A noite está agradável depois de comer.

Observe que ca pode se estender um pouco para o passado e para o futuro, significando agora mesmo. Assim, ca reflete uma noção amplamente utilizada em todo o mundo de "tempo presente".

Também é possível integrar partículas modais na construção da relação principal:

le nicte ba cu pluka le nicte ba pluka A noite será agradável.

Ambas as frases têm o mesmo significado, ba pluka é uma construção de relação que significa ... será agradável.

A estrutura de le nicte ba pluka é a seguinte:

  • le nicte - a parte principal da frase com apenas um termo le nicte
  • ba pluka - a parte final da frase que consiste apenas na relação ba pluka

Contraste isso com a frase anterior le nicte ba cu pluka:

  • le nicte ba - a parte principal da frase com dois termos le nicte e ba
  • pluka - a parte final da frase que consiste apenas na relação pluka

A vantagem de le nicte ba pluka em relação a le nicte ba cu pluka é apenas a concisão; geralmente é possível omitir o cu em tais casos, uma vez que a frase não pode ser entendida de outra forma de qualquer maneira.

Se você deseja colocar um termo modal antes de um termo de argumento, pode separá-lo do texto seguinte "encerrando" o termo com a palavra auxiliar ku:

ba ku le nicte cu pluka le nicte ba cu pluka le nicte ba pluka A noite será agradável.

ku impede que ba le nicte apareça, mantendo assim ba ku e le nicte como termos separados.

Uma última Observe: As definições em português das palavras Lojban podem usar tempos verbais, mesmo quando as palavras originais em Lojban não os implicam, por exemplo:

tavla
... fala com ..., ... conversa com ...
pluka
... é agradável

Embora fala, é, etc. estejam no tempo presente (nem sempre podemos eliminar o tempo verbal nas palavras em português porque é assim que o português funciona), devemos sempre assumir que o tempo não está implícito no significado das palavras Lojban definidas, a menos que a definição em português dessas palavras mencione explicitamente restrições de tempo.

Termos modais. Contornos de evento: «co'a», «ca'o», «co'i»

Outra série de partículas relacionadas ao tempo, contornos de evento:

co'a
partícula de tempo: o evento está começando
ca'o
partícula de tempo: o evento está em progresso
mo'u
partícula de tempo: o evento está completo
co'i
partícula de tempo: o evento é visto como um todo (começou e depois terminou)

A maioria das palavras de relação descreve eventos sem especificar a fase desses eventos. Os contornos de evento nos permitem ser mais precisos:

mi pu co'a сu cikna mi pu co'a cikna Eu acordei.

cikna
... está acordado
co'a cikna
... acorda, fica acordado
pu co'a cikna
... acordou, ficou acordado

le prenu co'a cikna
A pessoa acorda.

Para expressar precisamente o tempo progressivo em português, usamos ca'o:

mi pu ca'o сu sipna mi pu ca'o sipna Eu estava dormindo.

sipna
... dorme

le mlatu ca'o sipna
O gato está dormindo.

mi ca ca'o pinxe Eu estou bebendo.

mi ba ca'o pinxe Eu estarei bebendo.

mo'u é usado para descrever a conclusão de eventos:

mi mo'u klama le tcana Eu cheguei à estação.

le tcana
a estação

le prenu mo'u klama le tcana
A pessoa chegou à estação.

co'i geralmente corresponde ao tempo perfeito em português:

le verba ca co'i pinxe le jisra As crianças têm bebido o suco.

Podemos omitir ca nessas frases, já que o contexto seria claro o suficiente na maioria dos casos.

O tempo presente simples em português descreve eventos que acontecem às vezes:

le prenu ca ta'e tavla As pessoas (habitualmente, às vezes) conversam.

ta'e
tempo simples: o evento acontece habitualmente

Podemos usar as mesmas regras para descrever o passado usando pu em vez de ca ou o futuro usando ba:

le prenu pu co'i tavla mi As pessoas tinham conversado comigo.

le prenu ba co'i tavla mi As pessoas terão conversado comigo.

A ordem relativa das partículas relacionadas ao tempo é importante. Em ca co'i, primeiro dizemos que algo acontece no presente (ca), e depois afirmamos que, neste momento presente, o evento descrito foi concluído (co'i). Somente ao usar essa ordem obtemos o tempo presente perfeito.

Termos modais. Intervalos: ‘durante’ — «ze'a»

Outra série de partículas modais enfatiza que os eventos acontecem durante um intervalo:

ze'i
por um curto período de tempo
ze'a
durante algum tempo, por um tempo, durante...
ze'u
por um longo período de tempo

mi pu ze'a cu sipna mi pu ze'a sipna Eu dormi por um tempo.

A pessoa está dormindo enquanto está chovendo.
The person is sleeping while it's raining.

mi pu ze'a le nicte cu sipna Eu dormi a noite toda.

Observe: não podemos omitir cu aqui, já que nicte sipna (... é um dorminhoco noturno) é um tanru e, portanto, levaria a algum outro significado (se estranho).

mi pu ze'i le nicte cu sipna Eu dormi durante a curta noite.

Compare ze'a com ca:

mi pu ca le nicte cu sipna Eu dormi à noite.

le nicte
a noite

Ao usar ze'a, estamos falando sobre todo o intervalo do que estamos descrevendo.

Observe que nicte é em si um evento, então não precisamos de nu aqui.

Termos modais. ‘porque’ — «ri'a», ‘em direção a’ — «fa'a», ‘em (lugar)’ — «bu'u»

Partícula modal para porque:

mi pinxe ri'a le nu mi taske Eu bebo porque estou com sede.

mi citka ri'a le nu mi xagji Eu como porque estou com fome.

ri'a
porque ... (devido a algum evento)
taske
... está com sede

taske
... está com sede

xagji
... está com fome

xagji
... está com fome

Partículas modais que denotam lugar funcionam da mesma maneira:

mi cadzu fa'a do to'o le zdani Eu caminho na sua direção, longe de casa.

Observe que, ao contrário de klama, as partículas modais fa'a e to'o denotam direções, não necessariamente pontos de partida ou chegada da rota. Por exemplo:

le prenu cu klama fa'a do A pessoa vem em sua direção.

significa que a pessoa está simplesmente se movendo em sua direção, mas não necessariamente em sua direção (talvez em direção a algum lugar ou pessoa próxima a você).

mi cadzu bu'u le tcadu Eu caminho na cidade.

tcadu
… is a city
fa'a
em direção a ..., na direção de ...
to'o
de ..., na direção de ...
bu'u
em ... (algum lugar)

Observe: nu indica que uma nova sentença interna começa dentro da sentença principal. Colocamos kei após essa relação para mostrar sua fronteira direita, semelhante ao uso de ")" ou "]" em matemática. Por exemplo:

le gerku cu plipe fa'a mi ca le nu do ca'o klama O cachorro pula em minha direção quando você está vindo.

le gerku cu plipe fa'a mi
O cachorro pula em minha direção.

plipe
pular

mas

le gerku cu plipe ca le (nu do ca'o klama kei) fa'a mi O cachorro pula (quando você está vindo) em minha direção.

Os parênteses ( e _) _ são usados aqui apenas para mostrar a estrutura; eles não são necessários em um texto normal em Lojban.

Usamos kei após a sentença interna do ca'o klama para mostrar que ela terminou e a parte final da sentença continua com seus termos.

Compare esta frase com a seguinte:

le gerku cu plipe ca le (nu do ca'o klama fa'a mi) O cachorro pula (quando você está vindo em minha direção).

Como você pode ver, do klama fa'a mi é uma relação dentro da maior, então fa'a mi agora está dentro dela.

Agora, não é o cachorro que vem em minha direção, mas você.

No final da declaração, kei nunca é necessário, pois já indica a borda direita.

Considere o seguinte exemplo com uma partícula relacionada ao tempo:

mi pu citka le plise ba le nu mi dansu Eu comi as maçãs depois que dancei.

mi pu citka ba le nu mi dansu kei le plise Eu comi (depois que dancei) as maçãs.

Podemos rearranjar a frase movendo ba le nu mi dansu ao redor, desde que permaneça após pu.

Tarefa

Feche a parte direita da tabela. Traduza as frases à esquerda do Lojban.

le tsani
o céu
zvati
...está presente em... (algum lugar ou evento), ...permanece em... (algum lugar)
le canko
a janela
le fagri
o fogo
mi'o
você e eu
le purdi
o jardim
le tcati
o chá
mi ca gleki le nu do catlu le tsani Estou feliz que você olhe para o céu.
xu le gerku pu ca'o zvati le zdani Os cachorros estavam em casa?
do pu citka le plise ba le nu mi pinxe le jisra Você comeu as maçãs depois que eu bebi o suco.
ko catlu fa'a le canko Olhe em direção à janela.
xu do gleki ca le nu do ca'o cadzu bu'u le purdi Você está feliz quando está caminhando no jardim?
ca le nu mi klama le zdani kei do pinxe le tcati ri'a le nu do taske Quando eu chego em casa, você bebe chá porque está com sede.

Feche a parte direita da tabela. Traduza as frases à esquerda para Lojban.

Você vai olhar para o carro. do ba catlu le karce
Você quer que chova no futuro. do ca djica le nu ba carvi
Corra rapidamente para longe do fogo! ko sutra bajra to'o le fagri
Você e eu estávamos juntos em casa quando estava chovendo. mi'o pu ca'o zvati le zdani ca le nu carvi

Nomes. Escolhendo um nome

cmevla, ou palavra de nome, é um tipo especial de palavra usada para construir nomes pessoais. É fácil reconhecer le cmevla em um texto, pois são as únicas palavras que terminam em uma consoante e são envolvidas por um ponto em cada lado.

Exemplos de le cmevla são: .paris., .robin.

Se o nome de alguém for Bob, então podemos criar um cmevla que soe o mais próximo possível desse nome, por exemplo: .bab.

O exemplo mais simples de uso de um nome seria

la .bab. cu tcidu Bob lê/está lendo.

tcidu
... lê

le prenu ca'o tcidu
A pessoa está lendo.

la é semelhante a le, mas converte uma palavra em um nome em vez de um simples argumento.

Em português, começamos uma palavra com uma letra maiúscula para mostrar que é um nome. Em Lojban, usamos o prefixo la.

Sempre use la ao produzir nomes!

Um nome pode consistir em vários cmevla um após o outro:

la .bab.djansyn. cu tcidu Bob Johnson lê/está lendo.

Aqui, separamos os dois cmevla com apenas um ponto, o que é suficiente.

É comum omitir pontos na frente e no final de le cmevla para escrever textos mais rapidamente, por exemplo, em bate-papos de texto. Afinal, le cmevla ainda são separados das palavras vizinhas por espaços ao redor deles:

la bab djansyn cu tcidu

No entanto, na linguagem falada, ainda é necessário fazer uma pequena pausa antes e depois de le cmevla.

O primeiro nome de Bob, o nome da língua Lojban, pode ser usado em Lojban sem muitas alterações:

la .lojban. cu bangu mi Eu falo Lojban. Lojban é uma língua minha. Lojban é uma língua que eu uso.

bangu
... é uma língua usada por ... (alguém)

mi nintadni la .lojban. Eu sou um novo estudante de Lojban.

mi tadni la .lojban. Eu estudo Lojban.

le prenu ca ca'o tadni la .lojban.
A pessoa está estudando Lojban agora.

As letras do Lojban correspondem diretamente aos sons, então existem algumas regras para adaptar nomes à forma como são escritos em Lojban. Isso pode parecer estranho - afinal, um nome é um nome - mas todas as línguas fazem isso em certa medida. Por exemplo, falantes de inglês tendem a pronunciar Jose como Hozay, e Margaret em chinês é Magelita. Alguns sons simplesmente não existem em algumas línguas, então você precisa reescrever o nome para que ele contenha apenas sons do Lojban e seja escrito de acordo com a correspondência entre letras e sons.

Por exemplo:

la .djansyn.
Johnson (provavelmente, mais próximo da pronúncia americana)
la .suzyn.
Susan (as duas letras s são pronunciadas de forma diferente: a segunda é na verdade um z, e o a não é realmente um som de a)

Preste atenção em como o nome é pronunciado nativamente. Como resultado, os nomes em inglês e francês Robert são diferentes em Lojban: o nome em inglês é .robyt. no inglês britânico, ou .rabyrt. em alguns dialetos americanos, mas o francês é .rober.

Aqui estão algumas "Lojbanizações" de nomes:

  • Alicela .alis.
  • Mei Lila .meilis.
  • Bobla .bab.
  • Abdulla .abdul.
  • Yan ou Ianla .ian.
  • Alila .al.
  • Dorisla .doris.
  • Michellela .micel.
  • Kevinla .kevin.
  • Edwardla .edvard.
  • Adamla .adam.
  • Lucasla .lukas.

Notas:

  • Dois pontos finais adicionais são necessários porque se você não colocar essas pausas na fala, pode se tornar difícil saber onde o nome começa e termina, ou em outras palavras, onde a palavra anterior termina e a próxima começa.
  • A última letra de um cmevla deve ser uma consoante. Se um nome não terminar em consoante, geralmente adicionamos um s ao final; então, em Lojban, Mary se torna .meris., Joe se torna .djos., e assim por diante. Alternativamente, podemos omitir a última vogal, então Mary se tornaria .mer. ou .meir.
  • Você também pode colocar um ponto final entre o primeiro e o último nome de uma pessoa (embora não seja obrigatório), então Jim Jones se torna .djim.djonz.

Regras para criar le cmevla

Aqui está uma representação compacta dos sons em Lojban:

  • vogais:
    • a e i o u y au ai ei oi
  • consoantes:
    • b d g v z j (vozeadas)
    • p t k f s c x (não vozeadas)
    • l m n r
    • i u. São consideradas consoantes quando colocadas entre duas vogais ou no início de uma palavra. .iauai e u são consoantes aqui. .iai — aqui está a consoante i com a vogal ai depois dela.
    • ' (apóstrofo). É colocado apenas entre duas vogais: .e'e, .u'i
    • . (ponto, separação de palavras)

Para criar um nome em Lojban, siga estas regras:

  1. O nome deve terminar em uma consoante, exceto '. Se não terminar, adicione uma consoante no final. Além disso, envolva-o com um ponto de cada lado: .lojban..
  2. As vogais só podem ser colocadas entre duas consoantes: .sam., .no'am.
  3. Consoantes duplas são fundidas em uma só: dd se torna d, nn se torna n, etc. Ou um y é colocado entre elas: .nyn.
  4. Se uma consoante sonora e uma surda estiverem uma ao lado da outra, insira um y entre elas: kv se torna kyv. Alternativamente, você pode remover uma das letras: pb pode se tornar um único p ou um único b.
  5. Se um dos seguintes pares de letras estiverem juntos: c, j, s, z, insira um y entre eles: jz se torna jyz. Alternativamente, você pode remover uma das letras: cs pode se tornar um único c ou um único s.
  6. Se x estiver ao lado de c ou ao lado de k, insira um y entre eles: cx se torna cyx, xk se torna xyk. Alternativamente, você pode remover uma das letras: kx pode se tornar um único x.
  7. As sequências mz, nts, ntc, ndz, ndj são corrigidas adicionando um y dentro ou excluindo uma das letras: nytc ou nc, .djeimyz.
  8. O duplo ii entre vogais é fundido em um único i: .eian. (mas não .eiian.)
  9. O duplo uu entre vogais é fundido em um único u: .auan. (mas não .auuan.)
  10. O som do "h" em inglês, como em Harry, pode ser omitido ou substituído por x. Harry pode se tornar .aris. ou .xaris.

Palavras de relação como nomes

Você pode escolher um apelido agradável em Lojban usando não apenas cmevla, mas também palavras de relação. Você também pode traduzir seu nome atual para Lojban se souber o que significa, ou escolher um nome completamente novo em Lojban.

Aqui estão alguns exemplos:

| Nome original | Significado original | Palavra em Lojban | Significado em Lojban | Seu nome | | --- | --- | --- | --- | --- | | Alexis | ajudante em grego | le sidju | o ajudante | la sidju | | Ethan | sólido, durante em hebraico | le sligu | o sólido | la sligu | | Mei Li | bonito em mandarim chinês | le melbi | os bonitos | la melbi |

'ele' 'ela'

O Lojban não possui palavras distintas para ele ou ela. Possíveis soluções:

le ninmu
a mulher (no sentido de gênero)

le ninmu
a mulher (ser humano do sexo feminino)

le nanmu
o homem (no sentido de gênero)

le nanmu
o homem (ser humano do sexo masculino)

le ninmu cu tavla le nanmu .i le ninmu cu jatna A mulher fala com o homem. Ela é uma líder.

jatna
... é um líder, comandante

Os lojbanistas propuseram várias palavras para outros gêneros, como

le nonmu
a pessoa sem gênero
le nunmu
a pessoa com gênero não-binário

No entanto, na maioria das situações, usar le prenu (a pessoa) ou nomes próprios é suficiente.

Outra opção é usar o pronome curto ri, que se refere ao termo de argumento anterior:

mi pu klama le nurma .i ri melbi Eu fui para o campo. Ele/ela estava bonito(a).

le nurma
a área rural
melbi
… is beautiful, nice to … (someone)

Aqui, ri se refere ao campo.

nurma
... é uma área rural

mi tavla le pendo .i ri jundi Eu falo com o amigo. Ele/ela é atencioso(a).

jundi
... é atencioso(a)

Aqui, ri se refere ao amigo.

le gerku cu jundi
O cachorro está atento.

Observe: ri pula os pronomes mi (eu) e do (você):

le prenu cu tavla mi .i ri pendo mi A pessoa fala comigo. Ele/ela é um(a) amigo(a) meu/minha.

Aqui, ri pula o pronome anterior mi e, portanto, se refere a le prenu, que é o termo de argumento anterior disponível.

Outros dois pronomes semelhantes são ra e ru.

ra
refere-se a um termo de argumento usado recentemente
ru
refere-se a um termo de argumento usado ainda antes

le pendo pu klama le nurma .i ri melbi ra O amigo foi para o campo. O campo era lindo para ele.

Aqui, como ri é usado, ra deve se referir a um termo de argumento concluído mais recente, que para este exemplo isolado é le pendo. Argumentos como mi e do também são ignorados por ra.

Se ri não for usado, então ra poderá se referir até mesmo ao último argumento concluído:

le pendo pu klama le nurma .i ra melbi ru O amigo foi para o campo. O campo era lindo para ele.

ra é mais conveniente quando você é preguiçoso e o contexto resolveria a referência de qualquer maneira.

Apresentando-se. Vocativos

Em Lojban, vocativos são palavras que se comportam como interjeições (como xu, que discutimos anteriormente), mas exigem um argumento a ser anexado à direita delas:

coi do Olá, você!

coi
vocativo: Olá! Oi!

coi do
Olá para você!

Usamos coi seguido de um termo de argumento para cumprimentar alguém.

co'o do Adeus para você.

co'o
vocativo: adeus!

co'o do
Adeus para você!

coi ro do Olá a todos! Olá a cada um de vocês

  • é assim que as pessoas geralmente começam uma conversa com várias pessoas. Outros números também são possíveis, é claro: coi re do significa Olá para vocês dois, etc.

Como os vocativos funcionam como interjeições, temos tipos agradáveis de cumprimentos:

cerni
... é manhã
donri
... é hora do dia
vanci
... é tardinha/noitinha
nicte
... é noite

cerni coi Bom dia! É manhã - Olá!

vanci coi Boa noitinha!

donri coi Boa tarde!

nicte coi Saudações noturnas!

Observe: em português, Boa noite! significa Adeus! ou deseja a alguém uma boa noite. Pelo seu significado, Boa noite! não faz parte da série de cumprimentos acima. Portanto, usamos uma expressão diferente em Lojban:

nicte co'o Boa noite!

ou

.a'o pluka nicte Noite agradável!

.a'o
interjeição: espero
pluka
... é agradável para ... (alguém)

Claro, podemos ser vagos apenas dizendo pluka nicte (significando apenas noite agradável sem nenhum desejo explicitamente expresso).

O vocativo mi'e + um argumento é usado para se apresentar:

mi'e la .doris. Eu sou a Doris. Aqui é a Doris falando.

mi'e
vocativo: identifica o falante

O vocativo doi é usado para se dirigir diretamente a alguém:

mi cliva doi la .robert. Estou indo embora, Robert.

cliva
sair (algo ou alguém)

Sem o doi, o nome pode preencher o primeiro argumento da relação:

mi cliva la .robert. Estou indo embora, Robert.

doi é como o vocativo em latim (como em Et tu, Brute).

Vocativo é um construto isolado que tem a função de chamar a atenção do interlocutor ou colocá-lo em evidência no discurso. O português abandona o artigo para formar o vocativo:

Ó Jesus, ajude-nos! Menino, vem cá!

Alguns idiomas não fazem essa distinção entre esses contextos.

Dois outros vocativos são ki'e para dizer obrigado e je'e para aceitá-los:

— ki'e do do pu sidju mi — je'e do — Obrigado, você me ajudou. — De nada.

sidju
… ajuda … (alguém)

Podemos omitir o argumento após o vocativo apenas no final da frase. Por exemplo, podemos apenas dizer:

— coi .i xu do kanro — Olá. Como você está? — Olá. Você está saudável?

kanro
… está saudável

Aqui, uma nova frase começa imediatamente após o vocativo coi, então omitimos o nome. Ou podemos dizer:

coi do mi djica le nu do sidju mi Olá. Eu quero que você me ajude. Olá você. Eu quero que você me ajude.

Assim, se você não sabe o nome do ouvinte e quer continuar a mesma frase após o vocativo, basta colocar do depois dele.

Se você usar o vocativo sozinho (sem um argumento depois dele) e a frase ainda não estiver terminada, então você precisa separá-lo do restante. Isso ocorre porque as coisas que são mais propensas a seguir o vocativo em uma frase podem ser facilmente interpretadas como descrevendo o destinatário. Para separá-lo do argumento seguinte, use a palavra do. Por exemplo,

coi do la .alis. la .doris. pu cliva Olá! Alice saiu de Doris. Olá você! Alice saiu de Doris

coi la .alis. la .doris. pu cliva Olá, Alice! Doris saiu.

E se você quiser colocar tanto vocativos quanto interjeições, modificando toda a frase, por favor, coloque as interjeições primeiro:

.ui coi do la .alis. la .doris. pu cliva Uhu, Olá! Alice saiu de Doris.

Observe: no início de uma frase, as interjeições geralmente são colocadas antes dos vocativos porque:

coi .ui do la .alis. la .doris. pu cliva significa

Olá (estou feliz com esta saudação) você! Alice saiu de Doris.

Portanto, uma interjeição imediatamente após um vocativo modifica esse vocativo. Da mesma forma, uma interjeição modifica o argumento de um vocativo quando é colocada depois dele:

coi do .ui la .alis. la .doris. pu cliva Olá você (estou feliz com você)! Alice saiu de Doris.

Lição 2. Mais coisas básicas

Tipos de palavras

Todas as palavras em Lojban são divididas em três grupos:

  • Palavras de relação (chamadas de selbrivla em Lojban)
    • Exemplos: gleki, klama.
    • Essas palavras contêm pelo menos um agrupamento de consoantes (duas ou mais consoantes uma após a outra) dentro dos primeiros 5 sons + terminam em uma vogal.
  • Partículas (chamadas de cmavo em Lojban)
    • Exemplos: le, nu, mi, fa'a.
    • Elas começam com uma consoante (uma das b d g v z j p t k f s c x l m n r i u), seguida por uma vogal (uma das a e i o u y au ai ei oi). Opcionalmente, após isso, pode haver uma ou mais sequências de um apóstrofo (') e uma vogal seguinte. Por exemplo, xa'a'a'a'a'a'a e ba'au'oi'a'e'o são possíveis partículas (mesmo que nenhum significado seja atribuído a elas).
    • É bastante comum escrever várias partículas consecutivamente sem espaços entre elas. Isso é permitido pela gramática de Lojban. Portanto, não se surpreenda ao ver lenu em vez de le nu, naku em vez de na ku, jonai em vez de jo nai, e assim por diante. Isso não altera o significado. No entanto, essa regra não se aplica a palavras de relação; palavras de relação devem ser separadas por espaços.
  • Palavras de nome (chamadas de cmevla em Lojban)
    • Exemplos: .alis., .doris, .lojban.
    • Geralmente usadas para nomes.
    • Elas podem ser facilmente distinguidas dos outros tipos de palavras, pois terminam em uma consoante. Além disso, elas são envolvidas por dois pontos no início e no final. Coloquialmente, os pontos podem ser omitidos ao escrever, mas ao falar, as pausas correspondentes a esses pontos ainda são obrigatórias.

Ordem dos argumentos

Anteriormente, fornecemos definições de palavras de relação, como:

mlatu
... é um gato, ser um gato
citka
... come ...
prami
... ama ...
klama
... vem para ...

Dicionários podem apresentar definições de palavras de relação com símbolos como , , etc.:

prami
ama
karce
é um carro ...
citka
come ...
klama
vem para ...

Esses , e assim por diante são a notação explícita para os slots (outros nomes são: lugares, funções da relação, terbricmi em Lojban), que são preenchidos por termos de argumento (sumti) na frase.

Os números representam a ordem em que esses espaços devem ser preenchidos pelos argumentos.

Por exemplo:

mi prami do Eu te amo.

Essa frase também implica que

  • denota aquele que ama, e
  • denota aquele que é amado por.

Em outras palavras, cada relação tem um ou mais espaços, e esses espaços são especificados e rotulados como , , e assim por diante. Colocamos argumentos como mi, do, le tavla, etc., em ordem, preenchendo esses espaços e dando um significado concreto à relação, formando assim uma frase.

a lista de termos-argumentos (sumti)
relação
termo-argumento mi
termo-argumento do
slot x₁
prami
slot x₂

A vantagem desse estilo de definições é que todos os participantes de uma relação estão em uma definição.

Também podemos omitir argumentos, tornando a frase mais vaga:

carvi Está chovendo. é chuva, está chovendo

(embora o tempo aqui seja determinado pelo contexto, também pode significar Chove frequentemente, Estava chovendo, etc.)

prami do Alguém te ama. ama você

Todos os espaços omitidos em uma relação significam apenas zo'e = algo/alguém, então significa a mesma coisa que

zo'e prami do Alguém te ama.

E

prami

é o mesmo que

zo'e prami zo'e Alguém ama alguém.

Termos modais como ca, fa'a, etc., adicionam novos espaços às relações, mas não preenchem os espaços das relações. Em

mi klama fa'a do Eu vou em sua direção.

o segundo espaço de klama ainda está omitido. Por exemplo:

mi klama fa'a le cmana le zdani Eu vou (na direção da montanha) para casa.

le cmana
a montanha

cmana
… é uma montanha

Aqui, o segundo espaço de klama é do. A frase significa que a montanha é apenas uma direção, enquanto o ponto final é você.

Aqui, o termo fa'a la cmana (na direção da montanha) não substitui o segundo espaço da relação klama. O segundo espaço de klama aqui é le zdani.

A frase significa que minha casa está simplesmente localizada na direção da montanha, mas não necessariamente significa que eu quero alcançar aquela montanha. O destino final de eu ir não é necessariamente a montanha, mas sim a casa.

Da mesma forma, em

mi citka ba le nu mi cadzu Eu como depois de eu caminhar.

o segundo lugar de citka ainda está omitido. Uma nova palavra ba com seu argumento le nu mi cadzu adiciona significado à frase.

A ordem dos argumentos de uma relação composta é a mesma que a do último componente nela:

tu sutra bajra pendo mi Aquela é minha amiga que corre rapidamente. Aquela é uma amiga que corre rapidamente para mim.

tu pendo mi Aquela é minha amiga. Aquela é uma amiga para mim.

pendo
... é um(a) amigo(a) de ... (alguém)

Portanto, a ordem dos argumentos é a mesma que a de pendo sozinho.

Mais de dois lugares

Pode haver mais de dois lugares. Por exemplo:

mi pinxe le djacu le kabri Eu bebo a água do copo.

pinxe
bebe de

le kabri o copo

Nesse caso, existem três lugares, e se você quiser excluir o segundo lugar no meio, você deve usar zo'e:

mi pinxe zo'e le kabri Eu bebo [algo] do copo.

Se omitirmos zo'e, obtemos algo sem sentido:

mi pinxe le kabri Eu bebo o copo.

Outro exemplo:

mi plicru do le plise Eu te dou as maçãs.

plicru
dá, doa para algum objeto ; permite que alguém use

Relações dentro de relações

Em

le nicte cu nu mi viska le lunra A noite é quando eu vejo a Lua.

temos

  • le nicte como da relação,
  • nu mi viska le lunra como a relação principal.

No entanto, dentro de nu mi viska le lunra, temos outra frase com

  • mi - da relação interna,
  • viska - a relação interna,
  • le lunra - da relação interna.

Portanto, apesar de ter uma estrutura interna, nu mi viska le lunra ainda é uma relação com seu primeiro termo preenchido com le nicte neste caso.

Da mesma forma, em

mi citka ba le nu mi dansu Eu como depois de eu dançar.

temos

  • mi como da relação,
  • citka como a construção principal da relação,
  • ba le nu mi dansu como um termo modal da relação principal da frase.

Dentro deste termo, temos:

  • mi como da relação dentro do termo
  • dansu como a construção principal da relação dentro do termo.

Esse mecanismo "recursivo" de envolver relações em relações permite expressar ideias complexas de forma precisa.

Por que as palavras de relação são definidas dessa maneira?

O português usa um conjunto limitado de preposições que são reutilizadas em vários verbos e, portanto, não têm um significado fixo. Por exemplo, considere a preposição em português para:

Vou para a escola.

Estudo para aprender.

Para mim, isso é lindo.

Em cada um desses exemplos, para tem um novo papel que, na melhor das hipóteses, é remotamente semelhante aos papéis em outras frases.

É importante observar que outras línguas usam maneiras diferentes de marcar os papéis dos verbos que, em muitos casos, são muito diferentes dos usados em português.

Lojban, por exemplo, marca os papéis principais (slots) das relações definindo completamente tais relações com os papéis colocados em sequência (ou marcados com fa, fe, e assim por diante):

klama
vai até/para
zukte
faz para
melbi
é bonito, bonita para

Esses papéis principais são essenciais na definição das relações.

No entanto, pode haver papéis opcionais que tornam as relações mais precisas, e.g. enquanto, porque:

Eu falo com você enquanto estou comendo.

É difícil para mim porque essa coisa é pesada.

Em Lojban, uma noção semelhante de tais papéis opcionais é expressa por meio de relações separadas ou, para casos mais comuns, com termos modais:

mi tavla do ze'a le nu mi citka Eu falo com você enquanto estou comendo.

nandu mi ri'a le nu ti tilju É difícil para mim porque essa coisa é pesada.

nandu
é difícil para
tilju
é pesado

As preposições em português são semelhantes às partículas modais em Lojban, embora uma preposição comum em português possa ter muitos significados, enquanto em Lojban, cada partícula modal tem apenas um significado (mesmo que vago).

Regras gerais na ordem dos argumentos

A ordem dos lugares nas relações pode ser difícil de lembrar às vezes, mas não se preocupe — você não precisa lembrar todos os lugares de todas as palavras de relação. (Você se lembra do significado de centenas de milhares de palavras em português?)

Você pode estudar lugares quando os encontrar úteis ou quando as pessoas os usarem em um diálogo com você.

A maioria das palavras de relação tem dois ou três lugares.

Normalmente, você pode adivinhar a ordem usando o contexto e algumas regras básicas:

  1. O primeiro lugar geralmente é a pessoa ou coisa que faz algo ou é algo:

    klama = vai...

  2. O objeto de alguma ação geralmente vem logo após o primeiro lugar:

    punji = coloca em ,

  3. E o próximo lugar geralmente será preenchido com o destinatário:

    punji = coloca em ,

  4. Lugares de destino (para) quase sempre vêm antes de lugares de origem (de):

    klama = vai para de

    le prenu cu klama fi le zarci
    A pessoa sai da loja.

  5. Lugares menos usados vêm mais para o final. Geralmente são coisas como por padrão, por meio ou feito de.

A ideia geral é que primeiro vêm os lugares que são mais prováveis de serem usados.

Não é necessário preencher todos os lugares o tempo todo. Lugares não preenchidos têm valores irrelevantes ou óbvios para o falante (eles recebem o valor de zo'e = algo).

Infinitivos

Infinitivos são verbos que geralmente são suffixados com -ir/-ar etc. em português. Exemplos incluem Eu gosto de correr, com correr sendo o infinitivo.

le verba cu troci le ka cadzu A criança está tentando andar.

le verba
a criança, as crianças
troci
tenta fazer ou ser (ka)
cadzu
anda

le verba cu troci le ka cadzu
A criança tenta andar.

A partícula ka funciona de maneira semelhante a nu. Ela envolve uma frase.

A principal diferença é que algum espaço na frase envolvida deve ser vinculado a algum argumento fora dessa frase.

Nesse caso, o primeiro argumento le verba da relação troci faz uma ligação com o primeiro espaço não preenchido da frase interna cadzu (que está dentro de ka).

Em outras palavras, a criança tenta alcançar um estado em que le verba cu cadzu (o argumento le verba preencheria o primeiro espaço não preenchido da relação cadzu).

Algumas relações requerem apenas infinitivos em alguns de seus espaços. Definições de tais palavras marcam esses espaços como propriedade ou ka. Por exemplo:

cinmo
sente (ka)

Isso significa que o infinitivo no segundo slot () é aplicado a algum outro slot (provavelmente, o primeiro slot, ). Casos em que o infinitivo é aplicado a slots diferentes de são raros e são explicados por relações correspondentes ou no caso de palavras de relação inventadas não oficialmente, podem ser deduzidos do bom senso.

Outro exemplo:

ra sidju le pendo le ka bevri le dakli
Ele/ela ajuda o amigo a carregar as malas.

ra sidju le pendo le ka bevri le dakli Ele/ela ajuda o amigo a carregar as malas.

sidju
ajuda a fazer (ka)

A palavra de relação sidju requer que seu terceiro espaço seja preenchido com um infinitivo.

bevri
carrega
le dakli
a bolsa, as malas

Observe que apenas o primeiro espaço não preenchido da relação incorporada assume o significado do espaço externo:

mi troci le ka do prami Eu tento ser amado por você.

tcidu
de

Aqui, o primeiro espaço não preenchido é o segundo espaço de prami, portanto, assume o valor mi (eu).

Também é possível usar o pronome ce'u para marcar explicitamente um espaço que deve ser aplicado a algum argumento externo:

mi troci le ka do prami ce'u Eu tento ser amado por você.

Outro exemplo:

mi cinmo le ka xebni ce'u mi cinmo le ka se xebni Eu sinto que alguém me odeia. Eu sinto que estou sendo odiado.

Tipos de espaços

O dicionário frequentemente menciona outros tipos de espaços, por exemplo:

djica
deseja (evento)

Esse evento significa que você deve preencher o espaço com um argumento que represente um evento. Por exemplo:

le nicte
noite
le nu mi dansu
eu dançando

Então temos:

mi djica le nicte Eu desejo o evento da noite.

do djica le nu mi dansu Você deseja que eu dance.

Em Lojban, não é permitido dizer, por exemplo:

mi djica le plise Eu quero a maçã.

porque você quer fazer algo com a maçã ou quer que algum evento aconteça com a maçã, como:

mi djica le nu mi citka le plise Eu quero comer a maçã. Eu quero que eu coma a maçã.

Observe que agrupar uma relação que espera um evento em nu altera o significado:

le zekri cu cumki O crime é possível.

zekri
(evento) é um evento criminoso, (evento) um crime
cumki
(evento) é possível

Comparar:

le nu zekri cu cumki Que seja criminoso é possível. É possível que algo seja crime.

Raising

mi stidi le ka klama le barja Eu sugiro ir ao pub.

stidi
sugere ação (propriedade) para

mi stidi tu'a le barja Eu sugiro o pub.

tu'a o bar
algo sobre o bar

eu quero comer uma maçã. I want to eat an apple.

eu quero o doce. I want the sweetie.

tu'a o doce
algo sobre o doce
doce
... é doce, ... é um doce

le prenu cu djica tu'a le titla
A pessoa quer o doce.

A estrutura de lugar pode colocar um fardo muito grande na especificação de ações ou eventos. Às vezes, queremos especificar apenas algum objeto nesses eventos ou lugares e pular a descrição da ação ou do evento completamente.

Nos exemplos acima, eu sugiro o bar. provavelmente implica em ir ao bar e eu quero a maçã. implica em comê-la.

No entanto, a palavra de relação Lojban stidi requer uma propriedade em seu slot . Da mesma forma, djica requer um evento em seu slot .

A pequena palavra qualificadora chamada tu'a antes de um termo implica uma abstração (propriedade, evento ou proposição), mas seleciona apenas esse termo dessa abstração, pulando o resto. Pode ser vagamente traduzido como algo sobre:

mi stidi tu'a le barja Eu sugiro algo sobre o bar (talvez visitá-lo, encontrar-se perto dele, etc.).

mi djica tu'a le plise Eu desejo algo relacionado à maçã (talvez comer, mastigar, lamber, jogar em um amigo, etc.).

tu'a le cakla cu pluka mi O chocolate me agrada (provavelmente pelo sabor). Algo sobre o chocolate é agradável para mim.

chocolate
é algum chocolate

Ao pular abstrações, apenas o contexto nos diz o que foi omitido.

Também é possível modificar a construção relacional principal:

le cakla cu jai pluka mi tu'a le cakla cu pluka mi O chocolate é agradável para mim.

Isso permite a criação de termos de argumento vagos com jai:

le jai pluka cu zvati ti A coisa agradável está aqui.

Como le pluka (o agradável evento) é abstrato, é impossível especificar sua localização. No entanto, um participante na abstração pode ser colocado fisicamente em algum lugar.

Lugares dentro de argumentos

Como dizemos Você é meu amigo?

do pendo mi Você é meu amigo. Você é um amigo meu.

le pendo
o amigo / os amigos

E agora, como dizemos Meu amigo é inteligente.?

le pendo be mi cu stati Meu amigo é inteligente.

Portanto, quando convertemos uma relação em um argumento (pendoser um amigo para le pendoo amigo), ainda podemos manter outros lugares dessa relação colocando be depois dele.

Por padrão, ele se liga ao segundo lugar (). Podemos ligar mais lugares separando-os com bei:

mi plicru do le plise Eu te dou a maçã.

le prenu cu plicru le pendo le plise
A pessoa dá ao amigo a maçã.

le plicru be mi bei le plise O doador da maçã para mim

le plicru be mi bei le plise cu pendo mi A pessoa que me dá a maçã é meu amigo. Aquele que me dá a maçã é um amigo meu.

Outro exemplo:

mi klama le pendo be do Eu vou a um amigo seu.

klama
vai para de

Não podemos omitir be porque le pendo do são dois lugares independentes:

mi klama le pendo do Eu vou a um amigo seu.

Aqui, do ocupa o terceiro lugar de klama pois não está ligado a pendo por meio de be.

Também não podemos usar nu porque le nu pendo do é o evento de alguém ser seu amigo.

Portanto, le pendo be do é a solução correta.

Outro exemplo:

la .lojban. cu bangu mi Lojban é minha língua. Lojban é uma língua minha.

No entanto,

mi nelci le bangu be mi Eu gosto da minha língua.

Usar be para relações que não foram convertidas em argumentos não tem efeito:

mi nelci be do é o mesmo que mi nelci do

Cláusulas relativas

le prenu poi pendo mi cu tavla mi A pessoa que é amiga minha fala comigo.

le prenu noi pendo mi cu tavla mi A pessoa, que por acaso é amiga minha, fala comigo.

blabi
... é branco

Na primeira frase, a palavra que é essencial para identificar a pessoa em questão. Ela esclarece entre as pessoas no contexto de quem estamos falando. Escolhemos apenas aquelas que são minhas amigas, dentre provavelmente muitas pessoas ao redor. Talvez haja apenas uma pessoa ao redor que seja minha amiga.

Quanto a que por acaso é amiga minha na segunda frase, isso apenas fornece informações adicionais sobre a pessoa. Isso não nos ajuda a identificar a pessoa. Por exemplo, isso pode acontecer quando todas as pessoas ao redor são minhas amigas.

poi pendo mi é uma cláusula relativa, uma relação anexada à direita do argumento le prenu. Ela termina logo antes da próxima palavra cu:

le prenu (poi pendo mi) cu tavla mi A pessoa que é amiga minha fala comigo.

Em Lojban, usamos poi para cláusulas relativas que identificam entidades (objetos, pessoas ou eventos) e noi para informações incidentais.

la .bob. ba co'a speni le ninmu poi pu xabju le nurma Bob vai se casar com uma garota que morava no campo.

xabju
... mora em ..., ... habita ... (lugar, objeto)
le nurma
a área rural

Essa frase não exclui Bob de se casar com outra pessoa também! Remover a cláusula relativa com poi muda o significado:

la .bob. ba co'a speni le ninmu Bob vai se casar com uma garota.

Outro exemplo:

le prenu poi gleki cu ze'u renvi As pessoas (quais?) que são felizes vivem muito tempo.

ze'u
termo modal: por muito tempo
renvi
sobreviver

Remover a cláusula relativa com poi muda o significado:

le prenu ze'u renvi As pessoas vivem muito tempo.

Por outro lado, cláusulas relativas com noi contêm apenas informações adicionais sobre o argumento ao qual estão anexadas. Esse argumento já está suficientemente definido por si só, de modo que remover uma cláusula relativa com noi não muda seu significado:

mi nelci la .doris. noi mi ta'e zgana bu'u le panka Gosto de Doris, que costumo ver no parque. Eu gosto da Dóris. O que mais posso dizer sobre ela? Costumo vê-la no parque.

zgana
observar (usando qualquer sentido)

le prenu noi mi ta'e zgana bu'u le panka
A pessoa que eu vejo habitualmente no parque.

Remover a oração relativa com noi mantém o significado: Eu gosto de Doris.

No português falado, a distinção muitas vezes é feita usando entonação ou por adivinhação. Além disso, orações relativas com noi tradicionalmente usam quem ou que etc.

Vamos ter outro exemplo.

mi klama le pa tricu Eu vou até a árvore.

le pa tricu cu barda A árvore é grande.

le pa tricu
a árvore (uma árvore)
barda
é grande

E agora vamos juntar essas duas frases:

le tricu noi mi klama ke'a cu barda A árvore, para a qual eu vou, é grande.

Note a palavra ke'a. Movemos a segunda frase sobre a mesma árvore para uma oração relativa e substituímos o argumento le tricu por ke'a na oração relativa. Portanto, o pronome ke'a é como que e o qual em português. Ele se refere de volta ao argumento ao qual a oração relativa está ligada.

Literalmente, nossa frase em Lojban soa como

A árvore, tal que eu vou até ela, é grande.

ke'a pode ser omitido se o contexto for suficiente. As duas frases a seguir têm o mesmo significado:

le prenu poi pendo mi cu tavla mi le prenu poi ke'a pendo mi cu tavla mi A pessoa que é minha amiga fala comigo.

ke'a é frequentemente assumido como indo para o primeiro lugar não preenchido:

mi nelci la .doris. noi mi ta'e zgana bu'u le panka mi nelci la .doris. noi mi ta'e zgana ke'a bu'u le panka Gosto de Doris, que costumo ver no parque.

Aqui, mi preenche o primeiro espaço da relação ta'e zgana (… habitualmente vê …), assim, ke'a é assumido para o próximo, segundo lugar.

Orações relativas, como relações usuais, podem conter construções com termos modais:

le tricu noi mi pu klama ke'a ca le cabdei cu barda A árvore onde fui hoje é grande.

le tricu cu barda
A árvore é grande.

le cabdei
o dia de hoje

Note que ca le cabdei pertence à cláusula relativa. Compare:

le tricu noi mi pu klama ke'a cu barda ca le cabdei A árvore, para a qual eu fui, é grande hoje.

O significado mudou bastante.

Por fim, voi é usado para formar argumentos semelhantes a le, mas com cláusulas relativas:

ti voi le nu ke'a cisma cu pluka mi cu zutse tu Esses, cujo sorriso me agrada, estão sentados.

mi nelci ti voi le nu ke'a cisma cu pluka mi
Eu gosto desses, cujo sorriso me agrada.

ti
este(s) próximo(s) de mim
cisma
sorri
pluka
é agradável para
zutse
senta, está sentado em

Aqui, voi define o objeto próximo a mim.

Compare com:

ti poi le nu ke'a cisma cu pluka mi cu zutse Dentre esses, aqueles cujo sorriso me agrada estão sentados.

poi restringe a seleção àqueles descritos na cláusula relativa. Este exemplo pode implicar que há muitos objetos (pessoas etc.) ao meu redor, mas com poi eu seleciono apenas os necessários.

Compare com:

ti noi le nu ke'a cisma cu pluka mi cu zutse Esses (que incidentalmente têm o sorriso que me agrada) estão sentados.

noi simplesmente adiciona informações incidentais que não são necessárias para determinar a que se refere ti (esses). Talvez não haja mais ninguém por perto para descrever.

Por fim, assim como nu tem o marcador de limite direito kei, temos:

ku'o
marcador de limite direito para poi, noi e voi.

mi tavla la .doris. noi ca zutse tu ku'o .e la .alis. noi ca cisma Eu converso com Doris, que está sentada ali, e Alice, que está sorrindo.

Observe que, sem ku'o, teríamos tu (ali) juntado com la .alis. (Alice), levando a um significado estranho:

mi tavla la .doris. noi ca zutse tu .e la .alis. noi ca cisma Converso com Doris, que agora está sentada ali e em cima de Alice (que agora sorri).

Observe a parte zutse tu .e la .alis..

Para poi, noi e voi, o marcador de limite direito ainda é o mesmo: ku'o.

Cláusulas relativas curtas. 'Sobre'

Às vezes, pode ser necessário anexar um argumento adicional a outro argumento:

mi djuno le vajni pe do Eu sei algo importante sobre você.

le vajni
alguma coisa importante

pe e ne são semelhantes a poi e noi, mas anexam argumentos a argumentos:

le pa penbi pe mi cu xunre A caneta que é minha é vermelha. (minha é essencial para identificar a caneta em questão)

le pa penbi ne mi cu xunre A caneta, que é minha, é vermelha. (informações adicionais)

ne
que é sobre, tem relação com… (segue um argumento)
pe
trata-se de, tem relação com… (segue um argumento)

le pa penbi ne mi ge'u .e le pa fonxa ne do cu xunre A caneta, que é minha, e o telefone, que é seu, são vermelhos.

ge'u
marcador de borda direita para pe, ne.

«be» e «pe»

Observe que as cláusulas relativas são anexadas a argumentos, enquanto be é parte da relação.

Na verdade, le bangu pe mi é uma tradução melhor para minha língua, pois, como em português, os dois argumentos estão relacionados de forma vaga.

No entanto, você pode dizer le birka be mi como meu braço. Mesmo que você corte seu braço, ele ainda será seu. É por isso que birka tem um lugar para o proprietário:

birka
é um braço de

Vamos mostrar novamente que uma construção com be é parte da relação, enquanto pe, ne, poi e noi se anexam a argumentos:

o telefone bonito para mim do amigo meu é grande.

Aqui, be mi está anexado à relação melbi = ser bonito para ... (alguém) e, assim, cria uma nova relação melbi be mi = ser bonito para mim. Mas pe le pa pendo be mi (do meu amigo) é aplicado a todo o argumento le pa melbi be mi fonxa (o telefone bonito para mim).

Também pode acontecer que precisemos anexar be a uma relação, transformar essa relação em um argumento e, em seguida, anexar pe a esse argumento:

le pa pendo be do be'o pe la .paris. cu stati O amigo seu que está relacionado a Paris é inteligente. (pe la .paris. está anexado a todo o argumento le pa pendo be do be'o)

le pu plicru be do bei le pa plise be'o pe la .paris. cu stati Quem te deu a maçã (e que está relacionado a Paris) é inteligente. (pe la .paris. está anexado a todo o argumento le pu plicru be do bei le pa plise be'o)

be'o
marcador de limite direito para a sequência de termos anexados com be e bei

Nesses dois exemplos, seu amigo tem alguma relação com Paris (talvez ele/ela seja de Paris).

Compare com:

le pa pendo be do pe la .paris. cu stati O amigo seu (você que está relacionado a Paris) é inteligente.

le pu plicru be do bei le pa plise pe la .paris. cu stati Quem te deu a maçã (a maçã que está relacionada a Paris) é inteligente.

Nos últimos dois exemplos, no entanto, ou você está relacionado a Paris ou a maçã.

Alice é uma professora’ e ‘Alice é a professora

Em português, o verbo ser/estar faz com que um substantivo funcione como um verbo. Em Lojban, até mesmo conceitos como gato (mlatu), pessoa (prenu), casa (dinju), lar (zdani) funcionam como verbos (relações) por padrão. Apenas os pronomes funcionam como argumentos.

No entanto, aqui estão três casos:

la .alis. cu ctuca Alice ensina.

la .alis. cu me le ctuca Alice é uma das professoras.

me
... está entre ..., ... é um dos ..., ... são membros de ... (argumento segue)

la .alis. ta'e ctuca Alice ensina habitualmente.

ta'e
partícula modal: o evento acontece habitualmente

la .alis. cu du le ctuca Alice é a professora.

du
... é idêntico a ...

A partícula me recebe um argumento após ela e indica que provavelmente existem outros professores, e Alice é uma entre eles.

A partícula du é usada quando Alice é, por exemplo, a professora que estávamos procurando ou falando sobre. Ela indica identidade.

Assim, me e du às vezes podem corresponder ao que em português expressamos usando o verbo ser/estar/era.

No Lojban, priorizamos o significado do que pretendemos dizer, em vez de depender de como é expresso literalmente em português ou em outras línguas.

Outros exemplos:

mi me la .bond. Eu sou o Bond.

mi du la .kevin. Eu sou o Kevin (aquele que você precisa).

ti du la .alis. noi mi ta'e zgana bu'u le panka Esta é a Alice, a quem eu vejo habitualmente no parque.

noi du e poi du são usados para introduzir nomes alternativos para algo. Eles correspondem ao português isto é, i.e.:

la .alis. cu penmi le prenu noi du la .abdul. Alice encontrou a pessoa, ou seja, Abdul.

Ao usar me, você pode conectar vários argumentos com e:

tu me le pendo be mi be'o .e le tunba be mi Esses são alguns (ou todos) dos meus amigos e meus irmãos.

tunba
é irmão de

do tunba mi
You are my sibling.

Relações com partículas modais

Podemos colocar uma partícula modal não apenas antes da construção principal da relação da frase, mas também no final dela, produzindo o mesmo resultado:

mi ca tcidu mi tcidu ca Eu (agora leio).

tcidu
ler (um texto)

Ao usar nu, criamos uma relação que descreve algum evento. Observe a diferença entre esses dois exemplos:

le nu tcidu ca cu nandu A leitura atual está complicada, difícil.

le nu tcidu cu ca nandu A leitura está agora complicada.

Outros exemplos:

mi klama le pa cmana pu Eu fui para a montanha. Eu vou para uma montanha (no passado).

le nu mi klama le pa cmana pu cu pluka O fato de eu ter ido para a montanha é agradável.

Também podemos colocar uma ou mais partículas modais como o primeiro elemento de uma construção de relação e, por exemplo, usar essa relação enriquecida em uma forma de argumento:

le pu kunti tumla ca purdi
O que era um deserto agora é um jardim.

le pu kunti tumla ca purdi O que era um deserto agora é um jardim.

pu pertence a le kunti tumla e ca pertence a purdi (já que le pu kunti tumla não pode adicionar ca no final).

Ter várias partículas modais em sequência não é um problema:

le pu ze'u kunti tumla ca purdi O que era um deserto por muito tempo agora é um jardim.

ze'u
termo modal: por muito tempo

Colocar partículas de termo após substantivos as vincula a relações externas:

le kunti tumla pu purdi
O deserto era um jardim.

le kunti tumla pu purdi (le kunti tumla) pu purdi O deserto era um jardim.

Novos argumentos a partir de slots da mesma relação

do plicru mi ti Você me concede isso.

mi se plicru ti do Isso me é concedido por você.

plicru
dá a algo para uso

Podemos trocar as duas primeiras posições na relação usando se e, assim, alterar a estrutura do lugar.

do plicru mi ti significa exatamente a mesma coisa que mi se plicru do ti. A diferença está apenas no estilo.

Você pode querer mudar as coisas para enfatizar diferentes aspectos, por exemplo, mencionar as coisas mais importantes em uma frase primeiro. Portanto, os pares a seguir têm o mesmo significado:

mi prami do Eu te amo.

do se prami mi Você é amado por mim.

le nu mi tadni la .lojban. cu xamgu mi Meu estudo de Lojban é bom para mim.

xamgu
... é bom para (alguém)

mi se xamgu le nu mi tadni la .lojban. Para mim, é bom estudar Lojban.

O mesmo pode ser feito quando relações são usadas para criar argumentos:

le plicru
aqueles que dão, os doadores
le se plicru
aqueles que são dados, os beneficiários dos presentes
le te plicru
aqueles objetos que são dados para uso, os presentes

te troca a primeira e a terceira posições das relações.

Como sabemos, quando adicionamos le antes de uma construção de relação, ela se torna um argumento. Portanto,

  • le plicru significa aqueles que poderiam se encaixar na primeira posição de plicru
  • le se plicru significa aqueles que poderiam se encaixar na segunda posição de plicru
  • le te plicru significa aqueles que poderiam se encaixar na terceira posição de plicru

Assim, em Lojban, não precisamos de palavras separadas para doador, destinatário e presente. Reutilizamos a mesma relação e economizamos muito esforço por causa desse design inteligente. Na verdade, não conseguimos imaginar um presente sem implicar que alguém o deu ou o dará. Quando fenômenos úteis estão interconectados, o Lojban reflete isso.

Mudando outros lugares nas relações principais

A série se, te, ve, xe (em ordem alfabética) consiste em partículas que trocam de lugar nas relações principais:

  • se troca o primeiro e o segundo lugares
  • te troca o primeiro e o terceiro lugares
  • ve troca o primeiro e o quarto lugares
  • xe troca o primeiro e o quinto lugares.

mi zbasu le pa stizu le mudri Eu fiz a cadeira com o pedaço de madeira.

zbasu
constrói, faz com
le pa stizu
a cadeira
le mudri
o pedaço de madeira

le mudri cu te zbasu le stizu mi O pedaço de madeira é do que a cadeira é feita por mim.

O mi agora foi movido para o terceiro lugar da relação e pode ser omitido se formos preguiçosos demais para especificar quem fez a cadeira ou se simplesmente não sabemos quem a fez:

le mudri cu te zbasu le stizu O pedaço de madeira é o material da cadeira.

Da mesma forma que nosso exemplo com le se plicru (o destinatário) e le te plicru (o presente), podemos usar te, ve, xe para derivar mais palavras de outros lugares das palavras de relação:

klama
vai para de via por meio de

Assim, podemos derivar que

le klama
o que chega / os que chegam
le se klama
o local de destino
le te klama
o local de origem do movimento
le ve klama
a rota
le xe klama
o meio de chegada

le xe klama e o quinto lugar de klama podem denotar qualquer meio de movimento, como dirigir um carro ou caminhar a pé.

se é usado com mais frequência do que as outras partículas para trocar de lugar.

Ordem livre de palavras: tags para papéis em relações

Normalmente, não precisamos de todos os espaços, lugares de uma relação, então podemos omitir os desnecessários substituindo-os por zo'e. No entanto, podemos usar tags de lugar para nos referirmos explicitamente a um espaço necessário. As tags de lugar funcionam como partículas modais, mas lidam com a estrutura de lugar das relações:

mi prami do é o mesmo que fa mi prami fe do Eu te amo.

  • fa marca o argumento que preenche o primeiro espaço de uma relação ()
  • fe marca o argumento que preenche o segundo espaço ()
  • fi marca o argumento que preenche o terceiro espaço ()
  • fo marca o argumento que preenche o quarto espaço ()
  • fu marca o argumento que preenche o quinto espaço ()

Mais exemplos:

mi klama fi le tcadu Eu vou da cidade.

fi marca le tcadu como o terceiro lugar de klama (a origem do movimento). Sem fi, a frase se tornaria mi klama le tcadu, significando Eu vou para a cidade.

mi pinxe fi le kabri é o mesmo que mi pinxe zo'e le kabri Eu bebo (algo) do copo.

pinxe
bebe do
le kabri
o copo, o cálice

le prenu cu pinxe fi le kabri
A pessoa bebe do copo.

mi tugni zo'e le nu vitke le rirni mi tugni fi le nu vitke le rirni Eu concordo (com alguém) sobre visitar os pais.

tugni
concorda com alguém sobre (proposição)
le rirni
o pai / os pais

Com as tags de lugar, podemos mover os lugares ao redor:

fe mi fi le plise pu plicru Alguém deu a maçã para mim.

Aqui,

  • le plise = a maçã, colocamos no terceiro lugar de plicru, o que é dado
  • mi = mim, colocamos no segundo lugar de plicru, o destinatário.

Como podemos ver no último exemplo, nem mesmo podemos refletir a ordem das palavras em sua tradução para o português.

O uso extensivo de tags de lugar pode tornar nossa fala mais difícil de entender, mas permite mais liberdade.

Ao contrário das séries se, usar etiquetas de lugar como fa não altera a estrutura do lugar.


Podemos usar etiquetas de lugar dentro de argumentos, colocando-as após be:

le pa klama be fi le tcadu cu pendo mi Aquele que vai para a cidade é meu amigo.


Também podemos colocar todos os argumentos de uma relação principal na frente da frase (preservando sua ordem relativa). Por causa dessa liberdade, podemos dizer:

mi do prami, que é o mesmo que mi do cu prami, que é o mesmo que mi prami do Eu te amo.

ko kurji ko é o mesmo que ko ko kurji Cuide de si mesmo.

As seguintes frases também têm o mesmo significado:

mi plicru do le pa plise Eu te dou a maçã.

mi do cu plicru le pa plise Eu te dou a maçã.

mi do le pa plise cu plicru Eu te dou a maçã.

Prenex

Prenex é um "prefixo" de relação, no qual você pode declarar variáveis para serem usadas posteriormente:

pa da poi pendo mi zo'u da tavla da Existe alguém que é meu amigo e que fala consigo mesmo

zo'u
separador de prenex
da
pronome: variável.

O pronome da é traduzido como existe algo/alguém... Se usarmos da pela segunda vez na mesma relação, ele sempre se refere à mesma coisa que o primeiro da:

mi djica le nu su'o da poi kukte zo'u mi citka da Eu gostaria que houvesse pelo menos algo saboroso para que eu possa comer.

su'o
número: pelo menos 1

Se a variável for usada na mesma relação e não em relações embutidas, você pode omitir o prenex completamente:

mi djica le nu su'o da poi kukte zo'u mi citka da mi djica le nu mi citka su'o da poi kukte Eu gostaria que houvesse pelo menos algo saboroso para que eu possa comer. Eu desejo que algo exista para que eu possa comer.

Ambos os exemplos têm o mesmo significado, em ambos os casos su'o da denota existe (existia/existirá) algo ou alguém.

No entanto, o prenex é útil e necessário quando você precisa usar da profundamente em sua relação, ou seja, dentro de relações embutidas:

su'o da poi kukte zo'u mi djica le nu mi citka da Existe algo saboroso: Eu gostaria de comê-lo, eu quero comê-lo. Existe algo saboroso que eu gostaria de comer.

Observe como o significado muda. Aqui, não podemos omitir o prenexo porque isso alteraria o significado do exemplo anterior.

Mais exemplos:

mi tavla Eu falo.

mi tavla su'o da mi tavla da Existe alguém com quem eu falo.

Por padrão, da como um pronome sozinho significa o mesmo que su'o da (existe pelo menos um(a) ...) a menos que um número explícito seja usado.

da tavla da Alguém fala consigo mesmo.

da tavla da da Alguém fala consigo mesmo sobre si mesmo.

tavla
fala com alguém sobre o assunto

pa da poi ckape zo'u mi djica le nu da na ku fasnu Existe uma coisa perigosa: Eu gostaria que isso nunca acontecesse.

da não implica em objetos ou eventos específicos, o que é frequentemente útil:

xu do tavla su'o da poi na ku slabu do Você fala com alguém que não é familiar para você? (nenhuma pessoa específica em mente é descrita).

.e'u mi joi do casnu bu'u su'o da poi drata Vamos discutir em outro lugar (nenhum lugar específico em mente)

Argumentos de existência

pa da poi me le pendo be mi zo'u mi prami da Existe alguém que é um amigo meu, tal que eu amo essa pessoa.

Como da é usado apenas uma vez, poderíamos ser tentados a eliminar o prenexo. Mas como devemos lidar com a oração relativa poi pendo mi (que é um amigo meu)?

Felizmente, em Lojban, há um atalho:

pa da poi me le pendo be mi zo'u mi prami da mi prami pa le pendo be mi Existe alguém que é um amigo meu, tal que eu amo essa pessoa.

Ambas as frases têm o mesmo significado.

Argumentos que começam com números como pa le pendo (existe alguém que é um amigo meu), ci le prenu (existem três pessoas) podem se referir a novas entidades toda vez que são usados. É por isso que

pa le pendo be mi ca tavla pa le pendo be mi Existe um amigo meu que fala com um amigo meu.

Esta frase não é precisa em dizer se é seu amigo falando consigo mesmo, ou se você está descrevendo dois amigos seus, onde o primeiro está falando com o segundo.

É mais razoável dizer:

le pa pendo be mi ca tavla ri O amigo meu está falando consigo mesmo.

ri
pronome: refere-se ao argumento anterior excluindo mi, do.

Aqui, ri se refere ao argumento anterior: le pa pendo como um todo.

Observe a diferença:

  • da significa há algo/alguém, da sempre se refere à mesma entidade quando usado mais de uma vez na mesma relação.
  • argumento como pa le mlatu (com um número simples) é similar a usar pa da poi me le mlatu, mas pode se referir a novas entidades cada vez que é usado.

mi nitcu le nu pa da poi mikce zo'u da kurju mi Eu preciso de um médico para cuidar de mim (implicando "qualquer médico serve").

pa da poi mikce zo'u mi nitcu le nu da kurju mi Há um médico que eu preciso para cuidar de mim.

Mais um exemplo:

le nu pilno pa le bangu kei na ku banzu Usar apenas uma das línguas não é suficiente.

pilno
… usa …
banzu
… é suficiente para o propósito …

Compare com:

le nu pilno le pa bangu kei na ku banzu Usar a língua (a que está em questão) não é suficiente.

Argumentos de existência são naturalmente usados dentro de relações internas e com tu'a:

mi djica le nu mi citka pa le plise Eu quero comer uma maçã, alguma maçã.

mi djica tu'a pa le plise Eu quero algo relacionado a uma maçã, alguma maçã (provavelmente, comê-la, talvez mastigá-la, lambê-la, jogá-la no seu amigo, etc.)

Observe a diferença:

mi djica tu'a le pa plise Eu quero algo relacionado à maçã (a maçã em questão).

Eu tenho um braço.’ ‘Eu tenho um irmão.

O verbo português ter tem vários significados. Vamos listar alguns deles.

pa da birka mi Eu tenho um braço. Há algo que é um braço meu

birka
é um braço de

Usamos a mesma estratégia para expressar as relações familiares:

pa da bruna mi mi se bruna pa da Alguém é meu irmão. Eu tenho um irmão. Há alguém que é meu irmão

re lo bruna be mi cu clani Tenho dois irmãos e eles são altos.

clani
é longo, alto

Portanto, não precisamos do verbo to have para denotar tais relacionamentos. O mesmo se aplica a outros membros da família:

da mamta mi mi se mamta da Eu tenho mãe.

da patfu mi mi se patfu da Eu tenho pai.

da mensi mi mi se mensi da Eu tenho uma irmã.

da panzi mi mi se panzi da Tenho um filho (ou filhos).

panzi
é filho, filho de

Observe que usar um número na frente de da não é necessário se o contexto for suficiente.


Outro significado de ter é manter:

mi ralte le pa gerku Eu tenho o cachorro. Eu estou com o cachorro. Eu fico com o cachorro

mi ralte le pa karce Eu estou com o carro.

ralte
mantém em sua posse

Se você possui, possui algo de acordo com alguma lei ou documento, você deve usar ponse:

mi ponse le karce Eu sou dono do carro. Eu estou com o carro.

pose
possui

Escopo

A ordem de

  • termos, começando com números,
  • termos modais, e
  • partículas modais de construções de relação,

é importante e deve ser lido da esquerda para a direita:

ci le pendo cu tavla re le verba São três amigos, cada um conversando com duas crianças.

O número total de crianças aqui pode chegar a seis.

Usando zo'u, podemos tornar nossa frase mais clara:

ci da poi me le pendo ku'o re de poi me le verba zo'u da tavla de Para três da que estão entre os amigos, para dois de que estão entre as crianças: da conversa com de.

Aqui, vemos que cada um dos amigos fala com duas crianças, e podem ser crianças diferentes a cada vez, com até seis filhos no total.

Como então podemos expressar a outra interpretação, na qual estão envolvidas apenas duas crianças? Não podemos simplesmente inverter a ordem das variáveis no prenex para:

re de poi me le verba ku'o ci da poi me le pendo zo'u da tavla de Para dois de que estão entre os filhos, para três da que estão entre os amigos, da conversa com de

Embora tenhamos agora limitado o número de filhos a exactamente dois, acabamos por ter um número indeterminado de amigos, que varia entre três e seis. Esta distinção é chamada de “distinção de escopo”: no primeiro exemplo, ci da poi me le pendo é considerado como tendo um escopo mais amplo do que re de poi me le verba e, portanto, o precede no prenex. No segundo exemplo, o inverso é verdadeiro.

Para tornar o escopo igual, usamos uma conjunção especial ce'e conectando dois termos:

ci da poi me le pendo ce'e re de poi me le verba cu tavla ci le pendo ce'e re le verba cu tavla Três amigos [e] dois filhos, conversem.

Este escolhe dois grupos, um de três amigos e outro de duas crianças, e diz que cada um dos amigos fala com cada uma das crianças.

A ordem também é importante, pois as partículas modais também modificam as construções das relações principais:

mi speni Sou casado, tenho esposa ou marido.

mi co'a speni Eu vou me casar.

mi mo'u speni Sou viúvo.

você
term: o evento está concluído

Agora compare:

mi mo'u co'a speni Sou recém-casado. Acabei de me tornar uma pessoa casada.

mi co'a mo'u speni Fiquei viúvo. Eu estou terminando de me casar.

Se houver várias partículas modais em uma frase, a regra é que as leiamos da esquerda para a direita juntas, pensando nisso como uma chamada jornada imaginária. Começamos em um ponto implícito no tempo e no espaço (o “agora e aqui” do falante se nenhum argumento estiver anexado à direita) e depois seguimos os modais um após o outro, da esquerda para a direita.

Vamos dar mi mo'u co'a speni.

mo'u significa que um evento foi concluído. Qual evento? O evento co'a speni — casar. Portanto, mi mo'u co'a speni significa Eu termino o processo de me casar, ou seja, Sou recém-casado.

Nesses casos, dizemos que co'a speni está dentro do “escopo” de mo'u.

frase
cabeça
mi
cauda
mo'u
co'a
speni

Em mi co'a mo'u speni, a ordem dos eventos é diferente.

Primeiro, é dito que um evento começou (co'a), depois é afirmado que é um evento de terminar de ser casado. Portanto, mi co'a mo'u speni significa eu fico viúvo(a).

Podemos dizer que aqui mo'u speni está dentro do "escopo" de co'a.

Outro exemplo:

mi co'a ta'e citka Eu começo a comer habitualmente.

mi ta'e co'a citka Eu habitualmente começo a comer.

Exemplos com tempos simples:

mi pu ba klama le cmana Isso aconteceu antes de eu ir para a montanha. Eu no passado: no futuro: ir para a montanha.

mi ba pu klama le cmana Isso acontecerá depois de eu ir para a montanha. Eu no futuro: no passado: ir para a montanha.

A regra de ler os termos da esquerda para a direita pode ser substituída conectando partículas modais com a conjunção ce'e:

mi ba ce'e pu klama le cmana Eu fui e irei para a montanha. Eu no futuro e no passado: ir para a montanha.

mi cadzu ba le nu mi citka ce'e pu le nu mi sipna Eu ando depois de comer e antes de dormir.

Partículas modais + «da» + argumentos que começam com números

Assim como com termos modais, a posição de da importa:

mi ponse da Há algo que eu possuo.

mi co'u ponse da Eu perdi toda a minha propriedade.

ponse
possui
co'u
termo modal: o evento para

Isso pode parecer um exemplo confuso. Aqui, uma pessoa foi capaz de dizer Eu possuo algo. Mas então, para tudo o que a pessoa possuía, essa situação acabou.

Outro exemplo:

ro da vi cu cizra Tudo é estranho aqui. Toda coisa aqui estranha

vi
aqui, a uma curta distância
cizra
é estranho

vi ku ro da cizra Aqui, tudo é estranho. Aqui: toda coisa estranha

Você percebeu a diferença?

  1. Tudo é estranho aqui significa que se algo não é estranho em algum lugar, ele se torna estranho neste lugar.
  2. Aqui, tudo é estranho simplesmente descreve aqueles objetos ou eventos que estão aqui (e eles são estranhos). Não sabemos nada sobre outros em outros lugares.

vi ku ro da cizra.
Aqui, tudo é estranho.

Outro exemplo com um termo de argumento começando com um número:

pa le prenu ta'e jundi Existe uma pessoa que está habitualmente atenta.

— é a mesma pessoa que está atenta.

ta'e ku pa le prenu cu jundi Acontece habitualmente que existe uma pessoa que está atenta.

— sempre é aquela pessoa que está atenta. As pessoas podem mudar, mas sempre há uma pessoa atenta.

Argumentos genéricos. 'Eu gosto de gatos (em geral)'. Conjuntos

mi nelci le'e mlatu Eu gosto de gatos.

Vimos que le é geralmente traduzido como o português o/a/os/as. No entanto, em alguns casos, podemos querer descrever um objeto ou evento típico que melhor exemplifica um tipo de objeto ou evento em nosso contexto. Nesse caso, substituímos le por le'e:

mi nelci le'e badna .i mi na ku nelci le'e plise Eu gosto de bananas. Eu não gosto de maçãs.

Eu posso não ter bananas ou maçãs em mãos. Estou simplesmente falando sobre bananas e maçãs como eu entendo, lembro ou defino.

Para fazer um termo de argumento que descreva o conjunto de objetos ou eventos (do qual derivamos tal elemento típico), usamos a palavra le'i:

le danlu pendo pe mi cu mupli le ka ca da co'a morsi kei le'i mabru Meu animal de estimação é um exemplo de que em algum momento os mamíferos morrem.

danlu
é um mamífero
morsi
está morto
co'a morsi
morre
ca da
em algum ponto no tempo
mupli
é um exemplo de (propriedade) entre (conjunto)

Dicionários especificam espaços de relações que devem ser preenchidos com conjuntos.

Massas

lei prenu pu sruri le jubme As pessoas cercaram a mesa. A massa de pessoas cercou a mesa.

lei prenu cu sruri le jubme
As pessoas cercaram a mesa.

Usamos lei em vez de le para mostrar que a massa de objetos é relevante para a ação, mas não necessariamente cada um desses objetos individualmente. Compare:

le prenu pu smaji As pessoas estavam em silêncio.

lei prenu pu smaji A multidão estava em silêncio.

le prenu
a pessoa, as pessoas
lei prenu
a multidão, o grupo de pessoas
smaji
está em silêncio

le since cu sruri le garna As cobras cercaram a vara. Cada uma das cobras cercou a vara.

— aqui, cada cobra provavelmente cercou a vara enrolando-se ao redor dela.

lei since cu sruri le garna As cobras cercaram a vara. As cobras, como um grupo, cercaram a vara.

— aqui, não nos importamos com as cobras individuais, mas afirmamos que as cobras, como um grupo, cercaram a vara.

le pa since cu sruri le prenu
A cobra cercou a pessoa.

lei re djine cu sinxa la .lojban. Os dois anéis são um símbolo do Lojban.

na ku re le djine cu sinxa la lojban Não é verdade que cada um dos dois anéis seja um símbolo do Lojban.

djine
é um anel

De fato, apenas os dois anéis juntos formam um símbolo.

Considere a seguinte frase:

As maçãs são pesadas.

Isso significa que cada maçã é pesada, ou significa que elas são pesadas quando consideradas em conjunto?

No Lojban, podemos facilmente distinguir entre esses dois casos:

le ci plise cu tilju Cada uma das três maçãs é pesada.

le plise cu tilju Cada uma das maçãs é pesada.

lei ci plise cu tilju As três maçãs são pesadas em total. (de modo que cada maçã pode ser leve, mas juntas elas são pesadas)

tilju
é pesado

Como você pode ver, há uma diferença importante entre descrever um objeto dentro de um grupo e descrever o grupo em si.

Números em lugares

le ci plise cu grake li pa no no Cada uma das três maçãs pesa 100 gramas.

lei ci plise cu grake li pa no no As três maçãs pesam 100 gramas no total. (de modo que cada maçã pesa ≈ 33 gramas em média)

grake
pesa (número) gramas

Quando um lugar de uma relação requer um número conforme mencionado no dicionário, então, para usar esse número, o prefixamos com a palavra li.

li é um prefixo que indica que um número, um carimbo de data e hora ou alguma expressão matemática está chegando.

li mu no Número 50.

Um simples mu no que não é prefixado por li seria usado para denotar 50 objetos ou eventos.

Lição 3. Citações. Perguntas. Interjeições

«sei»: comentários sobre o texto

A partícula sei permite inserir um comentário sobre nossa atitude em relação ao que é dito em uma relação:

do jinga sei mi gleki Você venceu! (Estou feliz com isso!)

No entanto:

do jinga sei la .ian. cu gleki Você venceu! (E Yan está feliz com isso!)

Assim como nos argumentos formados usando le, a relação formada com sei deve terminar em uma construção de relação.

la .alis. cu prami sei la .bob. cu gleki la .kevin.

Vamos adicionar parênteses para facilitar a leitura.

la .alis. cu prami (sei la .bob. cu gleki) la .kevin. Alice ama (Bob está feliz) Kevin. Alice ama Kevin (Bob está feliz).

É claro que podemos adicionar mais argumentos à relação com be e bei, assim como fazemos dentro dos termos de argumento:

do jinga sei mi zausku be fo la fircku Você venceu! (Vou postar parabéns no Facebook)

la fircku
Facebook
zausku
elogia para a audiência por meio

Aspas

Para citar um texto, colocamos a partícula de citação lu antes da citação e colocamos li'u depois dela. O resultado é um argumento que representa o texto citado:

mi cusku lu mi prami do li'u Eu digo "Eu te amo".

cusku
expressa/diz (citação) para a audiência

Uma característica interessante do Lojban é que as marcas lu — «citação» e li'u — «desmarcação» são pronunciáveis. Isso é bastante útil, pois, no Lojban falado, você não precisa mudar a entonação para mostrar onde um texto citado começa e termina.

No entanto, em texto escrito que cita uma conversa, o autor frequentemente chama a atenção do leitor para o conteúdo das citações. Nesses casos, sei é preferido.

Também podemos aninhar citações, por exemplo:

la .ian. pu cusku lu la .djein. pu cusku lu coi li'u mi li'u Yan disse: "Jane disse 'Olá' para mim".

que é similar a

la .ian. pu cusku lu la .djein. pu rinsa mi li'u Yan disse: "Jane me cumprimentou".

rinsa
cumprimenta alguém

le prenu cu rinsa mi
A pessoa me cumprimenta.

Observe que em Lojban, distinguimos coisas e seus nomes:

lu le munje li'u cu cmalu "O universo" é pequeno.

le munje na ku cmalu O universo não é pequeno.

le munje
o universo, mundo

Aqui, o texto "o universo" é pequeno, enquanto o universo não é.


Interjeições e vocativos funcionam como construções sei:

je'u mi jinga sei ra cusku Verdadeiramente, ele disse: "Eu venci".

je'u
interjeição: verdadeiramente

Como você pode ver, je'u não faz parte das palavras dele. Ele representa sua atitude em relação à relação. Se você quiser citar "je'u mi jinga", use aspas assim:

lu je'u mi jinga li'u se cusku ra "Verdadeiramente, eu venci", ele disse.

Percebe a diferença entre os dois exemplos?

Aqui estão várias palavras de relação comuns relacionadas à fala:

ra pu retsku lu do klama ma li'u Ela perguntou: "Para onde você vai?"

mi pu spusku lu mi klama le zdani li'u Eu respondi: "Eu estou indo para casa."

mi pu spuda le se retsku be ra le ka spusku lu mi klama le zdani li'u Eu respondi à pergunta dela dizendo: "Eu estou indo para casa."

spuda
responde a fazendo (propriedade de )

As outras três palavras de relação têm a mesma estrutura de lugares:

cusku
expressa/diz (citação) para a audiência
retsku
pergunta a (citação) para a audiência
spusku
responde/diz a resposta (citação) para a audiência

«zo» — citando uma palavra

zo é um marcador de citação, similar a lu. No entanto, zo cita apenas uma palavra imediatamente após ele. Isso significa que não é necessário uma palavra de desmarcação como li'u; já sabemos onde a citação termina. Fazendo isso, economizamos duas sílabas e tornamos nosso discurso mais conciso.

zo .robin. cmene mi "Robin" é meu nome. Meu nome é Robin.

cmene
(citação) é um nome de ...

Para se apresentar em Lojban usando seu nome em Lojbanizado, siga o exemplo acima. Se o seu nome consistir em mais de uma palavra, use lu ... li'u:

lu .robin.djonsyn. li'u cmene mi Robin Johnson é meu nome.

Outra abordagem é usar me:

mi me la .robin.djonsyn. Eu sou Robin Johnson.

Observe a diferença: "Robin" entre aspas é um nome citado, enquanto Robin é uma pessoa.

Para mostrar isso melhor, aqui está uma variação boba:

zo .robin. cmene la .robin. "Robin" é o nome de Robin. "Robin" é um nome de Robin.

O primeiro lugar de cmene é uma citação, um texto. Portanto, usamos lu ... li'u ou zo para criar uma citação e preencher o primeiro lugar de cmene com ela, em vez de la (prefixo para nomes).

Verbos de fala

Aqui estão algumas relações que descrevem a fala:

mi pu skicu le purdi le pendo be mi lo ka bredi Eu contei ao meu amigo sobre meu jardim estar pronto.

skicu
conta sobre (objeto/evento/estado) para com descrição (propriedade)
bredi
... está pronto para ...

mi pu cusku lu le purdi cu bredi li'u le pendo be mi lo ka cladu bacru Eu disse ao meu amigo: "O jardim está pronto", ao pronunciá-lo em voz alta.

cusku
diz (texto) para a audiência através do meio
cladu
... é alto

mi pu tavla le pendo be mi le nu le purdi cu bredi kei le lojbo Eu conversei com meu amigo em Lojban sobre o jardim estar pronto.

tavla
conversa com sobre o assunto na língua

Em resumo:

  • skicu significa contar, descrever com alguma descrição,
  • cusku significa dizer algum texto,
  • tavla significa conversar em uma língua.

Perguntas de conteúdo

O português tem várias palavras de pergunta — quem, que, onde etc. Em Lojban, para ambos usamos uma palavra: ma. Essa palavra é um argumento (como mi, le prenu etc.) e é como uma sugestão para preencher o lugar vazio. Por exemplo:

— do klama ma — la .london. — Para onde você está indo? — Londres.

— ma klama la .london. — la .kevin. — Quem está indo para Londres? — Kevin.

— mi plicru do ma — le plise — Eu te dou o quê? (provavelmente significa O que era para eu te dar?) — A maçã.

Para traduzir qual/que, também usamos ma:

— ma gugde gi'e se xabju do — le gugde'usu — Em qual país você mora? — EUA — O que é um país e é habitado por você — EUA

xabju
… (alguém) habita … (algum lugar)
se xabju
… (algum lugar) é habitado por … (alguém)

mo é similar a ma, mas é uma palavra de relação.

mo sugere preencher uma relação em vez de um argumento. É como perguntar O que X faz? ou O que é X? em português (Lojban não obriga a distinguir entre ser e fazer).

Podemos entender mo como pedir para alguém descrever a relação entre os argumentos na pergunta.

— do mo — Como você está? O que está acontecendo? — Você é o quê, você faz o quê?

Esta é a forma mais comum de perguntar Como você está? ou Oi? em Lojban. Algumas respostas possíveis:

— mi gleki — Estou feliz.

gleki
está feliz

— mi kanro — Estou saudável.

mi tatpi Estou cansado.

mi gunka Estou trabalhando.

Outra forma de perguntar Como você está?:

— do cinmo le ka mo — Como você se sente (emocionalmente)?

cinmo
sente (propriedade de )

Outros exemplos:

ti mo O que é isso?

la .meilis. cu mo Quem é Mei Li? / O que é Mei Li? / O que Mei Li está fazendo?

Possíveis respostas dependendo do contexto:

  • ninmu: Ela é uma mulher.
  • jungo: Ela é chinesa.
  • pulji: Ela é uma policial.
  • sanga: Ela é uma cantora ou Ela está cantando.

do mo la .kevin. O que você é para o Kevin? Você é o quê (você faz o quê) para o Kevin.

A resposta depende do contexto. Possíveis respostas para essa pergunta são:

  • nelci: Eu gosto dele.
  • pendo: Eu sou amigo dele.
  • prami: Eu adoro/estou apaixonado por ele.
  • xebni: Eu odeio ele.
  • fengu: Estou com raiva dele.
  • cinba: Eu beijei ele.

Note novamente que o tempo não é importante aqui: assim como cinba pode significar beijar, beijou, vai beijar e assim por diante, mo não faz uma pergunta sobre um tempo específico.

Se quisermos diferenciar entre fazer e ser alguém ou algo, usamos relações adicionais:

la meilis cu zukte ma Mei Li faz o quê? O que Mei Li faz?

le ka lumci limpeza.

la meilis cu zukte le ka lumci Mei Li está fazendo limpeza.

zukte
faz (propriedade de )

lumci :... limpa ou lava... (alguma coisa)

<pixra url="/assets/pixra/cilre/lumci.webp" caption="ra lumci le zdani" definição="Ela limpa a casa.">

do du ma Você é quem?

mi du le ctuca Eu sou o professor.

Usar termos modais com ma pode nos dar outras perguntas úteis:

palavra significado [literalmente]
ca ma Quando? durante o quê
bu'u ma Onde? em quê
ma prenu gi'e … Quem? quem é uma pessoa e …
ma dacti gi'e O quê? (sobre objetos) o que é um objeto e …
ri'a ma Por quê? por causa de quê
pe ma De quem? Qual? Sobre o quê? pertencente a quê ou a quem
le mlatu poi mo Qual gato? Que tipo de gato?

pe ma é anexado apenas a argumentos:

le penbi pe ma cu zvati le jubme De quem é a caneta em cima da mesa?

Perguntas de número

le xo prenu cu klama ti Quantas pessoas estão vindo aqui?

mu Cinco.

A palavra xo significa Quantos? e, portanto, pergunta por um número. A resposta completa será:

le mu prenu cu klama ti As 5 pessoas estão vindo para este lugar.

A pessoa que está sendo perguntada deve colocar um valor apropriado no lugar de xo.

Aqui estão mais alguns exemplos:

le xo botpi cu kunti Quantas garrafas estão vazias?

do ralte le xo gerku Quantos cachorros você tem?

Verbos de fatos

Considere o exemplo:

mi djuno le du'u do stati Eu sei que você é inteligente.

djuno
sabe (proposição) sobre

mi jimpe le du'u do pu citka Eu entendo que você estava comendo.

jimpe
compreende (proposição) sobre

mi na jimpe
Eu não entendo.

Em lugares que descrevem fatos, a partícula du'u é usada (em vez de nu).

djuno (saber) e jimpe (entender) descrevem fatos. Seria ilógico dizer, Eu entendo que você estava comendo, mas na verdade, você não estava.

Observe que a relação iniciada com du'u não precisa ser verdadeira:

le du'u do mlatu cu jitfa Que você é um gato é falso.

jitfa
(proposição) é falso

Quando você deve usar du'u e quando deve usar nu? Você pode consultar o dicionário:

  • O rótulo (du'u) ou (proposição) marca os lugares onde du'u é recomendado.
  • O rótulo (nu) ou (evento) marca os lugares onde nu é recomendado.

Se você usar nu em vez de du'u por engano, ainda será compreendido. No entanto, falantes fluentes de Lojban geralmente distinguem entre essas partículas.

Perguntas indiretas

mi djuno le du'u ma kau tadni la .lojban. Eu sei quem está estudando Lojban.

Isso é chamado de pergunta indireta. A palavra quem aqui não é um pedido de informação, e não há ponto de interrogação. A resposta é presumida e, na verdade, você mesmo sabe a resposta para a pergunta Quem está aprendendo Lojban?

kau é uma interjeição que colocamos após uma palavra interrogativa para indicar que é uma pergunta indireta.

Se eu te fizer a pergunta ma tadni la .lojban., você sabe qual valor preencher no espaço ma: la .kevin. Então você poderia simplesmente dizer

ma tadni la .lojban. Quem está estudando Lojban?

mi djuno le du'u ma kau tadni la .lojban. Eu sei quem está estudando Lojban. Eu sei a identidade da pessoa que está estudando Lojban.

mi djica le nu ma tadni la .lojban. Quem eu quero que estude Lojban? Eu quero que quem estude Lojban?

Isso nunca pode ser uma pergunta indireta: está pedindo uma resposta (mesmo que seja retoricamente).

Você pode colocá-lo após outras palavras interrogativas:

mi djuno le du'u le xo kau prenu cu tadni la .lojban. Eu sei quantas pessoas estudam Lojban.

Citações indiretas (discurso relatado): ‘Eu disse que viria.

Uma relação como Alice disse, "Michelle disse, 'Olá' para mim" também pode ser expressa de uma forma mais sutil:

la.alis. pu cusku zo'e pe le nu la .micel. pu enxagua la .alis. Alice disse algo sobre Michelle cumprimentá-la antes. Alice disse algo sobre o caso de Michelle cumprimentá-la.

Alternativamente, você pode torná-lo mais curto:

la.alis. pu cusku le se du'u la .micel. pu enxagua la .alis. Alice disse que Michelle a cumprimentou.

A combinação se du'u permite a expressão do discurso indireto.

Aqui estão alguns exemplos de relações úteis para discurso relatado:

le ninmu pu retsku le se du'u mi klama ma kau Ela perguntou onde eu estava indo.

mi pu spusku le se du'u mi klama le zdani Eu respondi que estava indo para casa.

mi pu spuda le se retsku be le ninmu le ka spusku le se du'u mi klama le zdani Eu respondi à pergunta dela dizendo que estava indo para casa.

Perguntas no discurso relatado:

mi pu cusku le se du'u ma tadni la .lojban. Quem eu disse que está estudando Lojban? Eu perguntei quem está estudando Lojban?

Assim, Lojban tem várias palavras para que …, dependendo do tipo de coisa que se quer dizer.

  • Se que … descreve o que pode ser visto, ouvido ou o que acontece, use nu.
  • Se que … descreve o que você pensa, algum fato ou informação, use du'u.
  • Se que … descreve o que você diz, use se du'u.
    • Mas se você precisar de uma citação literal, use lu … li'u.

Interjeições emocionais: "Uhu!" = «ui», "Concordo!" = «ie», "Ufa!" = «.o'u»

Conhecemos essas interjeições como ui (Uhu!), .a'o (Eu espero).

do jinga ui Você venceu! (Estou feliz com isso!)

ui
interjeição: Uhu!, interjeição de felicidade

ui mi jinga
Yay! Eu venci!

Interjeições funcionam como sei com suas relações. ui significa o mesmo que sei mi gleki, então também poderíamos dizer Você venceu sei mi gleki, com o mesmo significado (embora seja um pouco mais longo).

Existem interjeições que expressam outros estados emocionais. Elas são semelhantes a emoticons como ;-) ou :-(, mas em Lojban, podemos ser mais específicos sobre nossas emoções, mantendo a concisão em nossa fala.

ie tu mlatu Sim, isso é um gato.

ie nai .i tu na ku mlatu Não, eu não concordo. Isso não é um gato.

ie
interjeição: Sim! Concordo! (concordância)
ie nai
interjeição: discordância

.ai mi vitke do Eu vou te visitar.

.ai
interjeição: Eu vou … (intenção)

.au do kanro Eu desejo que você esteja saudável.

.au
interjeição de desejo

mi clira klama
Eu cheguei cedo.

.a'o do clira klama Eu espero que você chegue cedo.

.a'o
interjeição: Eu espero
clira
acontece cedo

.ei mi ciska le xatra ti voi pelji ku'o le penbi
Eu devo escrever a carta neste papel usando a caneta.

.ei mi ciska le xatra le pelji le penbi Eu devo escrever a carta no papel usando a caneta.

.ei
Eu devo … (obrigação)
ciska
escreve em meio

.i'e do pu gunka le vajni Muito bem! Você fez um trabalho importante.

.i'e
interjeição: Ótimo! (aprovação)

.o'u tu mlatu Ah, isso é apenas um gato.

.o'u
interjeição: Ufa! (alívio)

Nesse caso, você provavelmente pensou que era algo perigoso, mas é apenas um gato, então você está dizendo .o'u.

.u'i ti zmitci Ha-ha, isso é um robô.

.u'i
interjeição: Ha-ha! (diversão)
zmitci
… é uma ferramenta automática

Você pode adicionar ou remover interjeições de uma frase sem correr o risco de quebrá-la.

Qualquer palavra que comece com uma vogal pura (excluindo u e i antes de vogais) é prefixada com um ponto em Lojban na escrita e com uma pausa na fala. Portanto, a grafia correta é .a'o e assim por diante. É comum omitir os pontos na escrita. No entanto, ao falar, você deve sempre mostrar esse ponto fazendo uma pequena pausa antes de dizer tal palavra para evitar a fusão de duas palavras vizinhas em uma só.

Como com xu ou sei-relações, podemos adicionar interjeições após qualquer argumento ou construção de relação, expressando assim nossa atitude em relação àquela parte da frase.

Interjeições de urgência

Um grupo especial de interjeições "imperativas/hortativas" é usado para instigações, comandos e pedidos. Já encontramos .e'o:

.e'o mi ciksi da poi mi cusku djica Por favor, deixe-me explicar o que quero dizer.

.e'o
interjeição: Por favor ... (pedido)

— au mi klama le nenri — .e'a — Eu gostaria de entrar. — Por favor, entre.

.e'a
interjeição: Eu permito, você pode ... (permissão)
le nenri
o interior, o que está dentro

.e'ei do zukte Vamos lá, faça isso!

.e'ei
interjeição: Vamos lá! (encorajamento, instigação, provocação). Palavra não oficial

.e'i do zutse doi le verba Sente-se, criança!

.e'i
interjeição: Faça isso! (comando)

.e'u do pinxe le jisra Sugiro que você beba o suco. É melhor beber o suco.

.e'u
interjeição: Vamos ... (sugestão)

«ko» para urgências rápidas

do bajra Você corre.

bajra Alguém corre.

Em Lojban, bajra como uma frase significa Alguém corre (ou está correndo / corria, dependendo do contexto). bajra também pode significar um comando, Corra!, mas às vezes o contexto não é suficiente para determinar se é um incentivo para correr ou simplesmente uma afirmação de que alguém corre ou está correndo.

O pronome ko é usado em vez de do para fazer pedidos, sugestões ou comandos:

ko bajra Corra! Faça isso para que você corra!

ko é uma alternativa mais vaga para do .e'o, do .e'u, do .e'i.

É perfeitamente aceitável dizer algo mais preciso, como:

do .e'o bajra Você, por favor, corra!

colocando a ênfase em nossa cortesia em do (você).

Ao mover ko em uma relação, o comando/pedido é movido para essa parte. Por exemplo:

nelci ko Faça com que alguém goste de você!

nelci
... gosta de ... (algo ou alguém)

Como você pode ver, precisamos reestruturar essa relação em português, o que ainda soa estranho. No entanto, você poderia usá-lo em Lojban no sentido de Tente causar uma boa impressão.

Observe que prami corresponde ao verbo em português amar, enquanto nelci corresponde ao verbo em português gostar.

Podemos até ter vários ko em uma única frase:

ko kurji ko Cuide de si mesmo.

kurji
...cuida de... (alguém ou algo)

Interjeições discursivas

au mi citka le salta .e ji'a le grute Eu gostaria de comer a salada e também as frutas.

ji'a
adicionalmente, também, significa que existem outras pessoas que também são iguais (você, neste caso) ou que fazem o mesmo
salta
...é uma salada
grute
...é uma fruta

mi si'a nelci do Eu também gosto de você

— mi nelci le'e mlatu — mi si'a nelci le'e mlatu — Eu gosto de gatos. — Eu também gosto de gatos (Eu também).

si'a
similarmente, também, denota que algo é semelhante, embora seja diferente em outros aspectos não mencionados

Estrutura das interjeições: «nai», «sai», «pei», «dai»

As interjeições podem consistir em:

  1. a raiz, como ui (Uau!)
  2. após ela, sufixos como pei, dai, zo'o:

ui zo'o Uau! (brincadeira, eu não estou realmente feliz)

  1. tanto a raiz quanto cada um dos sufixos podem ser modificados com partículas escalares como nai:

ui nai Ai!

ui nai zo'o Ai! (brincadeira, eu não estou falando sério sobre esse sentimento)

ui nai zo'o nai Ai, não estou brincando, estou me sentindo infeliz

Alguns exemplos de como as partículas escalares funcionam.

  • ju'o = interjeição: tenho certeza (certeza)
  • ju'o cu'i = interjeição: talvez, possivelmente (incerteza)
  • ju'o nai = interjeição: não faço ideia!

Exemplos comuns de interjeições:

  • uma interjeição formada apenas pela raiz:

ju'o le bruna co'i klama Tenho certeza de que o irmão veio.

  • a partícula escalar cu'i transforma uma interjeição de raiz nua em uma atitude intermediária:

ju'o cu'i le bruna co'i klama Talvez o irmão tenha vindo, não tenho certeza.

  • a partícula escalar nai transforma a interjeição em uma atitude oposta:

ju'o nai le bruna co'i klama Talvez o irmão tenha vindo, talvez não, não faço ideia.

Da mesma forma, ui é Whee! Yay!, enquanto ui nai significa Ai!

Os significados precisos das interjeições que são significativas com suas partículas escalares cu'i e nai são fornecidos no dicionário.

  • A partícula escalar sai denota uma intensidade forte da interjeição:

.u'i sai Ha-ha-ha!

Vocativos também podem ser modificados com partículas escalares:

ki'e sai do Muito obrigado!

Sufixos são adicionados após a raiz da interjeição (juntamente com suas partículas escalares, se as usarmos):

  • O sufixo de interjeição pei transforma a interjeição em uma pergunta.

— .au pei do .e mi klama le zarci — .au cu'i — Você quer que você e eu vamos à loja? — Meh, eu não tenho preferências.

— ie pei tu melbi — ie — Aquela é bonita, não é? — Sim.

  • O sufixo de interjeição dai mostra os sentimentos dos outros, não os sentimentos do falante:

ui nai dai do na ku co'i jinga Você deve estar triste, você não ganhou.

.a'u Isso é interessante!

.a'u dai Isso deve ter sido interessante para você!

  • Interjeições simples expressam a atitude do falante. ei do cliva não significa Você deve sair, mas sim Sinto a obrigação de você sair. dai mostra que o falante está se colocando no lugar dos sentimentos de outra pessoa.

.ei dai do cliva Você sente a obrigação de você mesmo sair.

Observe que as interjeições não necessariamente mostram atitude em relação aos próprios falantes. Em vez disso, elas expressam a atitude dos falantes em relação a outras coisas.

  • O sufixo de interjeição zo'o marca a atitude como não sendo séria:

.e'u zo'o do pinxe ti Eu sugiro que você beba isso (brincadeira).

  • Sufixos também podem ser modificados com partículas escalares:

ie zo'o nai Eu concordo (sem brincadeira).

  • zo'o nai é usado para mostrar que a informação não é uma piada:

zo'o nai ra pu klama la .paris. — Eu estou falando sério, ele foi para Paris.

  • Sufixos podem ser usados por si só:
  • pei quando usado sozinho pede qualquer interjeição que o ouvinte considere apropriada:

— pei le lunra cu crino — .ie nai — A lua é verde (qual é o seu sentimento sobre isso?) — Discordo.

  • Para outros sufixos, significa que a interjeição raiz ju'a (Eu afirmo) foi omitida:

zo'o do kusru ju'a zo'o do kusru Você é cruel (brincadeira).

ju'a
interjeição: Eu afirmo (não confunda com ju'o (Eu tenho certeza))

Apenas para referência: interjeições em tabelas

Aqui está uma visão mais abrangente: interjeições emocionais, de urgência e várias outras por série.

.au
Desejo...
.ai
Eu vou...
.ei
Deveria ser...
.oi
Ai!
.au cu'i
meio assim
indiferença
.ai cu'i
indecisão
.ei cu'i .oi cu'i
.au nai
Não!
desinteresse, relutância
.ai nai
acidentalmente
.ei nai
liberdade, como as coisas podem não precisar ser
.oi nai
prazer
Emoção
ua
"uá" como em "uva", "uma vez"
Aha! Eureka!
ue
"uê" como em "uva"
Que surpresa!
ui
"uí" como "ui"
Viva!
uo
"uô" como em "umbigo", "ué"
Voilà!
uu
"uú" como "u"
Coitadinho
ua cu'i
 
ue cu'i
Não estou realmente surpreso
ui cu'i
 
uo cu'i
 
uu cu'i
 
ua nai
Ah! Eu não entendo!
confusão
ue nai
expectativa, falta de surpresa
ui nai
Ai!
sentindo-se infeliz
uo nai
sentindo-se incompleto
uu nai
Mwa ha ha!
crueldade
Emoção
ia
"yah" como em "yard"
Acredito
ie
"yeh" como em "yes"
sim! concordo!
ii
"yeeh" como em "hear ye"
ai!
io
"yoh" como em "yogurt"
respeito
iu
"yooh" como em "cute, dew"
Eu amo isso
ia cu'i
 
ie cu'i
 
ii cu'i
 
io cu'i
 
iu cu'i
 
ia nai
Pshaw!
descrença
ie nai
discordância
ii nai
Me sinto seguro
io nai
desrespeito
iu nai
ódio
Emoção
.u'a
"oohah" como em "two halves"
ganho
.u'e
"ooheh" como em "two heads"
que maravilha!
.u'i
"ooheeh" como em "two heels"
hahaha!
.u'o
"oohoh" como em "two hawks"
coragem
.u'u
"oohooh" como em "two hoods"
desculpe!
.u'a cu'i
 
.u'e cu'i
 
.u'i cu'i
 
.u'o cu'i
timidez
.u'u cu'i
 
.u'a nai
perda
.u'e nai
Pff!
comum
.u'i nai
Blah
cansaço
.u'o nai
covardia
.u'u nai
 
Atitude
.i'a
"eehah" como em "teahouse"
ok, eu aceito isso
.i'e
"eeheh" como em "teahead"
Eu aprovo!
.i'i
"eeheeh" como em "we heat"
Estou com você nisso
.i'o
"eehoh" como em "we haw"
graças a isso
.i'u
"eehooh" como em "we hook"
familiaridade
.i'a cu'i
 
.i'e cu'i
não aprovação
.i'i cu'i
 
.i'o cu'i
 
.i'u cu'i
 
.i'a nai
resistência
.i'e nai
Boo!
desaprovação
.i'i nai
sentimento de antagonismo
.i'o nai
inveja
.i'u nai
desconhecimento
Anexo à situação
.a'a
"ahah" como "aha"
Estou ouvindo
.a'e
"aheh"
atenção
.a'i
"aheeh" como em "Swahili"
ufa!
esforço
.a'o

Espero
.a'u

Hmm, eu me pergunto...
.a'a cu'i
desatentamente
.a'e cu'i
 
.a'i cu'i
sem esforço especial
.a'o cu'i
 
.a'u cu'i
Bocejo
desinteresse
.a'a nai
evitando
.a'e nai
Estou cansado(a)
.a'i nai
repouso
.a'o nai
Ah!
desespero
.a'u nai
Eca! Nojo!
repulsa
Estímulo
.e'a
"ehah"
você pode
.e'ei
"ehey"
vamos lá, faça!
.e'i
"eheeh"
faça!
.e'o
"ehoh"
por favor, faça
.e'u
"ehooh"
eu sugiro
.e'a cu'i
 
.e'ei cu'i
 
.e'i cu'i
 
.e'o cu'i
 
.e'u cu'i
 
.e'a nai
proibindo
.e'ei nai
expressando desânimo, desmoralização
.e'i nai
 
.e'o nai
oferecendo, concedendo
.e'u nai
alertando, desaconselhando
Emoção
.o'a
"ohah"
orgulho
.o'e
"oheh"
Sinto que está próximo
.o'i
"oheeh"
perigo!
.o'o
"ohoh" como em "sawhorse"
paciência
.o'u
"ohooh"
relaxamento
.o'a cu'i
modéstia, humildade
.o'e cu'i
 
.o'i cu'i
 
.o'o cu'i
mera tolerância
.o'u cu'i
compostura, equilíbrio
.o'a nai
Que vergonha.
Isso me deixa envergonhado(a).
.o'e nai
distância
.o'i nai
imprudência, temeridade
.o'o nai
impaciência, intolerância
.o'u nai
estresse, ansiedade

Observe como uma emoção se transforma em sua oposta ao usar nai, e na emoção intermediária ao usar cu'i.

Por que algumas células de interjeições com cu'i e nai estão vazias? Porque o português não possui formas concisas de expressar essas emoções.

Além disso, muitas dessas interjeições são raramente usadas.

Combinando interjeições

iu ui nai Infelizmente apaixonado.

ue ui do jinga Ah, você venceu! Estou tão feliz!

jinga
... vence

Neste caso, a vitória era improvável, então estou surpreso e feliz ao mesmo tempo.

Interjeições (ao contrário de partículas escalares e sufixos de interjeição) não se modificam entre si:

ue ui do jinga ui ue do jinga Ah, você venceu! Estou tão feliz!

Aqui, duas interjeições modificam a mesma construção (a frase inteira), mas não se modificam entre si, então a ordem delas não importa.

pei .u'i le gerku cu sutra plipe (O que você sente?) Heh, o cachorro está pulando rapidamente.

Aqui, pei é usado sozinho e não modifica .u'i, que é colocado depois dele.

Esqueceu de colocar uma interjeição no início?

do pu sidju mi ui Você me ajudou (yay!)

ui modifica apenas o pronome mi, expressando a atitude apenas em relação a mim.

ui do pu sidju mi Yay, você me ajudou.

E se esquecermos de adicionar ui no início dessa frase?

Podemos explicitamente marcar a relação como completa com vau e então colocar a interjeição:

do pu sidju mi vau ui Você me ajudou, yay!

Lição 4. Prática

Agora que conhecemos as partes mais importantes da gramática, podemos começar a acumular novas palavras por meio de situações.

Expressões coloquiais

Aqui estão algumas estruturas comuns usadas por falantes fluentes de Lojban, juntamente com exemplos que ilustram seu uso.

Elas podem ajudá-lo a se acostumar mais rapidamente com o Lojban coloquial.

  • .i ku'i
    Mas…

mi djuno .i ku'i mi na ku djica Eu sei. Mas eu não quero.

  • mi djica le nu
    Eu quero isso…

mi djica le nu mi sipna Eu quero dormir. Eu quero dormir.

  • mi djuno le du'u ma kau
    Eu sei o que/quem…

mi djuno le du'u ma kau smuni zo coi Eu sei qual é o significado de coi.

mi na ku djuno Eu não sei.

  • jinvi le du'u
    … tem uma opinião que…

mi jinvi le du'u la .lojban. cu zabna Acho que Lojban é legal.

coi ro do Olá a todos!

co'o ro do Tchau pessoal!

  • jinvi le du'u
    … tem uma opinião que…

ai mi cliva .i co'o Eu vou embora. Tchau!

  • .ei mi
    Eu deveria…

.ei mi citka .i co'o Eu deveria comer. Tchau!

  • ca le nu
    quando…

mi pu bebna ca le nu mi citno Eu era estúpido quando era jovem.

  • va'o le nu
    desde que…

va'o le nu do djica kei mi ka'e ciksi Se quiser eu posso explicar.

  • simlu le ka
    … parece ser…

simlu le ka zabna Parece ser legal.

  • ca le cabdei
    hoje

pu ce'e ca le cabdei mi surla Hoje descansei.

  • mi nelci
    Eu gosto

mi nelci le mlatu Eu gosto do gato.

  • le nu pilno
    usando…

na ku le nu pilno le vlaste cu nandu Usar dicionários não é difícil.

  • kakne le ka
    capaz de…

xu do kakne le ka sutra tavla Você consegue falar rápido?

  • tavla fi
    falar sobre…

.e'ei tavla fi le skami Vamos falar sobre computadores!

  • mutce le ka
    muito…

mi mutce le ka se cinri Estou muito interessado.

  • troci le ka
    … tenta…

mi troci le ka tavla fo la .lojban. Estou tentando falar em Lojban.

  • rinka le nu
    (evento) leva a…

le nu mi tadni la .lojban. cu rinka le nu mi jimpe fi do O fato de eu estudar Lojban me faz entender você.

  • gasnu le nu
    (agente) causa…

mi pu gasnu le nu le skami pe mi co'a spofu Eu fiz isso para que meu computador quebrasse.

  • xusra le du'u
    afirme que…

xu do xusra le du'u mi na ku drani Você afirma que não estou certo?

  • kanpe le du'u
    esperar (no sentido de avaliação, previsão) que…

mi na ku kanpe le du'u mi jinga Não espero vencer.

Um diálogo simples

coi la .alis. Olá, Alice!

coi la .doris. Olá, Dóris!

do mo Como você está?

mi kanro .i mi ca tadni la .lojban. .i mi troci le ka tavla do Estou saudável. Agora estudo Lojban. Estou tentando falar com você.

kanro
estar saudável
tadni
estudar … (algo)
troci
tentar … (fazer algo)
tavla
conversar [com alguém]

zabna .i ma tcima ca le bavlamdei Está bom. Como será o tempo amanhã?

zabna
… está bom, agradável
tcima
… é o tempo
ca
em (algum momento)
le bavlamdei
dia de amanhã

mi na ku djuno .i le solri sei mi pacna Não sei. Espero que esteja ensolarado.

djuno
saber (fato)
le solri
o sol

Observe que le solri cu tcima (literalmente o sol é o tempo) é a forma de usar tcima em Lojban.

sei
início de comentário
pacna
esperar (por algum evento)

mi jimpe I understand.

co'o Goodbye.

Sentidos humanos

ju'i la .alis. Hey, Alice!

ju'i
vocativo que chama a atenção: Ei! Psst! Ahem! Atenção!

re'i Estou ouvindo.

re'i
vocativo: Estou pronto para receber informações.

xu do viska ta Você vê aquilo perto de você?


As relações que descrevem a percepção serão explicadas após o diálogo.

viska .i plise .i le plise cu xunre .i skari le ka xunre Sim. É uma maçã. A maçã é vermelha. É de cor vermelha.

xu do viska le tarmi be le plise Você consegue ver a forma da maçã?

viska .i le plise cu barda Sim. A maçã é grande.

xu do jinvi le du'u le plise ca makcu Você acha que a maçã está madura?

makcu
... está madura

.au mi zgana le sefta be le plise Eu gostaria de apalpá-la.

.i ua xutla Oh, ela é lisa.

.i mi pacna le nu makcu ie Eu espero que esteja madura, sim.

panci pei E o cheiro?

.i .e'o do sumne le plise Por favor, cheire.

le xrula cu panci Cheira a flores.

.i .au mi zgana le vrusi be le plise Eu gostaria de provar a maçã.

.i .oi nai le kukte cu vrusi Hum, tem um gosto doce.

.i .oi Oh, não.

le xrula
a flor, as flores

xrula
flor

ma pu fasnu O que aconteceu?

mi pu farlu Eu caí.

farlu
... cai para ...

xu do cortu Você sente dor?

cortu .i mi cortu le cidni Sim, sinto dor no joelho.

.i na ku ckape Não é perigoso.

.i ca ti mi ganse le nu da vi zvati E agora eu posso sentir a presença de alguém aqui.

doi la .alis. do cliva .e'o sai Alice, por favor, volte imediatamente!

ko denpa .i mi ca tirna le sance Espere, eu consigo ouvir algum som.

le sance be ma Um som de quê?

mi pu tirna le nu le prenu cu tavla Eu ouvi uma pessoa falando.

.i ca ti mi zgana le lenku Agora eu sinto frio.

ju'i la .alis. Ei, Alice!..

Neste diálogo, foram abordados os conceitos mais importantes relacionados aos sentidos humanos. Nas seções seguintes, explicaremos as estruturas de lugar desses sentidos, juntamente com relações e exemplos adicionais.

Visão

viska
(objeto, forma, cor)
skari
é um objeto com a cor (propriedade)
tarmi
é a forma de
cukla
é redondo (em forma)

le prenu co'a viska le cipni
A pessoa percebe, começa a ver o pássaro.

mi viska le plise Eu vejo a maçã.

mi viska le tarmi be le plise Eu vejo a forma da maçã.

.i le plise cu se tarmi le cukla A maçã é redonda.

.i le plise cu skari le ka xunre A maçã é vermelha.

Observe: podemos dizer tanto "ver a forma da maçã" quanto "ver a maçã".

Audição

tirna
ouve (objeto ou som)

le prenu cu tirna lei djacu
A pessoa ouve as águas.

mi tirna le palta Eu ouço o prato.

mi tirna le sance be le palta poi ca'o porpi Eu ouço o som de um prato caindo.

.i le palta cu se sance le cladu Ele faz um som alto.

le palta
o prato
cladu
é alto (em som)
tolycladu
é relativamente baixo (em som)
tonga
é um tom de

Podemos usar cladu e palavras similares diretamente:

mi tirna le cladu Eu ouço algo alto.

mi tirna le tolycladu Eu ouço algo relativamente baixo.

mi tirna le tonga be le palta poi farlu Eu ouço o tom do prato caindo.

Assim como na visão, podemos dizer "ouvir um som" e "ouvir algo produzindo o som":

— ma sance gi'e se tirna do — Que som você ouve?

— le zgike — A música.

— do tirna le sance be ma — Você ouve um som de quê?

— le plise poi co'i farlu — A maçã que caiu.

Percepção em geral

Também podemos usar o vago gansesentir estímulo.

ganse
sente o estímulo (objeto, evento) por meio de
ganse le glare
sentir o calor
ganse le lenku
sentir o frio

mi ganse le plise Eu sinto a maçã.

Para observar nossas percepções, podemos usar zgana:

le prenu cu zgana le sefta be le xrula
The person palpates the surface of the flower.

mi zgana le tarmi be le plise Eu observo a forma de uma maçã.

.i le plise cu se tarmi le'e cukla A maçã é redonda.

zgana
percebe, observa, vê . Não se limita à visão.

Alguns argumentos podem ser usados com diferentes relações sensoriais. Por exemplo, podemos

viska le sefta
ver a superfície
zgana le sefta
palpar a superfície

Sentido do olfato

sumne
cheira (odor)
panci
é um odor de (objeto)

le mlatu cu sumne le xrula
O gato cheira a flor.

mi sumne le xrula Eu cheiro a flor.

mi sumne le panci be le za'u xrula Eu cheiro o odor das flores.

mi sumne le panci be le plise Eu cheiro o odor da maçã.

.i le plise cu se panci le xrula A maçã cheira a flores.

Note que o português pode ser confuso quando se trata de distinguir entre cheirar um odor e cheirar um objeto que produz esse odor. Dizemos cheirar a maçã, a maçã cheira a flores (tem o cheiro de flores). Essa distinção dupla é importante porque uma maçã produz partículas aromáticas que são distintas da própria maçã. O mesmo se aplica a um prato caindo e seu som - pode ser que não queiramos misturá-los.

No Lojban, podemos separar facilmente esses casos, como demonstrado nos exemplos acima.

Sentido do paladar

vrusi
é um sabor de

le prenu cu zgana le vrusi be le grute
A pessoa prova, observa o sabor da fruta.

mi zgana le vrusi be le grute Eu provo a maçã. Eu observo o sabor da fruta

le grute
a fruta, as frutas

.i le plise cu se vrusi le titla A maçã tem um sabor doce.

titla
... é doce, ... é um docinho

Sentido do tato

sefta
é uma superfície de

mi zgana le sefta be le plise Eu palpo, sinto a superfície da maçã.

.i le plise cu se sefta le xutla A maçã tem uma superfície lisa.

Dor

mi cortu le birka be mi Sinto dor no meu braço. Meu braço dói.

mi cortu le cidni be mi
Meu joelho dói.

mi cortu le cidni Sinto dor no meu joelho, meu joelho dói.

cortu
sente dor em (órgão, parte do corpo de )
cidni
é um joelho de

Cores

Diferentes idiomas usam diferentes conjuntos de palavras para denotar cores. Alguns idiomas simplesmente se referem às cores fazendo referência a outros objetos "protótipo" com cores, tons ou formas semelhantes. Em Lojban, usamos todas as opções:

ti xunre Isso é vermelho.

xunre
é vermelho

ti skari le ka xunre Isso é vermelho. Isso tem a cor de coisas vermelhas.

ti skari le ka ciblu Isso tem a cor do sangue.

le ciblu
o sangue

Aqui estão alguns exemplos de cores que se alinham com a língua portuguêsa. Você também pode usar outras palavras para cores, refletindo a maneira como falantes de diferentes idiomas categorizam coisas.

le tsani cu xunre ca le cerni O céu está vermelho de manhã.

le tsani
o céu

.i le solri cu simlu le ka narju O sol parece ser laranja.

le solri
o Sol

tsani .i solri
O céu. O sol.

simlu
parece com (propriedade de )

.i le pelxu xrula cu se farna le solri As flores amarelas estão orientadas para o Sol.

se farna
está orientado para
farna
é a direção de

.i le pezli be le tricu cu crino As folhas das árvores são verdes.

pezli
é uma folha de
le tricu
árvore

.i mi zvati le korbi be le blanu xamsi Estou na fronteira de um mar azul.

zvati
... está presente em ...
korbi
é a fronteira de
le xamsi
mar

.i mi catlu le prenu noi dasni le zirpu taxfu Eu olho para uma pessoa que está usando um vestido violeta.

dasni
está usando (algo)
xunre
é vermelho
narju
é laranja
pelxu
é amarelo
crino
é verde
blanu
é azul
zirpu
é violeta

Outras relações úteis:

le gusni be le manku pagbu pu na ku carmi A luz que ilumina áreas escuras não era intensa.

le gusni be fi le solri pu carmi A luz do Sol era intensa.

gusni
é uma luz que ilumina a partir da fonte de luz
carmi
é intenso, brilhante
manku
é escuro

«sipna» — ‘dormir’, «sanji» — ‘estar consciente

Os exemplos a seguir ilustram alguns aspectos básicos da mente:

pu ku mi cikna gi'e ku'i na ganse le nu do klama Eu estava acordado, mas não percebi sua chegada.

pu ku ca le nu mi sipna kei mi ganse ku'i le nu do klama Enquanto eu estava dormindo, mesmo assim percebi você chegando.

Eu estou dormindo e estou ciente de que estou dormindo.
Eu durmo e estou ciente de que estou dormindo.

Eu estava dormindo e estava ciente de que estava dormindo. Eu estava tendo um sonho lúcido.

Eu estou ciente de que estou ciente. Eu estou consciente de mim mesmo.

sipna
dorme
cikna
está acordado
ganse
o observador percebe, nota algum estímulo (evento) por meio de meios
sanji
está consciente, ciente de (evento)

ganse não implica nenhum processamento mental; apenas descreve percepção, reconhecimento, detecção de algum estímulo por meio de canais sensoriais (especificados em ).

Por outro lado, sanji descreve a percepção passiva, que envolve processamento mental, mas não necessariamente por meio de entradas sensoriais (algumas relações mentais não são detectadas pelos sentidos).

Emoções: «cmila» — ‘rir’, «cisma» — ‘sorrir

coi .i ma nuzba .i do simlu le ka badri Oi. Qual é a novidade? Você parece estar triste.

badri
está triste sobre

A pessoa parece estar triste.
A pessoa parece estar triste.

mi steba le nu le bruna be mi co'a speni le ninmu Estou frustrado porque meu irmão se casou com a mulher.

steba
sente frustração em relação a

mi se cfipu .i xu do na ku gleki le nu le bruna co'a speni Estou confuso. Você não está feliz que o irmão se case?

se cfipu
está confuso sobre
gleki
está feliz sobre

ie .i le ninmu cu pindi .i le ninmu na ku ponse le jdini .i mi na ku kakne le ka ciksi Sim. A mulher é pobre. Ela não tem dinheiro. Não consigo explicar.

le jdini
o dinheiro
kakne
é capaz de (propriedade de )

ua .i la'a do kanpe le nu le ninmu na ku prami le bruna Ah! Provavelmente você espera que a mulher não goste do irmão.

la'a
interjeição: provavelmente, é provável
Kanpe
espera (algum evento)

mi terpa le nu le ninmu ba tarti lo xlali .i ku'i le bruna cu cisma ca ro nu ri tavla le ninmu .i ri ta'e cmila Tenho medo que ela se comporte mal. Mas o irmão sorri toda vez que fala com ela. E ela geralmente ri.

terpa
tem medo de
cisma
sorri
cmila
ri

mi kucli le nu le ninmu cu prami le bruna Fico curioso se a garota gosta do irmão.

kucli
está curioso sobre

mi na ku kanpe Eu não espero isso.

kanpe
espera que (evento) aconteça

ko surla Relaxe!

surla
relaxa fazendo (propriedade de )
cinmo
sente emoção (propriedade de )
nelci
gosta de
manci
sente admiração ou espanto por
fengu
está com raiva de
xajmi
acha que é engraçado
se zdile
se diverte com
zdile
é divertido
djica
deseja
pacna
espera que seja verdade

Saúde

ca glare Está quente agora.

.i ku'i mi ganse le lenku Mas eu sinto frio.

ku'i
interjeição: mas, no entanto

xu do bilma Você está doente?

bilma Sim.

xu do bilma fi le vidru .i .e'u do klama le mikce Você está com um vírus? Sugiro que vá ao médico.

le vidru
o vírus
le mikce
médico

mi bilma le ka cortu le galxe .i mi sruma le du'u mi bilma fi la .zukam. Meus sintomas são dor de garganta. Eu acredito que estou resfriado.

cortu
sente dor em (órgão, parte do corpo de )
la .zukam.
resfriado comum (doença)

ko kanro Melhore logo!

kanro
está saudável

ki'e Obrigado(a).

bilma
está doente com sintomas da doença

Observe que o segundo lugar de bilma descreve os sintomas, como le ka cortu le galxe = ter dor de garganta. O terceiro lugar indica o nome da doença que causa esses sintomas. Obviamente, você pode optar por não preencher esses lugares de bilma.

Corpo humano

le nanmu cu se xadni le clani O homem tem um corpo longo. O homem é alto.

se xadni
tem o corpo
xadni
é o corpo de

mi pu darxi fi le stedu .e le zunle xance .i ca ti le degji be le xance cu cortu .i ku'i le pritu xance na ku cortu Eu bati em algo com a cabeça e a mão esquerda. Agora o dedo da mão dói. Mas a mão direita não dói.

darxi
bate em com

A maioria das palavras para partes do corpo tem a mesma estrutura de lugar que xadni:

stedu
é a cabeça de

No entanto, algumas descrevem partes menores:

degji
é um dedo/do dedo em parte (mão, pé)

le degji be le xance be le ninmu cu clani Os dedos da mulher são longos. Dedos da mão da mulher são longos

mi viska le jamfu .i ku'i mi na ku viska le degji be le jamfu Eu consigo ver os pés. Mas não vejo os dedos.

janco
é uma articulação que conecta membros
ctebi
é um lábio da boca, orifício
cidni
é um joelho ou cotovelo do membro

Parentesco

coi do mi se cmene zo .adam. .i ti du la .alis. .i ri speni mi Olá para você. Me chamo "Adam". Esta é Alice. Ela é minha esposa.

pluka fa le nu penmi do .i .e'o do klama le nenri be le dinju É um prazer te conhecer. Por favor, entre na casa.

ki'e Obrigado.

.i .au gau mi do co'a slabu le lanzu be mi .i le re verba cu panzi mi .i le tixnu cu se cmene zo .flor. .i la .karl. cu du le bersa Gostaria que você conhecesse minha família. Os dois filhos são meus descendentes. A filha se chama "Flor". Karl é o filho.

la .karl. cu mutce citno Karl é muito jovem.

ie Sim.

.i ji'a mi se tunba re da noi ca na ku zvati le dinju .i sa'e mi se tunba le pa bruna .e le pa mensi Além disso, tenho dois irmãos que não estão em casa agora. Para ser preciso, tenho um irmão e uma irmã.

ue .i le lanzu be do cu barda Uau! Sua família é grande.

je'u pei Mesmo?

je'u
interjeição: realmente

As palavras para nomes de membros da família têm uma estrutura de lugar similar:

speni
é marido/esposa de

co'a speni significa casar-se:

mi co'a speni la .suzan. Eu me casei com Susan.

lanzu
é uma família que inclui
panzi
é filho(a) de
tixnu
é filha de
bersa
é filho de
tunba
é irmão/irmã de
bruna
é irmão de
mensi
é irmã de

Note que panzi pode ser aplicado a filhos adultos:

verba
é uma criança, pessoa imatura de idade (evento)
panzi
é uma criança, descendente de

verba não necessariamente se refere à criança como um membro da família:

le bersa be le pendo be mi cu verba le nanca be li ci O filho do meu amigo é uma criança de três anos.

citno
é jovem
laldo
é velho, idoso

Pares de palavras tradicionais (apenas para humanos):

le ninmu
mulher / mulheres
le nanmu
homem / homens
le nixli
as meninas
le nanla
os meninos
le remna
os humanos

Note que le prenu significa as pessoas ou os indivíduos. Em contos de fadas e histórias fantásticas, não apenas humanos (lo'e remna), mas também animais ou seres alienígenas de outros planetas podem ser considerados pessoas.

Essas palavras podem ser usadas para descrever o sexo geneticamente determinado (tanto em animais quanto em humanos), em oposição ao gênero:

le fetsi
a fêmea
le nakni
macho

Essas palavras descrevem relações parentais (não necessariamente genéticas):

mamta
é mãe de , age maternalmente
patfu
é pai de
rirni
é pai/mãe de , cria

Na loja

ue do pu te vecnu le laldo karce Uau! Você comprou um carro antigo.

ie .i ku'i mi na ku pu pleji le so'i jdini Sim. Mas eu não paguei muito dinheiro.

ma pu jdima le karce Qual foi o preço do carro?

mi pu pleji le rupnusudu be li pa ki'o le kagni le karce Eu paguei mil dólares para a empresa pelo carro.

mi pu vecnu le laldo karce pe mi le pendo be mi .i le pendo pu pleji le rupne'uru be li re ki'o mi le karce Eu vendi um carro antigo meu para meu amigo. O amigo pagou 2.000 euros pelo carro.

ki'o
vírgula entre dígitos, então pa ki'o é 1.000 (mil)
vecnu
vende para
te vecnu
compra de
pleji
paga para por
jdima
é o preço de
jdini
é dinheiro
rupnusudu
custa (número) dólares americanos
rupne'uru
custa (número) euros

Loja, edifícios

ma stuzi le zdani be do Qual é a localização da sua casa?

le korbi be le cmana .i mi se zdani le nurma .i le zdani be mi cu barda dinju gi'e se sledi'u ci da .e le vimstu .e le lumstu A beira da montanha. Eu moro no campo. Minha casa é uma casa grande e tem três quartos, além de um banheiro e uma sala de banho.

je'e .i ku'i mi pu jbena le tcadu .i je ca ti mi se zdani le jarbu be la .paris. .i mi xabju ne'a le zarci Entendi. Mas eu nasci na cidade e agora moro nos subúrbios de Paris. Eu moro perto de uma loja.

stuzi
é um lugar
dinju
é um edifício, casa
sledi'u
é um quarto, uma parte de um edifício
vimstu
é um banheiro, um lugar para excretar
lumstu
é um banheiro, um lugar para lavar algo
zdani
é uma casa de
se zdani
mora em , habita
tcadu
é uma cidade
jarbu
é uma área suburbana da cidade
nurma
é uma área rural, está no campo
zarci
é uma loja

Lição 5. Termos modais, «da», sua posição relativa

Como os termos modais se referem à relação?

Alguns termos modais, como aqueles que descrevem o tempo (tensão), conectam a relação atual com aquela no argumento após eles:

mi cadzu ca le nu le cipni cu vofli Eu ando quando os pássaros voam.

cadzu
… anda
le cipni
o pássaro/os pássaros
vofli
… voa para …

mi pu cadzu fa'a le rirxe Eu andei em direção ao rio.

mi pu cadzu se ka'a le rirxe Eu andei até o rio.

se ka'a
chegando a …
fa'a
diretamente em direção a …

Termos modais não removem os lugares ordenados (fa, fe, fi, fo, fu) da relação:

mi klama se ka'a le rirxe le dinju mi klama fe le rirxe .e le dinju Eu vou para um rio, para uma casa.

No primeiro exemplo, se ka'a conecta le rirxe e então o segundo lugar de klama segue, sendo preenchido com le dinju. É o mesmo que preencher apenas o segundo lugar de klama duas vezes, conectando-os com .ee.

No entanto, se ka'a é útil quando aplicado a outras relações como cadzu em um exemplo anterior.

le prenu pu cadzu tai le nu ri bevri su'o da poi tilju A pessoa andava como se estivesse carregando algo pesado.

bevri
carrega
tai
termo modal: como …, parecido com …

Usando «ne» + termo. «se mau» — ‘mais do que ...

mi ne se mau do cu melbi Eu sou mais bonito(a) do que você.

se mau
termo de se zmadu: mais do que; a própria relação descreve a comparação

Este exemplo é semelhante a

mi zmadu do le ka melbi Eu excedo você em beleza.

Em outras palavras, a relação principal melbi é semelhante ao terceiro lugar de zmadu, que especifica os critérios de comparação. Mais dois exemplos:

mi prami do ne se mau la .doris. Eu amo você mais do que a Doris.

mi ne se mau la .doris. cu prami do Eu te amo mais do que Doris. Eu te amo mais do que Doris te ama. Eu (mais do que Doris) te amo.

Mais exemplos:

mi nelci le'e pesxu ne se mau le'e jisra Eu gosto mais de geleia do que de suco.

pesxu
... é geleia

le'e pesxu cu zmadu le'e jisra le ka mi nelci Geleia excede suco em quanto eu gosto. A geléia excede o suco no quanto eu gosto.

E agora uma frase interessante:

Bob gosta mais da Betty do que da Mary.

Isso pode ter dois significados diferentes em português!

  1. Bob gosta da Betty e ele gosta menos da Mary.
  2. Bob gosta da Betty, mas a Mary também gosta da Betty, embora não tanto quanto o Bob!

Estamos comparando a Betty com a Mary em relação a como o Bob gosta delas?

Ou, em vez disso, estamos comparando o Bob com a Mary em relação a como eles gostam da Betty?

O português é ambíguo nesse aspecto.

No Lojban, podemos diferenciar os dois significados anexando se mau aos argumentos adequados:

la.bob. ne se mau la .maris. cu nelci la .betis. Bob (comparado a Mary) gosta mais de Betty. Mary gosta menos de Betty. Bob gosta mais de Betty do que de Mary.

la .bob. cu nelci la .betis. ne se mau la .maris. Bob gosta de Betty, e ele gosta menos de Mary. Bob gosta mais de Betty do que de Mary.

Comparisons: ‘igual’, ‘o mesmo

mi dunli le mensi be mi le ka mitre .i ku'i mi na ku du le mensi Eu sou tão grande quanto minha irmã, mas não sou ela. Eu sou igual à minha irmã em metros, mas não sou idêntico(a) a ela.

dunli
(qualquer tipo) é igual a (qualquer tipo) em (propriedade de e com kau)
mitre
tem metros de comprimento
du
(qualquer tipo) é idêntico(a) a (qualquer tipo)

dunli compara dois lugares para uma única propriedade, enquanto du compara para identidade. Minha irmã e eu temos a mesma altura, mas não somos a mesma pessoa. Clark Kent e Superman têm admiradores diferentes, mas são a mesma pessoa.

O mesmo vale para esses dois verbos:

mi frica do le ka nelci ma kau Nós diferimos um do outro no que gostamos. Eu difiro de você no que gosto.

le drata be mi cu kakne le ka sidju Alguém que não sou eu é capaz de ajudar.

frica
(qualquer tipo) difere de (qualquer tipo) em (propriedade de e com kau)
drata
(qualquer tipo) não é o mesmo que (qualquer tipo)

O conceito de ‘apenas

mi .e no le pendo be mi cu nelci le'e badna Eu e nenhum dos meus amigos gostam de bananas.

O conceito de não apenas é expresso de forma semelhante:

mi .e le su'o pendo be mi cu nelci le'e badna Não sou só eu que gosto de banana entre meus amigos. Eu e alguns dos meus amigos gostamos de bananas.

A maioria’, ‘muitos’ e ‘muito

Palavras como a maioria e muitos também são números em Lojban:

ro cada
so'a quase todos
so'e a maioria
so'i muitos, muitos
so'o alguns
so'u poucos
no zero, nenhum
su'e no máximo
su'o no mínimo
za'u mais de...
du'e demais

Alguns exemplos:

su'e re no le prenu ba klama No máximo 20 pessoas virão.

su'o pa le prenu cu prami do Pelo menos uma pessoa te ama.

nunca’ — «no roi», ‘sempre’ — «ro roi»

Termos que especificam o número de vezes:

  • no roi = nunca
  • pa roi = uma vez
  • re roi = duas vezes
  • ci roi = três vezes

...

  • so'i roi = muitas vezes
  • so'u roi = algumas vezes
  • du'e roi = muitas vezes demais
  • ro roi = sempre

mi du'e roi klama le zarci Eu vou ao mercado com muita frequência.

zarci
é um mercado

mi pu re roi klama le zarci Eu fui ao mercado duas vezes.

Sem o pu, a construção re roi pode significar que fui ao mercado uma vez, mas a segunda vez que estarei lá só acontecerá no futuro. Essas partículas relacionadas ao tempo podem ser usadas com um argumento após elas:

mi klama ti pa roi le jeftu Eu venho aqui uma vez por semana.

pela primeira vez’ — «pa re'u», ‘pela última vez’ — «ro re'u»

  • pa re'u = pela primeira vez
  • re re'u = pela segunda vez

  • za'u re'u = novamente
  • ro re'u = pela última vez

A partícula relacionada ao tempo re'u funciona como roi, mas indica o número de iterações em que o evento ocorre.

Compare:

mi pa roi klama le muzga Eu visitei o museu uma vez.

mi pa re'u klama le muzga Eu visitei o museu pela primeira vez.

mi za'u roi klama le muzga Eu visitei o museu várias vezes.

mi za'u re'u klama le muzga Eu visitei o museu novamente.

mi za'u pa roi klama le muzga Eu visitei o museu mais de uma vez.

mi za'u pa re'u klama le muzga Eu visitei o museu não pela primeira vez (talvez pela segunda/terceira etc.)

vitke
visitar (alguém ou algo)

Observe a diferença entre:

za'u re'u
novamente, não pela primeira vez
re re'u
pela segunda vez (aqui também, nenhum contexto é necessário e até o número exato de vezes é dado)

Partículas modais: sua posição dentro de uma relação

le nu tcidu kei ca cu nandu Ler está difícil agora.

ca ku le nu tcidu cu nandu Agora, ler está difícil.

Termos simples sem argumentos após eles podem ser movidos ao redor da frase adicionando ku depois deles.

ku impede que os termos de argumento seguintes sejam anexados a esses termos. Compare:

ca le nu tcidu cu nandu Quando estou lendo, é difícil.

Aqui estão vários lugares onde as partículas modais podem ser colocadas.

  • O termo modal modifica a relação à direita dele:

ca ku mi citka Agora eu como.

— aqui o termo é marcado com a palavra ku como sendo completo.

ca le cabdei mi citka Hoje eu como.

— aqui o termo tem um argumento depois dele.

mi ca citka Eu como agora.

— aqui a partícula modal é parte da construção da relação principal e sem um argumento.

  • O termo modal é aplicado à relação inteira:

mi citka ca Eu como agora.

— aqui o termo modal está no final da relação.

Unindo declarações com modais

mi pinxe le jisra ca le nu do co'i klama le zdani Eu estou bebendo o suco quando você chega em casa.

mi pinxe le jisra .i ca bo do co'i klama le zdani Eu estou bebendo o suco, e ao mesmo tempo você chega em casa.

Os dois exemplos transmitem o mesmo significado. A segunda opção é mais usada quando qualquer uma das relações originais soa pesada.

Outro uso é mover os termos modais para fora do escopo de outros termos modais:

mi na ku te vecnu ki'u le nu kargu Não é verdade que eu compro porque é caro.

Neste exemplo, pode-se supor que eu só compro coisas se forem caras. No entanto, esse não é o caso.

Aqui, na ku nega que eu compro coisas porque são caras. na ku é aplicado à relação inteira, assim ele "cobre" ki'u.

mi na ku te vecnu .i ki'u bo kargu Eu não compro. É porque é caro.

Neste caso, eu não compro coisas. Por quê? Porque são caras. Talvez eu prefira apenas coisas baratas.

Aqui, ki'u é colocado em outra frase. Assim, na ku não abrange ele.

Ambos os exemplos podem ser traduzidos como Eu não compro porque é caro. No entanto, eles têm significados diferentes.

Uma regra especial é usar .i ba bo e .i pu bo. Compare:

mi cadzu pu le nu mi citka Eu ando antes de comer.

mi cadzu .i ba bo mi citka Eu ando, e então eu como.

.i ba bo significa depois, então. A frase após .i ba bo se refere a algo que ocorreu posteriormente ao que ocorreu na relação anterior.

pu é alterado para ba, e vice-versa. Essa regra especial para Lojban foi feita por analogia às línguas naturais. Portanto, você só precisa lembrar desse comportamento especial dessas duas palavras.

Coisas existentes, 'há ...'

Na verdade, existem três palavras na série da: da, de e di. Nós as usamos ao nos referirmos a objetos diferentes em um mesmo discurso:

ci le mlatu cu citka re le finpe Há três gatos, há dois peixes para cada gato, e cada gato come dois peixes.

Se você precisar de mais palavras desse tipo em um mesmo discurso, adicione um sufixo xi a elas e, em seguida, qualquer número (que podemos chamar de índice). Assim,

  • da xi pa é o mesmo que simplesmente da,
  • da xi re é o mesmo que de,
  • da xi ci é o mesmo que di
  • da xi vo é o quarto "algo" e assim por diante...

Tópico e comentário. «zo'u»

Às vezes, é útil mostrar o tópico de uma relação e, em seguida, fazer um comentário sobre ele:

le'e finpe zo'u mi nelci le'e salmone Quanto aos peixes, eu gosto de salmão.

salmone
... é um salmão
zo'u
encerra o tópico e inicia o comentário da relação

zo'u é mais útil quando um pronome como da é definido no tópico e, em seguida, usado no comentário:

su'o da zo'u mi viska da Existe uma coisa tal que eu a vejo.

ro da poi gerku zo'u mi nelci da Para cada coisa que é um cachorro: eu gosto dela. Eu gosto de todos os cachorros.

da de zo'u da viska de Existem da e de tal que dade.

Os dois pronomes da e de indicam que existem duas coisas que estão na relação de uma ver a outra. Pode ser o caso de que as supostas duas coisas sejam na verdade apenas uma única coisa que se ama: nada na frase exclui essa interpretação, por isso a tradução coloquial não diz Alguém vê outra pessoa. As coisas referidas por diferentes pronomes da série da podem ser diferentes ou iguais.

É perfeitamente aceitável que esses pronomes apareçam mais de uma vez na mesma frase:

da zo'u da prami da Existe da tal que da ama da. Há alguém que se ama a si mesmo.

Não é necessário que um pronome seja o argumento direto da relação:

da zo'u le gerku pe da cu viska mi Existe da tal que o cachorro deles me vê. O cachorro de alguém me vê.

'qualquer' e 'algum' nos exemplos

As palavras qualquer e algum, juntamente com seus derivados, têm muitos significados em português. Devemos ter cuidado ao traduzir o significado pretendido:

Traduzindo como da:

  • algum/alguém: algo não especificado:

da pu klama .i je ko smadi le du'u da me ma kau Alguém veio. Adivinhe quem foi.

mi pu tirna da .i je mi fliba le ka jimpe le du'u da mo kau Eu ouvi algo, mas não consigo entender o que era.

  • algum/alguém em perguntas se transforma em qualquer coisa, qualquer pessoa; em Lojban, ainda é da:

xu su'o da pu klama Alguém veio?

  • algum/alguém ao usar comandos, pedidos ou sugestões:

.e'u mi'o pilno su'o da poi drata Vamos tentar algo diferente. Vamos tentar outras coisas.

.e'u mi'o troci bu'u su'o da poi drata Vamos tentar em outro lugar.

  • qualquer pode ser usado em relações internas:

mi rivbi le ka jdice da Eu evitei tomar qualquer decisão.

Como em relações dentro de termos modais:

ba le nu do zgana da kei ko klama Depois que você notar qualquer coisa, venha!

  • Escopo: qualquer é usado em português ao negar, enquanto Lojban usa na ku mas ainda da:

mi na ku viska su'o da poi prenu Eu não vejo ninguém.

  • qualquer é usado quando não fazemos distinção entre os membros sobre os quais falamos:

.au nai mi tavla su'o da poi na ku slabu mi Eu não quero falar com qualquer pessoa.

  • Escopo: A negação deve ser usada em uma relação apropriada, como mostrado abaixo:

mi jinvi le du'u na ku da jimpe Eu não acho que alguém entenda.

Isso pode ser reformulado como:

mi jinvi le du'u no da jimpe Eu acho que ninguém entende.

  • Em comparações, todo se transforma em qualquer e é traduzido como ro da:

do zmadu ro da le ka se canlu Você é mais alto do que qualquer pessoa. Você excede a todos em tamanho.

  • Ao fornecer escolha, qualquer é usado e traduzido como ro da:

ro da poi do nelci zo'u .e'a do citka da Você pode comer qualquer coisa que você goste. Para tudo que você gosta, eu permito que você coma isso.

  • Para termos como qualquem e em algum lugar:

.e'u mi'o troci bu'u su'o da poi drata Vamos tentar em outro lugar.

Aqui, su'o da poi drata significa qualquer outra coisa ou coisas, lugar ou lugares. O número desses lugares não é especificado, embora qualquer lugar desse tipo possa servir.

Para dizer qualquer lugar, mas apenas um lugar, use:

.e'u mi'o troci bu'u pa da poi drata Vamos tentar em outro lugar.

  • Traduzindo qualquer como le'e em declarações genéricas:

le'e gerku cu se tuple le vo da Qualquer cachorro tem quatro patas. Espera-se que os cachorros tenham quatro patas.

  • Usando le ao descrever objetos, lugares ou eventos específicos:

le drata zo'u .e'u mi'o pilno ri A outra coisa, vamos usá-la.

le drata stuzi zo'u .e'u mi'o troci bu'u ri O outro lugar, vamos tentar lá.

Resumo: quais construções são afetadas pelo escopo?

O escopo é criado apenas por:

  • limites de relações,
  • termos modais e partículas modais da construção da relação principal,
  • termos de argumento que começam com números (como pa le prenuum dos indivíduos).

da, de, di se usados sem um prenexo e sem um número explícito na frente significam su'o da, su'o de, su'o di e, portanto, também criam escopo.

Assim, a ordem relativa dessas construções altera o significado:

pa le prenu ca ku zvati Existe uma pessoa que está presente agora.

ca ku pa le prenu ca zvati Agora existe uma pessoa.

O escopo não é relevante para construções de relação e para argumentos que começam com le (como le prenu ou le re prenu). Ambas as frases têm o mesmo significado:

le prenu ca ku zvati le zdani ca ku le prenu cu zvati le zdani ca ku fe le zdani fa le prenu cu zvati As pessoas estão presentes agora.

O escopo do termo modal vai desde onde ele é usado até a direita da relação até que a relação e todas as suas relações internas (se houver) terminem.

Aqui, ki'u le nu kargu está sob o escopo de na ku:

na ku mi te vecnu ki'u le nu kargu Não é verdade que: Eu compro porque é caro.

Mas aqui, ki'u le ne kargu não está sob o escopo de na ku. ki'u é aplicado a toda a frase anterior, incluindo na ku:

mi na ku te vecnu .i ki'u bo kargu Eu não compro. É porque é caro.

Lição 6: termos modais: tempo e espaço

mi citka le cirla

Possíveis traduções:

Eu como queijo. Eu comi queijo. Eu sempre como queijo. Em um momento, eu acabarei de comer queijo.

Os tempos em Lojban são opcionais; não precisamos pensar o tempo todo em qual tempo usar.

O contexto muitas vezes resolve o que é correto. Adicionamos tempos quando sentimos que precisamos deles.

Os tempos em Lojban tratam tempo e espaço da mesma forma. Dizer que eu trabalhei há muito tempo não é gramaticalmente diferente de dizer eu trabalho longe ao norte. O português trata palavras como anteriormente, o sufixo de tempo passado, e palavras de espaço como em ou perto em três esquemas diferentes, enquanto em Lojban eles seguem o mesmo princípio.

Pontos no tempo e no espaço

Uma partícula modal de tempo sem um argumento que a segue descreve o evento como relativo a aqui e agora:

mi pinxe ba mi ba pinxe Eu vou beber.

mi pinxe bu'u mi bu'u pinxe Eu bebo neste lugar.

Um termo modal de tempo com um argumento que o segue descreve o evento como relativo ao evento nesse argumento:

mi pinxe ba le nu mi cadzu Eu bebo depois de eu caminhar.

Eventos relativos a outros eventos no tempo

Em português, usamos a chamada "sequência de tempos":

la .alis. pu cusku le se du'u ri pu penmi la .doris. Alice contou que já tinha visto Doris antes.

Aqui, o evento tinha visto Doris acontece antes do evento Alice disse. No entanto, em

la .alis. pu cusku le se du'u ri ca kansa la .doris. Alice disse que ela estava com Doris.

os dois eventos (disse e estava com Doris) acontecem ao mesmo tempo.

Assim, em Português:

  • o tempo da relação principal é entendido em relação a quem a pronuncia.
  • o tempo da relação dentro da relação principal também é entendido em relação a quem a pronuncia.

Em Lojban:

  • apenas o tempo da relação principal é relativo a quem a pronuncia.
  • os outros tempos são relativos entre si. É por isso que, em la .alis. pu cusku le se du'u ri pu penmi la .doris., o segundo pu é relativo ao primeiro pu. Em la .alis. pu cusku le se du'u ri ca kansa la .doris., usamos ca (ao mesmo tempo) que é relativo à relação externa (pu cuskudisse).

No entanto, podemos usar o termo modal nau (no momento ou lugar do falante), que terá o mesmo efeito que o português:

Aqui está um exemplo no estilo em português:

la .alis. pu cusku le se du'u ri nau pu kansa la .doris. Alis disse que ela estava com Doris.

Distância no tempo e no espaço

fau
termo modal: ao mesmo tempo, lugar ou situação que …
ca
termo modal: em … (algum tempo), ao mesmo tempo que …; "tempo presente"
bu'u
termo modal: em … (algum lugar); aqui (neste lugar)
zi
agora mesmo (há pouco tempo) ou em breve (em pouco tempo)
vi
perto de …
za
há algum tempo ou daqui a algum tempo, em um tempo não especificado
va
não muito longe de …
zu
há muito tempo ou daqui a muito tempo
vu
longe de ...; distante

Assim é como podemos usar combinações de tempos para especificar o quão longe vamos no passado ou futuro:

  • pu zu significa há muito tempo atrás
  • pu za significa algum tempo atrás
  • pu zi significa agora mesmo
  • ba zi significa em breve
  • ba za significa daqui a pouco
  • ba zu significa daqui a muito tempo

Observe a ordem das vogais i, a e u. Essa ordem aparece repetidamente no Lojban e pode valer a pena memorizar. Curto e longo são sempre dependentes do contexto, relativos e subjetivos. Por exemplo, duzentos anos é um tempo curto para uma espécie evoluir, mas um longo tempo para esperar pelo ônibus.

zi, za e zu modificam a partícula de tempo como pu e ba que é dita antes dela:

  • pu zu é há muito tempo atrás. pu mostra que começamos no passado, e zu indica que é um longo tempo para trás.
  • zu pu é longe no tempo; há um ponto após algum evento. zu mostra que começamos em algum ponto distante no tempo a partir de agora, e pu indica que nos movemos para trás a partir desse ponto.

Assim, pu zu está sempre no passado, enquanto zu pu pode estar no futuro.

A distância espacial é marcada de forma semelhante por vi, va e vu para distância curta, não especificada (média) e longa no espaço.

Para especificar a distância no tempo ou espaço, usamos o termo modal la'u com um argumento que especifica a distância:

ba ku la'u le djedi be li ci mi zvati ti Em três dias, estarei aqui.

O equivalente espacial de ca é bu'u, e fau é mais vago do que os dois, pois pode significar tempo, espaço ou situação.

ba za vu ku mi gunka Em algum momento no futuro, eu vou trabalhar em um lugar distante.

gunka
trabalhar

mi bu'u pu zu gunka Eu costumava trabalhar aqui há muito tempo atrás. Eu aqui-passado-distância-tempo trabalho

pu zu vu ku zasti fa le ninmu .e le nanmu Há muito tempo atrás e longe daqui, uma mulher e um homem viviam.

A última frase é como os contos de fadas costumam começar.

Duração no tempo e espaço

ze'i
termo modal: por um curto período de tempo
ve'i
termo modal: em um espaço pequeno
ze'a
termo modal: por algum tempo
ve'a
termo modal: sobre algum espaço
ze'u
termo modal: por muito tempo
ve'u
termo modal: sobre um espaço longo

Novamente, é fácil de lembrar seguindo o padrão i, a, u.

mi ze'u bajra Eu corro por muito tempo.

do ze'u klama le mi'a gugde ze'u Você leva muito tempo para chegar ao nosso país.

mi'a
nós sem você
gugde
... é um país

mi ba zi ze'a xabju la .djakartas. Em breve, vou morar em Jacarta por um tempo.

le jenmi pe la .romas. ba ze'u gunta la .kart.xadact. O exército dos romanos estará atacando Cartago por muito tempo.

Isso não significa que os romanos não estão atacando Cartago nos dias de hoje. Em Lojban, se dizemos que algo é verdade em um determinado momento, isso não significa que não seja verdade em nenhum outro momento. Você pode dizer pu ba ze'u para que saibamos que essa atividade estava no futuro quando vista de algum ponto no passado, mas no passado quando vista a partir de hoje.

le xamsi mar/oceano

le ve'u xamsi oceano

le ve'i cmana cu jibni le ve'u cmana
A colina está perto da montanha.

le cmana montanha/colina

le ve'u cmana montanha

le ve'i cmana colina

ti ve'u gerku Esse é um cachorro grande. É um cachorro que ocupa um espaço grande.

«pu'o» — ‘estar prestes a’, «ba'o» — ‘não mais’, «za'o» — ‘ainda’, «xa'o» — ‘

Aqui estão vários conjuntos de termos modais que podem nos ajudar a adicionar significados mais precisos quando necessário.

Com contornos de evento, ao contrário de pu, ca e ba, vemos cada evento como tendo uma forma com certas etapas:

pu'o
termo modal: estar prestes a fazer algo (o evento ainda não aconteceu)
ba'o
termo modal: não estar mais fazendo algo, ter feito algo (o evento terminou)

Exemplos:

mi ba tavla le mikce Eu vou falar com o médico (e talvez esteja falando agora também).

mikce
é um médico

mi pu pu'o tavla le mikce Eu estava prestes a falar com o médico (Eu não estava falando naquele momento, o evento ainda não tinha começado).

le prenu pu'o zvati le nenri
A pessoa está prestes a entrar.

le sanmi ca pu'o bredi A refeição ainda não está pronta.

mi pu ba'o tavla le mikce Eu tinha falado com o médico.

ba'o carvi
Depois da chuva. A chuva parou.

mi ba ba'o tavla le mikce Eu terei falado com o médico.

.a'o mi ba zi ba'o gunka Espero que em breve eu tenha terminado o trabalho.

za'o
termo modal: ainda. O evento está em andamento além do seu fim natural
xa'o
termo modal não oficial: já, muito cedo. O evento já começou e é muito cedo

Exemplos:

ri'a ma do za'o zvati vi Por que você ainda está aqui?

la .kevin. xa'o zvati vi Kevin já está aqui.

Estágios do evento

mi co'a tavla Comecei a falar.

ra ca'o ciska Ela continua escrevendo.

ra pu co'u vasxu Ele parou de respirar (mudança súbita e imprevisível).

vasxu
respira

mi pu mo'u citka le plise Eu comi a maçã até o fim.

la .maks. pu mo'u zbasu ti voi dinju Max construiu esta casa.

ra pu de'a vasxu Ela parou de respirar (mas pode voltar a respirar mais tarde).

mi de'a vasxu
Eu pauso a respiração. Eu prendo a respiração.

mi pu di'a citka le plise Eu retomei a comer maçãs.

mi di'a vasxu
Eu retomo a respiração.

co'a
termo modal: o evento começa (a fronteira do evento)
ca'o
termo modal: estar fazendo algo (o evento está em progresso)
co'u
termo modal: o evento para
mo'u
termo modal: o evento termina (a fronteira do evento)
de'a
o evento pausa (o evento pode ser esperado para continuar)
di'a
o evento retoma

mi de'a ze'i jundi BRB (Volto já).

mi di'a jundi Estou de volta (atento).

jundi
presta atenção a

Essas duas expressões são comuns em chats de texto para indicar que você está ausente ou não prestando atenção, e depois voltar online:

Claro, também se pode dizer apenas de'a ou di'a e esperar que o ponto seja entendido.

pu'o - prestes a começar co'a - inicia ca'o - em andamento co'u - aborta de'a - faz uma pausa di'a - retoma mo'u - completa ba'o - depois do evento za'o - dura muito tempo

Eventos contínuos e progressivos

ru'i
termo modal: o evento é contínuo

.i mi pu ru'i citka le plise Eu estava comendo maçãs continuamente.

Observe a diferença:

  • ru'i indica que o evento é contínuo e nunca pausa.
  • ca'o implica que o evento está em progresso. Às vezes pode pausar e depois retomar seu progresso.

Contornos de lugar

Contornos de evento podem ser usados para se referir ao espaço se os prefixarmos com fe'e:

le rokci cu fe'e ro roi zvati As pedras estão em todos os lugares.

'à esquerda', 'à direita'

le prenu cu sanli le dertu bu'u le pritu be mi A pessoa está em pé no chão à minha direita.

le gerku cu vreta le ckana bu'u le zunle be le verba O cachorro está deitado na cama à esquerda de uma criança.

ko jgari le panbi poi zunle Pegue a caneta à esquerda.

le mlatu cu plipe bu'u le crane be do Um gato pula na sua frente.

ko catlu le dinju poi crane Olhe para a casa na frente.

le verba cu zutse le stizu bu'u le trixe be mi A criança está sentada na cadeira atrás de mim.

le prenu cu sanli ki mi bu'u le pritu be le tricu bei mi A pessoa está à direita de uma árvore do meu ponto de vista.

le dinju cu zunle le rokci ti A casa está à esquerda da pedra se vista daqui.

zunle
está à esquerda de visto de
pritu
está à direita de visto de
crane
está na frente de ( está entre e quem está observando) visto de
trixe
está atrás de visto de
sanli
está em cima de
zutse
está sentado em
vreta
está deitado em
le dertu
o chão, a terra
le ckana
a cama
le stizu
a cadeira
le pelji
o papel
le penbi
a caneta

Prática: posição

ma nabmi Qual é o problema?
ma'a nitcu tu'a le fonxa pe la .alis. Nós precisamos do telefone da Alice.
.i la .alis. ca zvati ma Onde está a Alice?
la .alis. ca na ku zvati le bu'u tcadu
.i mi pu mrilu le srana be le fonxa fi la .alis.
.i ri ca ca'o vofli la .paris.
.i ku'i mi pu zi te benji le se mrilu be la .alis.
.i ri curmi le nu mi'a pilno le fonxa
.i .e'o do bevri ri mi
Alice não está na cidade agora.
Eu enviei um e-mail sobre o telefone para ela.
Ela está voando para Paris agora.
Mas eu acabei de receber um e-mail dela.
Ela nos permite usar o telefone.
Por favor, traga-o para mim.
.i bu'u ma mi ka'e cpacu le fonxa Onde posso pegar o telefone?
le purdi .i .e'o do klama le bartu No jardim. Por favor, vá para fora.
mi ca zvati ne'a le vorme .i ei mi ca klama ma Estou perto da porta. Agora, para onde devo ir?
ko klama le zunle be le tricu .i ba ku do viska le pa jubme Vá para a esquerda da árvore. Então você verá uma mesa.
mi zgana no jubme Não vejo nenhuma mesa.
ko carna gi'e muvdu le pritu .i le jubme cu crane le cmalu dinju .i le fonxa cu cpana le jubme .i ji'a ko jgari le penbi .e le pelji .i le za'u dacti cu cpana si'a le jubme .i ba ku ko bevri le ci dacti le zdani gi'e punji fi le sledi'u pe mi Vire e mova-se para a direita. A mesa está na frente de um prédio pequeno. O telefone está em cima da mesa. Além disso, pegue uma caneta e um papel. Eles também estão em cima da mesa. Em seguida, leve as três coisas para casa e coloque-as no meu quarto.
vi'o Entendido.

Prática: veículos

mi jo'u le pendo be mi pu ca'o litru le barda rirxe bu'u le bloti Eu e meus amigos estávamos viajando em um grande rio em um barco. .i ba bo mi'a klama le vinji tcana Então fomos para um aeroporto. .i xu do se marce le karce Você foi de carro? .i na ku se marce
.i mi'a pu klama fu le trene
.i ze'a le cacra mi'a zvati bu'u le carce
Não.
Fomos de trem.
Durante uma hora estivemos em um vagão.
marce
é um veículo que transporta
se marce
é um passageiro de
karce
é um carro que transporta
bloti
é um barco que transporta
vinji
é uma aeronave que transporta
trene
é um trem de carros

Enriquecendo o vocabulário. Novas palavras usando tempos verbais

Muitas palavras em português correspondem a combinações de palavras em lojban:

pixra
is a picture of
le vi'a pixra
the picture in 2D
le vi'u pixra
the picture in 3D, a sculpture

vi'a pixra
2D picture, 2D drawing.

vi'u pixra
3D picture, sculpture.

le ve'i cmana
a colina (literalmente "montanha/colina cobrindo pouco espaço")
le ve'u xamsi
o oceano (literalmente "mar/oceano cobrindo grande espaço")
le ba'o tricu
toco de árvore (literalmente "a árvore que não é mais")

Lição 7. Letras, referindo-se a relações, datas

Nomes das letras em Lojban

Cada letra tem um nome em Lojban.

A tabela a seguir representa o alfabeto básico de Lojban e como pronunciar as letras (abaixo de cada letra):

' a b c d e
.y'y. .a bu by. cy. dy. .ebu
f g i j k l
fy. gy. .i bu jy. ky. ly.
m n o p r s
my. ny. .o bu py. ry. sy.
t u v x y z
ty. .u bu vy. xy. .y bu zy.

Como você pode ver:

  • para obter o nome de uma vogal, adicionamos a palavra bu.
  • para obter o nome de uma consoante, adicionamos y. à consoante.
  • a palavra para ' (apóstrofo) é .y'y.

Podemos soletrar palavras usando esses nomes. Por exemplo, CNN será cy. ny. ny.

Letras em vez de ‘ele’ e ‘ela

Uma sequência de um ou mais nomes de letras pode funcionar como um pronome, fornecendo um método alternativo para se referir a argumentos mencionados anteriormente na fala.

la .alis. pu klama le nurma .i le nurma cu melbi la .alis. la .alis. pu klama le nurma .i ri melbi la .alis. la .alis. pu klama le nurma .i ny. melbi la .alis. la .alis. pu klama le nurma .i ny. melbi .a bu Alice foi para o campo. A área rural é bonita para Alice. Alice foi para o campo. É bonito para ela.

Todas as variantes em Lojban acima têm o mesmo significado.

Como a primeira letra em .alis. é a (ignorando o ponto) e a primeira letra em nurma é n, podemos usar palavras de letras para se referir a esses argumentos correspondentes:

  • .a bu se refere a la .alis.
  • ny. se refere a le nurma

Esse método pode ser mais conveniente do que o português el ou ela, ou até mesmo o Lojban ri ou ra. Ele nos permite tornar a fala mais concisa e precisa, sem precisar repetir nomes potencialmente longos ou outros termos de argumento repetidamente.

No entanto, é importante observar que pode haver situações em que queremos nos referir de volta, por exemplo, a le nurma, mas outro argumento começando com n aparece no meio tempo, tornando ny. incapaz de se referir à área rural. Nesses casos, a solução mais rápida é repetir todo o argumento, ou seja, dizer le nurma:

bu'u le nurma la .alis. pu penmi la .nik. i ri se zdani bu'u le nurma No campo, Alice encontrou Nick. Ele tem sua casa no campo.

zdani
...é uma casa para...
se zdani
...tem uma casa..., ...mora em...

Se um nome consistir em várias cmevla, você pode usar as primeiras letras delas para se referir a esse nome. O mesmo se aplica a relações compostas:

la .djan.smit. cu citka le glare stasu .i dy.sy. nelci fy.sy. John Smith está comendo a sopa quente. Ele gosta dela.

glare
...é quente

dy.sy. é um pronome único. O mesmo se aplica a fy.sy..

Se você precisar colocar vários pronomes um após o outro, separe-os com a palavra boi:

mi klama la .paris. la .moskov. Eu vou de Moscou para Paris.

mi klama py. boi my. Eu vou de M para P.

A frase mi klama py. my. significaria Eu vou de PM, o que teria um significado diferente.

la .tom.silver. pu zvati .i je'u ty. sy. boi .ui pu sidju mi Tom Silver estava presente. E na verdade, TS (yay!) me ajudou.

Se você colocar uma interjeição após essas letras, separe-as com boi. Sem boi, as interjeições se referirão à última letra.

Diferentes formas de dizer 'nós' em Lojban

Em Lojban, existem vários pronomes com significado semelhante a 'nós':

mi'o
você e eu
mi'a
nós sem você
ma'a
você, eu e outros

Portanto, ao falar, você precisa ter mais cuidado com o significado de 'nós' que você precisa.

E finalmente:

mi
eu ou os falantes

mi também pode significar 'nós'! Lojban não faz distinção entre singular e plural por padrão. Portanto, se várias pessoas estiverem falando juntas, mi (que se refere a um ou mais falantes) é perfeitamente correto para 'nós'. Na prática, você geralmente encontrará mi usado assim quando uma pessoa está presumindo falar (ou com mais frequência, escrever) em nome de outros.

Alguns exemplos:

mi prami do Eu te amo.

mi'a ba penmi do Nós vamos te encontrar.

ma'a remna Nós todos somos humanos.

mi djica le nu do cliva Nós queremos que você vá embora.

cliva
sai

«ri» em vez de ‘ele’ e ‘ela

Anteriormente, aprendemos sobre o pronome ri:

ri
pronome: refere-se ao argumento anterior que acabou de ser mencionado (ignorando pronomes estáveis como mi, do, palavras para nós)

mi catlu le nanmu .i ri melbi Eu olho para o homem. Ele é bonito.

melbi
é bonito(a) / bonito(a) / bonito(a) para alguém

ri refere-se ao argumento anterior completo usado no texto ou no discurso de alguém:

la .alis. cu sipna bu'u le sledi'u pe la .alis. Alice dorme no quarto de Alice. Alice dorme-no o quarto-de-Alice.

la .alis. cu sipna bu'u le sledi'u pe ri Alice dorme no seu quarto. Alice dorme no quarto de [termo de argumento anterior].

sledi'u
é um quarto para o propósito (proposição)

O ri é equivalente a repetir o último argumento, que é la .alis. aqui.

Um aspecto a ser observado é que ri não repete le sledi'u pe ri (que também é um argumento), porque ri é parte desse argumento e, portanto, esse argumento não é "anterior", não está concluído quando ri aparece. Isso impede que ri se refira recursivamente a si mesmo.

Outro exemplo:

le du'u le prenu cu melbi cu se djuno ri Que a pessoa é bonita é conhecido por ela mesma.

O ri se refere a le prenu (e não a le du'u le prenu cu melbi embora ambos os argumentos estejam completos: le prenu começa por último, após o início de le du'u le prenu cu melbi).

A relação dentro de formas sei forma um texto paralelo. ri ignora argumentos dentro de relações sei:

mi viska la .lukas. sei la .doris. pu cusku .i ri jibni la .micel. Eu vejo Lucas, — disse Doris. Ele está perto de Michelle.

Neste exemplo, ri não pode se referir a la .doris. Simplesmente ignoramos toda a relação sei la .doris. pu cusku ao decidir a que ri deve se referir.

Pronomes que são estáveis ao longo do diálogo ou história são ignorados por ri. Nós os repetimos diretamente:

mi lumci mi Eu me lavo. Eu lavo-me

lumci
lava

mi prami mi Eu me amo. Eu amo-me.

No entanto:

  • Os pronomes ti, ta, tu são substituídos por ri porque você pode ter mudado o que está apontando, então repetir tu pode não ser eficaz.
  • Da mesma forma, ri em si (ou melhor, seu antecedente) pode ser repetido por um ri posterior. Na verdade, uma sequência de palavras ri sem outros argumentos intermediários sempre repetirá o mesmo argumento:

la .alis. cu catlu le nanmu .i ri melbi .i ri co'a zgana .a bu Alice percebe um homem. Ele é bonito. Ele percebe Alice.

zgana
observar
co'a zgana
começar a observar, notar

Neste exemplo, o segundo ri tem o primeiro ri como seu antecedente, que por sua vez tem le nanmu como seu antecedente. Todos os três se referem à mesma coisa: o homem.

No final, você decide o que, onde e quando usar na fala: o método com le + relação, o método com nomes de letras ou com ri.

«go'i» para a relação anterior

la .alis. cu klama le barja .i la .alis. cu viska le nanmu la .alis. cu klama le barja .i le go'i cu viska le nanmu Alice vai ao bar. Ela vê um homem.

  • le go'i se refere ao primeiro lugar da relação anterior.
    • go'i apresenta mais uma maneira de se referir de volta a um argumento que precisamos.
  • le se go'i se refere ao segundo lugar da relação anterior.
  • le te go'i se refere ao terceiro lugar, e assim por diante.

Exemplos:

.i la .alis. cu zgana le nanmu .i ri melbi .i la .alis. cu zgana le nanmu .i le se go'i cu melbi Alice observa um homem. Ele é bonito.

Aqui, le se go'i se refere ao segundo lugar () da relação anterior, que é le nanmu.

Outro exemplo:

Bill viu Nick. Ele o acertou.

O português não se preocupa com precisão aqui - ele apenas significa alguma pessoa do sexo masculino mencionada em algum lugar próximo no texto ou deduzida do contexto. Bill acertou Bob, ou Bob acertou Bill? Não sabemos. Em Lojban, podemos dizer:

la .bil. pu viska la .nik. .i le se go'i cu darxi le go'i Bill viu Nick. Nick acertou Bill.

No entanto, na maioria dos casos, ri ou palavras de letra podem ser usadas:

la .bil. cu viska la .nik. i ri darxi la .bil. la .bil. cu viska la .nik. i ny. darxi by. Bill viu Nick. Nick acertou Bill.

go'i em si é uma palavra de relação e, portanto, possui uma estrutura de lugar:

mi tatpi .i do ji'a go'i Estou cansado. E você também.

Quando dizemos do go'i, repetimos a relação anterior, mas substituímos seu primeiro lugar por do. Em outras palavras, do ji'a go'i aqui é o mesmo que dizer do ji'a tatpi.

Hora do dia

— ma tcika ti Que horas são?

— li cacra bu pa pa Onze horas

tcika
(horas, minutos, segundos) é o tempo do evento

Em Lojban, os tempos são sempre os tempos de algo. Então perguntamos qual é o tempo de ti, significando este evento/coisa, ou, em outras palavras, agora.

li, um prefixo para números, também é usado para indicar horários.

  • cacra bu é um prefixo que indica que o número de horas segue em seguida. O horário de 24 horas é usado quase sempre em Lojban.
  • mentu bu é um prefixo que indica que o número de minutos segue em seguida.
  • snidu bu é um prefixo que indica que o número de segundos segue em seguida.

li cacra bu pa pa mentu bu pa no 11:10 (Dez minutos depois das onze)

li cacra bu pa pa mentu bu pa no snidu bu pa ci 11 horas, 10 minutos e 13 segundos.

li cacra bu pa no mentu bu mu no 10:50, dez para as onze

Se quisermos dar o horário de um evento, em vez de apenas dizer a hora, preenchemos o segundo lugar:

li cacra bu pa no tcika le nu mi klama As dez horas é o horário em que eu chego.

Usando o termo de'i, podemos obter uma frase com uma sonoridade mais natural:

mi klama de'i li cacra bu pa no Eu estou chegando às dez horas.

de'i
às... (hora), em... (data)

E um exemplo útil:

ca tcika le nu .ei sipna É hora de dormir.

Datas

— ma detri ti Qual é a data de hoje?

— li mastu bu ze djedi bu pa É 1º de julho.

detri
(ano, mês, dia) é a data/horário do evento

Outra opção:

— ma ca detri — Qual é a data agora?

  • nanca bu é um prefixo que indica que o ano segue em seguida.
  • masti bu é um prefixo que indica que o mês segue em seguida.
  • jefydei bu é um prefixo que indica que o dia da semana segue em seguida.
  • djedi bu é um prefixo que indica que o dia segue em seguida.

Prefixos com números após eles podem ser usados em qualquer ordem (vamos usar dígitos para mostrar os números):

li djedi bu 2 ca detri Hoje é o segundo dia do mês.

li masti bu 4 djedi bu 1 ca detri Hoje é 1º de abril.

li djedi bu 5 masti bu 7 nanca bu 2005 detri le nu mi jbena O quinto dia de julho (sétimo mês), ano 2005 é quando eu nasci.

jbena
nasce

Também podemos usar de'i:

mi ba klama de'i li masti bu pano Eu vou chegar em outubro.

Partículas em Lojban podem ser escritas sem espaços entre elas, como em pano, que é o mesmo que pa no.

Para os dias da semana, geralmente, segunda-feira é o primeiro dia:

mi gunka de'i li jefydei bu pa Eu trabalho na segunda-feira.

mi gunka ca ro se detri be li jefydei bu re Eu trabalho todas as terças-feiras.

xu do pu zvati la .paris. de'i li jefydei bu ci Você estava em Paris na quarta-feira?

Especificando intervalos de tempo

mi nanca li re re Eu tenho 22 anos.

nanca
tem duração de (número) anos

nanca especifica a duração e, para dizer dois anos de duração, preencha o segundo lugar com um número precedido por li.

le verba cu masti li re A criança tem dois meses de idade.

masti
tem duração de meses

le nu carvi cu djedi li ci Está chovendo há três dias.

djedi
(evento) tem duração de (número) dias inteiros

Novos verbos a partir de uma escala: ‘diferente de’ — «na'e», ‘anti-’ — «to'e»

mi na'e nelci do Eu não gosto de você.

Partículas "escalares à esquerda" (à qual na'e pertence) são colocadas à esquerda das construções que afetam, formando uma escala:

A própria escala pode ser especificada usando a etiqueta modal ci'u.

  • je'a = de fato (a posição afirmativa na escala). A palavra je'a confirma o significado de uma parte de uma frase. Geralmente, é omitida.

mi je'a nelci do Eu realmente gosto de você.

  • je'a = de fato (a posição afirmativa na escala). A palavra je'a confirma o significado de uma parte de uma frase. Normalmente, é apenas omitido.

mi je'a nelci do Eu realmente gosto de você.

  • na'e = non- (exceto a posição afirmativa na escala)

mi na'e nelci do Eu além de gostar de você.

le stizu cu na'e xunre be ci'u le ka skari A cadeira não é vermelha. A cadeira não é vermelha na escala de ter uma cor

  • no'e = na verdade não (ponto médio da escala). A palavra no'e dá a uma parte de uma frase um significado intermediário.

mi no'e nelci do Quanto a te amo ou odeio, sou indiferente a você. Eu não gosto nem odeio você.

  • to'e = anti-, dis-, mis- etc. (oposto na escala). A palavra to'e dá a uma parte de uma frase um significado oposto. É semelhante ao prefixo português anti-.

mi to'e nelci do Eu te odeio. Eu anti-gosto de você

na'e é mais vago do que no'e e to'e; pode significar qualquer um deles quando você não se importa com o significado exato.

Termos modais complexos: ‘porque’ — «ki'u», ‘apesar de’ — «to'e ki'u nai»

Termos modais podem ser negados de duas maneiras para obter significados relacionados.

ki'u
termo modal: porque, devido a uma explicação ..., que pode ser explicado pelo fato de ...

ki'u ma do cusku zo co'o Por que você diz adeus?

Adicionando o sufixo nai muda o significado:

ki'u nai
termo modal: não porque, que não pode ser explicado pelo fato de ...

mi se nabmi ki'u nai le nu mi laldo ce'e ki'u le nu mi na certu Estou com problemas não porque sou velho, mas porque não sou um especialista.

nabmi
é um problema para
se nabmi
tem um problema
laldo
é velho ...
certu
é um especialista, profissional em propriedade

Adicionando to'e define a negação do significado:

to'e ki'u
porque não, que pode ser explicado pelo fato de que não acontece que ...

mi jinga to'e ki'u le nu mi pu surla Eu ganhei porque não tinha descansado.

Combinando tanto to'e quanto nai, obtemos:

to'e ki'u nai
apesar da razão ..., não porque não, que não pode ser explicado pelo fato de que não acontece ...

.i to'e ki'u nai le nu le mamta cu sanga su'o melbi kei le verba na snada lo ka sipna Apesar da mãe cantar lindamente, a criança não consegue dormir.

Usando se inverte a ordem dos argumentos. Caso contrário, o significado é preservado.

se ki'u
portanto, o que explica o fato de ...

ra bilma se ki'u le nu ra na pu cusku zo coi do Ele está doente, o que explica por que ele não disse oi para você.

se ki'u nai
mas não segue que ..., o que não explica o fato de ...

ra bilma se ki'u nai le nu ra klama le drata tcadu Ele está doente, o que não explica por que ele está indo para outra cidade.

se to'e ki'u
..., a ausência do qual explica o fato de ...

ra bilma se to'e ki'u le nu ra klama le drata tcadu Ele não está doente, e isso explica por que ele está indo para outra cidade.

se to'e ki'u nai
..., a ausência do qual não explica o fato de ...

ra bilma se to'e ki'u nai le nu ra penmi le mikce Ele não está doente, e isso não explica por que ele está encontrando o médico.

mikce
é um médico

Lição 8. Termos e matemática

'Possivelmente pode', 'já foi' e 'ainda não foi'

le cipni ka'e vofli
The bird possibly can fly.

le'e cipni ka'e vofli Os pássaros podem voar.

le pendo be mi ca'a xendo prenu Meu amigo se mostra como uma pessoa amigável.

le pendo be mi ka'e litru bu'u ro da Um amigo meu pode viajar para qualquer lugar.

mi ca'a zvati la .madrid. Eu estou em Madrid.

mi pu'i zvati la .madrid. Eu já estive em Madrid.

mi nu'o zvati la .madrid. Eu nunca estive em Madrid.

ka'e
termo de potencial: possivelmente pode
ca'a
termo de potencial: realmente é
pu'i
termo de potencial: já aconteceu
nu'o
termo de potencial: nunca aconteceu

Essa série de chamados termos de potencial descreve situações possíveis.

Note que ka'e significa que um evento pode acontecer, enquanto, por exemplo,

le'e cipni cu kakne le ka vofli Os pássaros são capazes de voar.

descreve habilidades dependentes das ações dos participantes.

'Mais' e 'menos'

li mu du li re su'i ci Cinco é igual a dois mais três.

li que vimos anteriormente é similar a le, mas inicia uma expressão matemática (ou apenas um número ou um timestamp).

Note que li re su'i ci (2+3) é considerado uma única expressão e tratado como um único argumento.

du é uma palavra de relação e significa ... é igual a ....

  • su'i significa mais.
  • vu'u significa menos.
  • pi'i significa vezes e é usado para multiplicação.
  • fe'i significa dividido por e é usado para divisão.

pi é um separador decimal, então no pi mu significa 0.5, e ci ze pi pa so significa 37.19.

Em algumas notações, 0.35 pode ser escrito como .35, e em Lojban, também podemos omitir o zero dizendo pi mu.

Aqui estão alguns outros exemplos:

li pare fe'i ci du li vo 12 : 3 = 4.

li re pi'i re du li vo dois vezes dois é quatro

li pano vu'u mu pi'i re du li no 10 - 5 * 2 = 0.

Observe que você coloca li apenas uma vez antes da equação e uma vez depois dela. Assim, 12 : 3 é considerado um único número. Na verdade, 4 é o mesmo que 12 : 3. Ambos são números.

Para perguntar por um número, usamos ma:

li ci su'i vo du ma 3 + 4 = ?

li ze 7

'primeiro — «pa moi», 'segundo' — «re moi», 'último' — «ro moi»

Números ordinais como primeiro, segundo e terceiro são usados para ordenar itens. Em Lojban, eles são formados adicionando um número seguido de moi:

pa moi
é o primeiro entre (conjunto)
re moi
é o segundo entre (conjunto)
ci moi
é o terceiro entre (conjunto)

ro moi
é o último entre (conjunto)

Relações também podem ser usadas em vez de números:

me mi moi
é meu
me do moi
é seu

Nesse caso, tivemos que converter pronomes em relações usando me.

le prenu cu pa moi le'i se prami be mi Ele é meu primeiro amor.

tu ro moi le'i ratcu pe mi Aquele é meu último rato.

le cerni tarci cu ro moi le'i tarci poi cumki fa le nu viska ke'a pu le nu co'a donri A estrela da manhã é a última estrela visível antes do amanhecer.

tu me mi moi Isso é meu.

tu me mi moi le'i stizu tu me mi moi stizu (usando uma relação composta para ser mais conciso) Esse é meu lugar.

.i ti voi stizu cu me mi moi le'i pa ci stizu poi jibni le jubme Este lugar é meu entre os 13 lugares próximos à mesa.

Números cardinais são colocados antes de números ordinais em uma sequência e separados por boi:

le ci boi pa moi be le'i kabri pe le ckafi as três primeiras xícaras de café

Sem o boi, se tornaria ci pa moitrigésimo primeiro.

«gau» — faça-os fazer isso

O termo gau marca o agente de um evento:

le canko cu kalri A janela está aberta.

le canko gau do kalri Você abre a janela. A janela é aberta por você

gau
termo modal: causado por ... (agente), impulsionado por ... (alguém, algum objeto)
kalri
está aberto

Assim, verbos como abrir algo e mover algo podem ser reformulados como fazer algo abrir e fazer algo mover. Portanto, não precisamos aprender verbos extras para cada significado desse tipo. Em vez disso, adicionamos o termo gau o tempo todo.

Também existe outro método que mantém a mesma ordem das palavras em português:

le canko gau ko kalri ko jai gau kalri fai le canko Abra a janela!

Aqui, transformamos a relação kalriestar aberto em uma nova relação:

jai gau kalri
abrir algo

O primeiro lugar de kalri pode ser indicado usando uma etiqueta de lugar fai.

Algumas variações adicionais:

le pa karce cu muvdu O carro se move.

ko jai gau muvdu fai le karce le karce gau ko muvdu Mova o carro! Faça o carro se mover!

le karce cu muvdu ti fa le karce cu muvdu fe ti O carro se move aqui.

ko jai gau muvdu fai le karce fe ti Mova o carro aqui!

muvdumove para algum lugar é transformado em uma nova relação jai gau muvdumover algo ou alguém para algum lugar.

muvdu
se move para a partir de via
jai gau muvdu fai le karce
move o carro para a partir de via

la .alis. cu klama Alice vem.

la .alis. gau ko klama Faça Alice vir!

'Por quê?' — «ri'a», «ni'i», «mu'i», «ki'u»

- ri'a ma carvi - Por que está chovendo?

- le nu le dilnu ca klaku - Porque as nuvens estão chorando.

ri'a
termo modal: por causa de ... (algum evento)
ri'a ma
por quê?
klaku
chora

Ao contrário de gau, o termo ri'a não espera um agente, mas um evento, como as nuvens estão chorando:

le dilnu cu klaku ri'a le nu le dargu cu cilmo O céu está chorando, resultando na estrada molhada.

Portanto é a palavra inversa em comparação com porque:

le dilnu cu klaku .i se ri'a bo le dargu cu cilmo O céu está chorando. Portanto, a estrada está molhada.

cilmo
... está molhado

Outro tipo de por que é ni'i:

- ni'i ma nicte - le nu le solri na ku te gusni - Por que é noite? - Porque o sol não está brilhando.

le solri na ku te gusni .i se ni'i bo nicte O sol não está brilhando. Portanto, é noite.

não
termo modal: logicamente por causa de…
se ni'i
termo modal: com a consequência lógica de que…, logicamente portanto

Aqui, não podemos usar ri'a pois não estamos falando de um resultado, mas de uma implicação lógica. O fato de ser noite decorre logicamente do fato de o sol não brilhar.

mi darxi la .kevin. mu'i le nu ky. lacpu le kerfa seja mi Eu bati no Kevin porque ele puxou meu cabelo.

mu'i
termo: porque (por motivo...)

Neste exemplo, não temos dois eventos fisicamente conectados, como nuvens e chuva, mas três eventos:

  1. Kevin puxa meu cabelo.
  2. Eu decido, como resultado disso, bater no Kevin.
  3. Eu bato no Kevin.

O português omite o segundo evento e diz "Sally bateu no Joey porque ele puxou o cabelo dela". No entanto, isso não apenas é vago, mas, alguns diriam, psicologicamente perigoso. As pessoas geralmente não reagem a estímulos automaticamente, mas como resultado de motivação, e confundir respostas complexas com simples causalidade física pode nos levar a acreditar que não temos controle sobre nossas emoções ou até mesmo nossas ações. Portanto, muitas vezes é útil não apenas mencionar reações físicas (ri'a), mas enfatizar respostas que têm um elemento cognitivo/emocional (mu'i).

le ctuca pu plicru la .ben. le jemna ki'u le nu por. pu zabna gunka A professora deu a joia de presente para Ben porque ele trabalhou bem.

le ctuca
a professora
le jemna
a jóia
zabna
é legal, legal
gunka
funciona
ki'u
termo modal: porque (devido à explicação…)

A diferença entre motivação e justificação nem sempre é clara, mas podemos dizer que a justificação envolve alguma regra ou padrão, enquanto a motivação não o exige. Comparar:

le ctuca pu plicru la .ben. le jemna ki'u le nu por. pu zabna gunka A professora deu a joia de presente a Ben, motivada por seu belo trabalho.

Isso diz apenas que o trabalho árduo de Ben motivou o professor a dar-lhe a gema, enquanto que com ki'u, poderíamos sugerir que é costume os professores darem gemas como recompensa por um bom trabalho.

Nota: Não confunda ki'u com ku'i, que significa mas, contudo.

ki'u apela a considerações mais gerais do que mu'i, mas ainda trata de padrões humanos, não de leis lógicas. Somente um aluno muito ingênuo acreditaria que se um aluno receber uma joia, isso deve implicar logicamente que o aluno trabalhou bem.

No caso de ni'i ma nicte, entretanto, o fato de o Sol não estar brilhando à noite implica logicamente que o Sol não está brilhando. Aqui, podemos usar ni'i com confiança.

Então ... que

A expressão então ... que é expressa em Lojban dividindo a frase em duas:

mi tai galtu plipe .i ja'e bo mi farlu Eu pulei tão alto que caí.

ja'e
termo modal: com o resultado de ...
tai
termo modal: na maneira de ...

Outros exemplos:

mi tai zukte Eu ajo assim

mi tai fengu Eu estou tão bravo.

fengu
está bravo com (cláusula) por ação (propriedade de )

Se ... então

ba ku fau le nu do cizra kei mi prami do Se você for estranho, então eu vou te amar.

fau
termo modal: com o evento de ..., sob circunstâncias ..., simultaneamente com ...

fau é muito parecido com ca (quando) ou bu'u (em (algum lugar)).

Em muitos casos, podemos substituir fau por ca para obter quase o mesmo significado (às vezes mais preciso):

mi ba prami do ca le nu do cizra Eu vou te amar quando você for estranho.

Podemos substituir le por ro lo em tais termos para obter um novo significado:

mi ba prami do ca ro lo nu do cizra Eu vou te amar sempre que você for estranho.

«fau» e «da'i». ‘E se ...

da'i mi turni Eu poderia ser um governador.

da'i nai mi turni Eu sou um governador.

  • A interjeição da'i marca a relação em que é colocada como descrevendo um evento imaginário.
  • A interjeição oposta da'i nai marca a relação como descrevendo um evento real, atual.

Construções com da'i são geralmente traduzidas para o português com verbos auxiliares como poderia, faria, deveria, devo. Relações marcadas com da'i em português são ditas estar no modo subjuntivo.

Omitir da'i ou da'i nai torna a frase clara apenas pelo contexto, que geralmente é bastante transparente. É por isso que da'i ou da'i nai não são obrigatórios. Nós os usamos para clareza quando necessário.

Relações com da'i podem incluir o termo com fau:

da'i mi gleki fau le nu mi ponse le rupnusudu be li pa ki'o ki'o Eu ficaria feliz se eu tivesse um milhão de dólares.

fau
com o evento de ...
rupnusudu
custa (número) dólares americanos
pa ki'o ki'o
1 milhão

mo da'i fau le nu mi cusku lu ie nai li'u E se eu disser "não"?

Aqui, o evento dentro de fau é igualmente imaginado junto com mi gleki. E aqui está o exemplo reverso:

da'i nai mi gleki fau le nu mi ponse le rupnusudu be li pa ki'o ki'o Tendo um milhão de dólares, eu estou feliz.

Em muitas circunstâncias, a palavra fau pode ser substituída com segurança apenas por ca (ao mesmo tempo que ...):

da'i nai mi gleki ca le nu do klama Eu estou feliz quando você vem.

Outras preposições podem ser usadas quando necessário:

da'i mi denpa ze'a le nu do limna Eu esperaria enquanto você nadasse.

denpa
espera por (evento)...
ze'a
através de algum tempo, por um tempo, durante ...
limna
nada

Probabilidades

Suponha que você chegue em casa e ouça alguém arranhando. Você pode dizer uma das seguintes frases:

fau su'o da tu mlatu fau da tu mlatu Isso pode ser/possivelmente é um gato. É possível que isso seja um gato. (Você tem vários animais em casa. Então pode ser seu gato arranhando, mas você não tem certeza.)

fau ro da tu mlatu Isso deve ser/certamente é o gato. (Você tem um gato, e esse barulho pode ser produzido por apenas um objeto, aquele gato.)

fau so'e da tu mlatu Isso deve ser/provavelmente é o gato. (Se você tem um cachorro, então ele também pode produzir esses sons, mas seu cachorro normalmente não faz isso, então o gato é mais provável.)

fau so'u da tu mlatu Não é provável que isso seja o gato.

fau no da tu mlatu Isso não pode ser o gato. Isso não deve ser o gato. É impossível que isso seja o gato.

Observe que omitimos da'i por brevidade. Mas se quisermos deixar explicitamente claro que os eventos são imaginários, da'i nesses exemplos deve ser colocado dentro da relação fau:

  1. fau da'i da denota que o evento nessa relação é possível, pode acontecer possivelmente.
  2. fau da'i ro da — o evento necessariamente aconteceria.
  3. fau da'i so'e da — o evento é provável, provavelmente acontecerá, é provável que aconteça.
  4. fau da'i so'o da — o evento é remotamente provável, poderia acontecer.
  5. fau da'i so'u da — o evento não é provável, provavelmente não acontece.
  6. fau da'i no da — o evento não é possível.

A diferença entre eles está no número de situações imaginárias que levamos em consideração. Não descrevemos essas situações; apenas as marcamos como da (algo), deixando o contexto (ou nossos ouvintes) decidirem quais são essas situações.

Possibilidade implícita em lugares de relações

Algumas relações têm da'i implícito em alguns de seus espaços quando você não usa da'i explicitamente:

mi pacna le nu do ba pluka sipna Eu espero que você tenha um sono agradável.

pacna
espera por (evento possível) com probabilidade (número, por padrão li so'a, ou seja, próximo de 1)

mi kanpe le nu do klama Eu espero que você venha.

mi kanpe le nu do ba jinga kei li so'e Você provavelmente vai ganhar. Eu espero com uma alta probabilidade que você vença.

mi kanpe le nu mi cortu fau ro lo nu su'o lo rokci cu farlu le tuple be mi Eu sei com certeza que se uma pedra cair no meu pé, vai doer.

kanpe
espera (evento possível) com probabilidade esperada (um número de 0 a 1, o valor padrão é li so'a, ou seja, próximo de 1)

Ao contrário de pacna, a relação kanpe não implica necessariamente esperança ou desejo. Ela pode descrever uma expectativa imparcial, avaliação subjetiva da probabilidade de uma situação.

cumki fa le nu do jinga É possível que você vença.

- xu ba carvi - cumki - Vai chover? - Talvez.

cumki
(evento possível) é possível, pode, pode ocorrer, é um talvez.

- xu ba carvi - lakne - Vai chover? - Provavelmente.

lakne
(evento possível) é provável, provável

mi djica le nu do jinga Eu quero que você vença.

mi djica le nu mi klama la .paris. Eu preferiria visitar Paris. Eu quero visitar Paris.

djica
quer que (evento possível)

mi te mukti le ka klama la .paris. Eu vou visitar Paris. Estou motivado para visitar Paris.

mi te mukti klama la .paris. Estou visitando Paris intencionalmente.

te mukti
está motivado para realizar o objetivo (evento possível) por motivo (evento)

mi kakne le ka limna Eu consigo nadar.

mi pu kakne le ka gunka Eu poderia trabalhar. Eu conseguia trabalhar.

kakne
pode, é capaz de fazer (propriedade de )

descreve um evento possível.

mi nitcu le nu mi sipna Eu preciso dormir.

nitcu
precisa de (evento possível)

mi bilga le ka gunka Eu devo trabalhar. Eu sou obrigado a trabalhar.

bilga
deve, é obrigado a fazer (propriedade de )

mi curmi le nu do citka ti Eu permito que você coma isso.

curmi
permite/permite que (evento possível)

mi tolcru le nu do nerkla Eu proíbo que você entre.

tolcru
proíbe/proíbe que (evento possível)

xu do stidi le ka sipna kei mi Você sugere que eu durma?

stidi
inspira (ação possível) no ator

mi senpi le du'u ra kakne le ka limna Eu duvido que ele consiga nadar.

senpi
duvida que (proposição) seja verdadeira

mi se xanri le nu mi pavyseljirna Eu imagino a mim mesmo sendo um unicórnio. Eu poderia ser um unicórnio.

se xanri imagina (evento possível)

xanri (evento possível) é imaginado por $x_2

Lição 9. Conjunções lógicas

As conjunções lógicas em Lojban são baseadas em 4 primitivas: .a, .e, .o, .u. Nesta lição, vamos cobri-las em detalhes.

Conjunções lógicas para argumentos

Aqui estão as conjunções que combinam duas palavras: este e aquele.

  • ti .a ta = este e/ou aquele

mi ba vitke le mamta .a le tamne Eu vou visitar a mãe ou o primo.

Note que .a também pode ser traduzido como pelo menos um dos dois valores, e assim deixa aberta a possibilidade de eu visitar ambos em algum momento.

  • ti .e ta = este e aquele

mi ralte le pa gerku .e le re mlatu Eu tenho um cachorro e dois gatos. Eu tenho um cachorro e dois gatos.

  • ti .o ta = ou este e aquele, ou nenhum

mi ba vitke le mamta .o le tamne Eu vou visitar tanto a mãe quanto o primo, ou nenhum deles.

  • ti .u ta = este, e talvez aquele, este quer ou não aquele

mi ba vitke le mamta .u le tamne Eu vou visitar a mãe quer eu visite o primo ou não.

.u apenas enfatiza que o segundo valor não afeta a verdade da frase.

Colocar nai após uma conjunção nega o que está à direita dela. Colocar na antes de uma conjunção nega o que está à esquerda dela:

  • ti .e nai ta = este e não aquele

mi nelci la .bob. e nai la .alis. Eu gosto do Bob, mas não da Alice. Eu gosto do Bob e não da Alice

Também podemos dizer ti .e nai ku'i ta (este, mas não aquele) adicionando um sabor de contraste para o segundo argumento.

  • ti na .e ta = não este, mas aquele

mi nelci la .alis. na .e la .bob. Eu não gosto da Alice, mas gosto do Bob. Eu gosto da Alice não e do Bob

Isso pode soar um pouco estranho para falantes de português (Eu gosto da Alice não...), então você pode preferir trocar os argumentos e usar .e nai em vez disso: mi nelci la .bob. e nai la .alis. ou até mesmo mi nelci la .bob. i mi na ku nelci la .alis. terão o mesmo significado.

  • ti na .e nai ta = nem isso nem aquilo (nenhum)

mi nelci la .alis. na .e nai la .bob. Eu não gosto nem da Alice nem do Bob

Negar com outras conjunções primitivas pode não parecer intuitivamente utilizável, você pode apenas aprendê-las a partir de exemplos:

  • ti .a nai ta = isso se aquilo, para isso acontecer, a condição exclusiva é que

mi ba vitke le mamta .a nai le tamne Eu visitarei a mãe, mas para isso acontecer, eu preciso visitar o primo.

Assim, ti .a nai ta significa que ta é necessário (mas pode não ser a única condição) para que ti seja aplicado.

  • ti .o nai ta = ou isso ou aquilo

mi ba vitke le mamta .o nai le tamne Eu visitarei ou a mãe ou o primo.

Se eu quiser dizer que vou visitar ou a mãe ou o primo, mas não ambos, eu preciso de .o nai (ou/ou). É diferente de .a (e/ou), onde posso visitar ambos.

  • ti na .u ta = não influencia (não isso, mas talvez aquilo)

  • ti na .u nai ta = não influencia (não isso, mas talvez aquilo)

  • ti se .u ta = talvez isso, e aquilo

  • ti se .u nai ta = talvez isso, mas não aquilo

Esses são usados para conectar argumentos. Para conectar partes de relações compostas, usamos conjunções semelhantes: ja, je, jo, ju. Então, em vez do ponto (pausa), usamos j aqui.

Conjunções lógicas para frases

Esta é uma forma mais concisa de dizer:

mi ralte le pa gerku .i je mi ralte le re mlatu Eu tenho um cachorro, e eu tenho dois gatos.

.i je une duas frases com um e lógico, mostrando que ambas as frases fazem parte de um pensamento e são verdadeiras.

Aqui estão exemplos de outras conjunções para frases:

_la .rome'os. cu prami la .djuliet. i je la .djuliet. cu prami la .rome'os. Romeu ama Julieta, e Julieta ama Romeu.

Isso significa que ambas as afirmações são verdadeiras, ou seja, Romeu e Julieta se amam.

O mesmo se aplica a outras conjunções:

la .rome'os. cu prami la .djuliet. i ja la .djuliet. cu prami la .rome'os. Romeu ama Julieta e/ou Julieta ama Romeu.

Isso significa que um deles ama o outro, e talvez ambos amem.

la .rome'os. cu prami la .djuliet. i jo nai la .djuliet. cu prami la .rome'os. Ou Romeu ama Julieta ou Julieta ama Romeu.

Aqui, ou Romeu ama Julieta (mas Julieta não o ama), ou Julieta ama Romeu (mas ele não a ama).

la .rome'os. cu prami la .djuliet. i ja nai la .djuliet. cu prami la .rome'os. Para Romeu amar Julieta, é necessário que Julieta ame Romeu.

Isso significa que se Julieta ama Romeu, ele definitivamente a ama, mas ele pode amá-la de qualquer maneira (a única possibilidade impossível é Julieta amar Romeu, mas ele não a amar).

la .rome'os. cu prami la .djuliet. i jo la .djuliet. cu prami la .rome'os. Ou Romeu ama Julieta e Julieta ama Romeu, ou nenhum dos dois eventos acontece.

Isso significa que se Julieta ama Romeu, ele a ama, e se ela não o ama, ele não a ama.

la .rome'os. cu prami la .djuliet. i ju la .djuliet. cu prami la .rome'os. Romeu ama Julieta, independentemente de Julieta amar Romeu ou não.

Observe como "Romeo" foi adaptado para o Lojban: a combinação "eo" é impossível em Lojban, então usamos "e'o" e adicionamos uma consoante no final do nome dele.

Observe que da se refere à mesma entidade quando várias frases estão conectadas.

Conjunções lógicas dentro de relações compostas

le melbi xunre fonxa telefones lindamente vermelhos

le melbi je xunre fonxa telefones bonitos e vermelhos

Outras conjunções também fazem sentido:

mi nelci ro tu voi xajmi ja melbi prenu Eu gosto de todas as pessoas que são engraçadas ou bonitas (ou ambas).

mi nelci ro tu voi xajmi jo nai melbi prenu Eu gosto de todas as pessoas que são ou engraçadas ou bonitas.

Isso pode ser explicado, por exemplo, se eu considerar as qualidades de humor e boa aparência incompatíveis, ou seja, uma mistura dos dois seria demais.

mi nelci ro tu voi xajmi ju melbi nanmu Gosto de todas as pessoas que são engraçadas (sejam bonitas ou não).

E mais uma vez, não devemos esquecer a diferença entre conectar argumentos e conectar partes de construções de relações compostas:

mi ba vitke le pa pendo .e le pa speni Eu visitarei um amigo e um cônjuge.

mi ba vitke le pa pendo je speni Eu visitarei um amigo e cônjuge.

A última frase de Lojban significa que o amigo também é cônjuge.

Conjunções lógicas para caudas de relações

pu ku mi uantida la .soker. gi'e klama le zdani gi'e citka le badna Eu joguei futebol, fui para casa, comi a banana.

uantida
relação não oficial: joga o jogo , participa do jogo

gi'e conecta várias relações em uma com alguns termos compartilhados. Veja isso: Ele se expande para eu joguei futebol e eu fui para casa ... o que seria mais longo.

Com gi'e, mantemos a cabeça da relação constante e especificamos os termos após cada construção de relação (joguei futebol, fui para casa ...).

Assim, ao usar gi'e, temos várias relações na cauda unidas, mas tendo uma cabeça comum.

gi'e tem a mesma vogal final que je e significa e.

Outras conjunções para unir caudas de relações:

  • gi'a para e/ou
  • gi'o nai para ou … ou
  • gi'u para seja ou não etc.

Essas conjunções têm o mesmo final que aquelas da série .a, .o, .u.

Termos em frases com várias caudas

Observe que os tempos como termos e os tempos anexados à relação principal da relação fazem diferença quando aplicados a sentenças que contêm várias relações anexadas:

  • Um termo no cabeçalho da frase é aplicado a todos os seus finais:

mi ba'o cu citka le badna gi'e pinxe Não como mais a banana e não bebo mais.

Aqui, ba'o é aplicado a citka le badna gi'e pinxe.

  • Uma palavra tensa que faz parte da relação é aplicada apenas a essa relação:

mi ba'o citka le badna gi'e pinxe Eu não como mais banana, mas bebo.

Aqui, ba'o é aplicado apenas à relação implícita mi citka le badna, mas não à relação implícita mi pinxe.

Perguntas de escolha

Outro tipo de "ou" em português pode ser encontrado em perguntas:

— xu do pinxe le tcati .o nai le ckafi? — pinxe — Você vai beber chá ou café? — Sim.

Essa é uma resposta peculiar, mas perfeitamente razoável: Sim, eu vou beber chá ou café.

Isso acontece porque "ou" tem vários significados em português:

  1. A ou B pode significar ou A, ou B, mas não ambos. Usamos .o nai aqui.
  2. A ou B pode significar A ou B ou ambos. Usamos .a aqui.
  3. A ou B? pode ser uma pergunta significando escolha entre A e B, qual deles você escolhe? Usamos ji aqui.

Assim, no último caso, usamos uma conjunção de pergunta separada ji:

— do pinxe le tcati ji le ckafi? — Você vai beber chá ou café?

Possíveis respostas:

le tcati .e le ckafi Chá e café.

le tcati Chá.

le ckafi Café.

Também é possível usar conjunções ao responder:

.eAmbos (o primeiro e o segundo item são escolhidos)

.e naiO primeiro (chá) (apenas o primeiro item é escolhido)

na .eO segundo (café) (apenas o segundo item é escolhido)

na .e naiNenhum (nem o primeiro nem o segundo item são escolhidos)

Você pode fazer perguntas da mesma maneira sobre os outros tipos de conjunções que vimos. A conjunção interrogativa para relações de cauda é gi'i, para relações compostas — je'i, para sentenças — .i je'i.

Perguntas indiretas são feitas usando ji kau:

Considere que o garçom pergunta a um visitante:

- le'e dembi ji le'e rismi - Feijão ou arroz?

Depois que o visitante responde, o garçom sabe se o visitante quer comer cordeiro ou carne bovina:

ba le nu le vitke cu spusku kei le bevri cu djuno le du'u le vitke cu djica le nu ri citka le'e dembi ji kau le'e rismi Depois que o visitante responde, o garçom sabe se o visitante quer comer feijão ou arroz.

Conjunções de antecipação

ge do gi mi tanto você quanto eu

ge nai do gi mi Não você, mas eu

ge do gi nai mi Você, mas não eu

go nai do gi mi Ou você ou eu

A conjunção de antecipação ge significa e, mas é colocada antes do primeiro termo do argumento, com gi separando os dois argumentos. Essa série é paralela a outras conjunções: ga, ge, go, gu, assim como ga nai, ge nai, go nai, etc. O separador gi é o mesmo para todas elas.

Usar essas conjunções é uma questão de conveniência:

mi citka ge nai le badna gi le plise Eu como não a banana, mas a maçã.

Aqui, assim como em português, não é colocado antes do primeiro argumento.

ge e palavras dessa série também podem ser usadas para conectar relações:

ge mi dansu gi mi zgipli le pipno Eu tanto danço quanto toco piano.

zgipli
toca o instrumento musical
le pipno
piano

.i ga nai pu zi carvi gi ca cilmo Se tem chovido recentemente, está molhado agora.

Lição 10. Estruturando o texto

«ju'a» e afirmações

le prenu cu cizra .i ji'a je la .alis. cu jinvi le du'u go'i A pessoa é estranha. E Alice também pensa assim.

la .alis. cu jinvi le du'u le prenu cu cizra Alice tem a opinião de que a pessoa é estranha.

Por padrão, a relação principal de uma frase afirma alguma informação. Relações dentro de lugares ou relações que são relações relativas podem não ser afirmadas. No último exemplo, o fato de a pessoa ser estranha não é afirmado pelo falante; é apenas a opinião de Alice.

A interjeição ju'a torna a relação afirmada pelo falante. A primeira frase pode ser reformulada como:

la .alis. cu jinvi le du'u ju'a le prenu cu cizra Alice tem a opinião de que a pessoa é estranha, e é assim.

O português muitas vezes não consegue traduzir esse poderoso ju'a de forma concisa, então a tradução em português não segue a ordem das palavras do original em Lojban.

Aqui está outro exemplo:

mi nelci le nu do dansu Eu gosto quando você dança.

mi nelci le nu ju'a do dansu Eu gosto quando você dança.

No segundo caso, o falante afirma Você dança.

«pe'a» para metáforas, «za'e» para palavras inventadas, «ba'e» para ênfase

le ninmu cu tarci pe'a .i va'i ri misno A mulher é uma estrela, metaforicamente falando. Em outras palavras, ela é famosa.

pe'a
interjeição: marca um construto como usado metaforicamente.
tarci
é uma estrela

tarci denota estrelas reais, objetos no céu. A interjeição pe'a transforma-o em um significado metafórico.

.i ba ku mi pu viska le cizra stuzi poi le fagri cu nenri .i mi pu klama za'e le fagrystu Então, eu vi um lugar estranho com um fogo dentro. Eu me aproximei do, digamos, "lugar do fogo".

za'e
interjeição à esquerda: marca o construto seguinte como usado não em seu significado usual

As interjeições à esquerda, como o próprio nome sugere, são colocadas antes de um construto modificado (enquanto outras interjeições são colocadas depois).

A interjeição à esquerda za'e mostra que o construto seguinte, le fagrystu neste caso, é inventado ou usado não em seu significado padrão. Assim, não há necessidade de procurá-lo no dicionário ou perguntar especificamente ao falante sobre o significado dessa palavra, uma vez que a palavra é usada para descrever melhor a história.

ba'e la .alis. e nai la .kevin. pu darxi mi Alice, não Kevin, me bateu!

mi djuno le du'u ma kau pu darxi ba'e mi .i ku'i mi na ku djuno le du'u ma kau pu darxi do Eu sei quem me bateu. No entanto, eu não sei quem te bateu.

ba'e
interjeição à esquerda: enfatiza o construto seguinte

Para enfatizar uma palavra, usaríamos o estresse no português falado e sublinhado, itálico ou letras maiúsculas no português escrito. Em Lojban, usamos a interjeição à esquerda ba'e.

Parágrafos e separação de frases

ni'o funciona exatamente como .i, mas inicia um novo parágrafo. Parágrafos geralmente estão associados a novos tópicos.

É normal usar .i na fala para separar frases, mas você pode querer usar ni'o especialmente em texto escrito para estruturá-lo.

ni'o
.i le pa nintadni cu klama le ctuca bu'u le galtu bu'u le darno cmanaUm novato visitou o mestre lá no alto das montanhas.
.i sei le nintadni cu cusku doi le ctuca noi certu tavla fo la .lojban. ku'o do skicu .e'o fi mi fe le nu fi ma kau fa la .lojban. cu frica le'e drata banguO novato disse: "Mestre, você fala Lojban fluentemente. Por favor, me diga qual é a diferença entre Lojban e outras línguas."
.i le ctuca cu friti tu'a le kabri be lei jinto djacu le nintadni gi'e ba bo cuskuO mestre lhe ofereceu uma xícara de água da nascente e então disse:
lu .i ca ti ko catlu le djacu gi'e skicu ri li'uAgora olhe para a água e descreva-a.
.i ku'i sei le nintadni cu cusku mi mo'u pinxe ri i je mi na ku kakne le ka catluO novato disse: "Mas eu bebi tudo. Não consigo olhar para ela."
.i ki'u ma do na ku kakne sei le ctuca cu cuskuPor que você não consegue?, disse o mestre.
.i sei le nintadni cu cusku le djacu ca pagbu le xadni be miO novato disse: "Agora ela faz parte do meu corpo."
ni'o
.i su'o da poi prenu zo'u le mudri co'a pagbu le zdani be daUm pedaço de madeira se torna parte da casa de alguém.
.i su'o de poi prenu zo'u su'o lo bangu poi se tadni cu co'a pagbu le menli be deUma língua aprendida se torna parte da mente de alguém.
.i su'o di zo'u le dirgo be le djacu co'a pagbu da poi zmadu fi le ka banliUma gota de água se torna parte de algo maior.
dirgo
é uma gota de material ...

«to» ... «toi» para observações entre parênteses

Comentários colocados entre parênteses no texto em português são formados usando a palavra to em vez do parêntese esquerdo e toi em vez do parêntese direito:

ti poi to vi'o nai do mi na ku djica tu'a su'o lo drata toi plise cu fusra Esta (não, eu não quero outra!) maçã está podre.

djica
desejar
drata
... é diferente de ...
plise
é uma maçã
fusra
apodrece ou se decompõe com o agente

Observações entre parênteses podem ser colocadas em qualquer lugar em que interjeições possam ser colocadas, o que significa que elas podem ser colocadas praticamente em qualquer lugar em uma frase em Lojban. Com parênteses, assim como com aspas, você precisa saber onde o parêntese começa e onde ele termina.

Corrigindo erros na fala

Ao corrigir-se, é importante saber como corrigir seus erros. Você pode usar duas palavras para apagar suas palavras anteriores:

si
deleção: apaga apenas a última palavra
sa
deleção: apaga até a próxima cmavo falada

Elas apagam palavras como se nunca tivessem sido faladas. No entanto, elas não funcionam dentro de certas aspas (todas as aspas, exceto lu...li'u), pois isso tornaria impossível citar essas palavras. Usar vários si seguidos apaga várias palavras.

Em português, quando você comete um erro ao falar (factual ou gramatical), geralmente não se preocupa em corrigi-lo, mesmo se perceber que cometeu um erro. Isso ocorre porque o português é bastante redundante (por essa mesma razão!). Se percebemos que cometemos um erro em português, rapidamente fornecemos uma correção sem entrar em detalhes sobre quantas palavras devem ser canceladas: o contexto geralmente nos ajuda. Por exemplo:

Estou aprendendo a palavra em inglês, ... er, a palavra em Lojban.

O contexto e o bom senso ditam que palavra em Lojban deve substituir palavra em inglês. Mas e se fosse para substituir Estou aprendendo a palavra em inglês? Normalmente, não nos importaríamos em idiomas naturais.

No entanto, o Lojban permite que você seja mais preciso sobre quais palavras está corrigindo.

si apaga a palavra imediatamente anterior. Se você quiser apagar duas palavras seguidas, diga si si após elas. Em Lojban, a correção acima seria:

.i mi tadni le glico valsi si si lojbo valsi Eu estou aprendendo a palavra em inglês, ... er, a palavra em Lojban.

valsi
é uma palavra com o significado no idioma

O problema com si é que você precisa contar as palavras. Isso pode se tornar tedioso e você não deveria ter que manter um registro das palavras quando quiser corrigir-se.

A outra palavra de correção, sa, é mais útil: sa recebe como argumento a palavra seguinte. Em seguida, o sa exclui palavras anteriores até encontrar a mesma palavra ou uma palavra da mesma classe. Por exemplo:

.i mi tadni le sa .i mi tadni le lojbo valsi Estou aprendendo a... er, estou aprendendo a palavra Lojban. .i mi tadni le lojbo valsi

O argumento de sa é a palavra .i. Portanto, a frase seguinte a sa substitui a frase atual até sa inclusive. Ou considere:

.i mi mrilu fi do de'i li jefydei bu pa sa de'i li jefydei bu re Eu enviei para você na segunda-feira,... er, na terça. Na segunda-feira eu enviei para você,... er, na verdade, era terça-feira. .i mi mrilu fi do de'i li jefydei bu re

A correção é de'i li jefydei bu rena terça-feira. Então o que ele substitui é tudo desde a última relação começando com de'i: de'i li jefydei bu pana segunda-feira.

Lidando com mal-entendidos

— .i mi pu zi te vecnu le flokati — .i le flokati ki'a — Eu acabei de comprar um flokati. — Flokati, huh?

ki'a
interjeição de dúvida: confusão sobre algo dito. Huh? O quê?? (confusão), desculpe?

Quando você não entende o que alguém acabou de dizer — seja porque você não entendeu a referência, não conhece a palavra ou a gramática te confundiu — você pode repetir a palavra ou relação que não entendeu e adicionar ki'a como um pedido de esclarecimento. Isso é ainda melhor do que Huh?, porque você pode apontar exatamente o que te fez dizer Huh?

Aqui está um diálogo:

— mi nelci le kalci — ki'a ? — Eu gosto de merda. — O quê???

Observe: Como zo cita qualquer palavra que o segue — qualquer palavra — acontece que zo ki'a não significa zo? Huh? de jeito nenhum, mas sim A palavra ki'a. Para perguntar zo? Huh?, você terá que recorrer a zo zo ki'a.

Inverter «mi» e «do» usando «ra'o»

- mi prami do - go'i ra'o - Eu te amo. - Eu também te amo.

ra'o
interjeição: atualiza o significado do ponto de vista do falante atual

Se alguém diz mi prami do e você responde go'i ra'o, isso inverte os pronomes mi e do para que eles se apliquem do seu ponto de vista. Assim, todos os pronomes são reavaliados.

Compare:

- mi prami do - go'i - Eu te amo. - Você ama.

Um simples go'i ainda faz com que mi se refira à pessoa que o usou e do se refira ao ouvinte da pessoa que o disse.

Lição 11. Tópicos mais complicados

Know your first language too

Ao tentar se expressar em Lojban, é importante não torná-lo apenas uma cópia do português.

Considere a frase:

Terry, o tigre, visita a cidade grande. Pode ser tentador usar a relação

vitke
(convidado) visita (alguém) em

No entanto, a frase visita a cidade grande implica visitar um lugar, e não alguém naquele lugar, o que destaca o fato de que o verbo português visitar pode ter vários significados.

Na verdade, por exemplo, se considerarmos o francês, vemos soluções separadas:

Gostaria de visitar meus amigos.
J'aimerais rendre visite mes amis.

Eu gostaria de visitar esta cidade.
J'aimerais visitou esta cidade.

O francês usa rendre visite ao visitar alguém e visiter ao visitar um lugar.

Em Lojban traduzimos o significado, não apenas palavras.

Compreender as peculiaridades da sua própria língua também é importante ao tentar expressar algo em Lojban.

As soluções para o exemplo acima podem ser:

la .teris. poi tirxu cu klama le barda tcadu Terry, o tigre, chega à cidade grande.

Tirxu
é um tigre

la .teris. poi tirxu cu pa roi klama le barda tcadu Terry, o tigre, uma vez chega à cidade grande.

la .teris. poi tirxu cu pa re'u mo'u klama le barda tcadu Terry, o tigre, chega pela primeira vez na cidade grande.

la .teris. poi tirxu cu co'a klama le barda tcadu Terry, o tigre, parte para a cidade grande.

Quatro significados de ‘você’ em português

Já vimos dois pronomes pessoais, mi (eu ou me) e do (você). No entanto, você e vocês em português pode ter vários significados, que são traduzidos para o Lojban de maneiras específicas:

  • você como a pessoa com quem estou falando:

le pa do
você um

Sabemos que le re prenu significa as duas pessoas. Também é possível colocar números depois de le e antes dos pronomes.

  • vocês como todas as pessoas com quem estou falando:

ro do
cada um de vocês, todos vocês

Também é possível usar números com ko:

ro ko klama ti
Todos vocês, venham aqui.

  • vocês como um número específico de pessoas com quem estou falando:

le re do
vocês dois

Por exemplo, alguém pode começar e-mails para seus pais com coi le re do.

Observe que re do significa dois de vocês e re le ci do significa dois de vocês três.

  • você como a pessoa ou pessoas com quem estou falando mais outras pessoas:

do'o
você e outra pessoa

  • você como qualquer pessoa (por exemplo, O dinheiro não pode comprar o amor para você.):

Geralmente é expresso por:

ro da
todos da

ou

ro lo prenu
todas as pessoas

No entanto, muitas vezes você pode omiti-lo completamente ou colocar zo'e nessa posição.

Mais sobre orações relativas curtas

Orações relativas curtas com um pronome após elas podem ser colocadas imediatamente após le:

le gerku pe mi Meu cachorro

Nesses casos, pe pode até ser omitido:

le gerku pe mi le mi gerku Meu cachorro

le mi gerku signifie exactement la même chose que le gerku pe mi.

Assim, "le + argumento + construção de relação" é equivalente a "le + construção de relação + pe + argumento".

Algumas regras:

  • se você quiser usar um argumento convertido de uma relação (por exemplo, com le) ou se for um nome, é aconselhável usar pe e colocá-lo após o argumento: le gerku pe la .alis. (Cachorro da Alice).
  • omitir pe é aceitável apenas ao usar pronomes sem números na frente deles: le do gerku (seu cachorro), mas não le pa do gerku (= le pa do cu gerku = um de vocês é um cachorro).

É muito mais seguro usar pe explicitamente e colocá-lo após o argumento ao qual está ligado: le gerku pe la .alis. e le gerku pe mi são as construções mais intuitivas.

Citação de texto em diferentes idiomas

zoi é uma marca de citação para citar texto não-lojban. Sua sintaxe é zoi X. texto .X, onde X é uma palavra lojban (chamada de palavra delimitadora) que é separada do texto citado por pausas e que não é encontrada no texto escrito ou na sequência fonêmica falada dentro dessa citação. É comum, mas não obrigatório, usar o nome de alguma letra, que corresponde ao nome lojban do idioma sendo citado:

zoi gy. John is a man .gy. cu glico jufra "John is a man" é uma frase em inglês.

glico
é inglês

onde gy. representa glico. Outras escolhas populares de palavras delimitadoras são a própria palavra zoi e uma palavra lojban que sugere o tópico da citação.

Lojban evita estritamente qualquer confusão entre coisas e os nomes das coisas:

zo .bob. cmene la .bob. A-palavra "Bob" é-o-nome-de aquele-chamado Bob.

zo .bob. é a palavra, enquanto la .bob. é a coisa nomeada pela palavra. As palavras qualificadoras curtas la'e e lu'e colocadas antes dos termos convertem de volta e para frente entre referências e seus referentes:

zo .bob. cmene la'e zo .bob. A palavra "Bob" é o nome do referente da palavra "Bob".

lu'e la .bob. cmene la .bob. Um símbolo para Bob é o nome de Bob.

Os dois últimos exemplos significam a mesma coisa. Mas isso é diferente:

la .bob. cu cmene la .bob. Bob é o nome de Bob.

e diz que Bob é tanto o nome quanto a coisa nomeada, uma situação improvável. Pessoas não são nomes.

la'o serve para marcar nomes não-lojban, por exemplo, os nomes binomiais linneanos (como "Homo sapiens"), que são os nomes padronizados internacionalmente para espécies de animais e plantas.

Nomes internacionalmente conhecidos que podem ser reconhecidos mais facilmente pela grafia do que pela pronúncia, como Goethe, também podem aparecer em texto lojban com la'o:

la'o dy. Goethe .dy. cu me la'o ly. Homo sapiens .ly. Goethe é um Homo sapiens.

No entanto, usar la'o para todos os nomes em vez de adaptá-los ao lojban pode tornar o texto complicado.

Tudo expresso em texto também deve ser expresso em fala e vice-versa. Portanto, não pode haver pontuação que não seja pronunciada. Isso significa que o lojban tem uma ampla variedade de palavras para citar outras palavras. Todos os lojban convertem um texto em um termo de argumento.

lu ... li'u citam apenas texto que seja gramaticalmente correto. Para citar qualquer texto lojban, usamos citações lo'u ... le'u em vez disso.

— xu lo'u je le'u lojbo sumsmi — na ku sumsmi — "je" é um termo? — Não.

ma xe fanva zoi gy.What's up?.gy. la .lojban. Como traduzir "What's up?" para lojban?

Termos internos

Usando be, você pode preencher não apenas slots de relações, mas também adicionar termos modais:

le xatra be de'i li vo cu se mrilu de'i li ze Esta carta, datada do dia 4, é enviada no dia 7

xatra
é uma carta

Uma data marcada com de'i se aplica apenas ao xatra. Compare:

le xatra de'i li vo cu se mrilu de'i li ze A carta no dia 4 é enviada no dia 7 (o que quer que isso signifique)

Sem o be, o termo de'i li vo se aplicaria à relação como um todo, e não ao xatra. O que queremos dizer é que a data anterior se aplica apenas à carta, e a data posterior se aplica ao envio da carta. Isso significa que em le xatra be de'i li vo, a parte de'i li vo (o dia 4, como uma data) se aplica apenas ao argumento le xatra, e não à frase inteira.

Relações compostas em detalhes

A agrupação de termos na gramática Lojban é particularmente importante quando se trata de tanru (relações compostas). A forma como as relações se agrupam em um tanru determina o que esse tanru significa. Por exemplo,

a revista de música ruim

tem duas interpretações em português: uma revista ruim sobre música ou uma revista sobre música ruim. Em Lojban, seu equivalente

le xlali zgike karni

tem apenas a interpretação a revista de música ruim, porque as duas primeiras relações (xlali zgikemúsica ruim) se agrupam primeiro. É importante modificar a agrupação das relações para garantir que o tanru transmita o significado pretendido. Por esse motivo, o Lojban possui alguns mecanismos para fazer com que os tanru se agrupem corretamente.

Em português, usamos colchetes para estruturar o texto. Da mesma forma, para tanru, usamos ke como colchete esquerdo e ke'e como colchete direito.

le xlali ke zgike karni significa a revista ruim de música.

Como você pode ver, separamos xlali do restante do tanru e o aplicamos a todo o tanru. Não há necessidade de ke'e no final do tanru, pois já sabemos que ele termina aqui.

.i mi pu zi te vecnu le xlali ke zgike karni .i to'e zanru la'o gy.Eurythmics.gy. Acabei de comprar uma revista de música ruim. Ela criticou o Eurythmics.

Essa é uma maneira de agrupar os componentes em um tanru. A outra maneira é usar bo em um novo papel. Quando bo aparece entre dois componentes, significa que esses componentes se agrupam mais firmemente do que qualquer outra coisa. Portanto, uma forma alternativa de dizer revista de (música ruim) é...

le xlali zgike bo karni
a revista de música ruim

bo aqui é semelhante ao hífen na tradução em português. Isso significa que zgike bo karni deve ser considerado como uma unidade, à qual se aplica xlali (ruim).

Então bo torna as conexões mais estreitas:

la .doris. e la .alis. o nai bo la .bob. Doris e (ou Alice ou Bob)

ke também pode ser usado com conectivos (embora não com frases; elas têm seu próprio tipo de colchete, tu'e ... tu'u). Então também poderíamos dizer

la .doris. e ke la .alis. o nai la .bob.

Lembre-se de que o colchete direito ke'e muitas vezes pode ser omitido sem alterar o significado (como neste caso).

Conjunções de antecipação também são frequentemente usadas porque podem eliminar a necessidade de colchetes direitos:

ge la .doris. gi go nai la .alis. gi la .bob. Doris e (ou Alice ou Bob)

e

go nai ge la .doris. gi la .alis. gi la .bob. (Ou Doris e Alice) ou Bob

Não há necessidade de bo ou ke com conjunções de antecipação.

«co» para mudar a ordem em relações compostas

Há outra maneira de reestruturar relações compostas.

mi fanva se jibri Eu sou um tradutor profissional

jibri
é um trabalho de

Se eu quisesse dizer que sou um tradutor profissional de português para alemão, poderia usar be e bei:

mi fanva be le dotco bei le glico be'o se jibri Eu sou um tradutor profissional de alemão para inglês.

dotco
é alemão

O fato de ser uma relação composta pode ser rapidamente perdido na fala devido à estrutura complicada da frase. Aqui, podemos usar a palavra co:

co — inverte a relação composta, fazendo com que o componente mais à direita modifique o mais à esquerda em vez do contrário. Qualquer termo de argumento anterior preenche o modificado, qualquer termo de argumento seguinte preenche o modificador.

mi se jibri co fanva le dotco le glico

É a mesma relação que a anterior em Lojban, mas muito mais fácil de entender. Observe que qualquer argumento antes da relação composta preenche se jibri, enquanto qualquer argumento após ela preenche apenas o componente modificador: fanva.

A força pela qual dois componentes são unidos com co é muito fraca - ainda mais fraca do que a relação composta normal sem palavras de agrupamento. Isso garante que, em uma co-construção, o componente mais à esquerda seja sempre o componente sendo modificado, e o componente mais à direita sempre modifica, mesmo que qualquer uma dessas partes seja uma relação composta. Isso torna uma co-construção fácil de entender:

ti pelxu plise co kukte

é lido como ti (pelxu plise) co kukte, que é o mesmo que ti kukte pelxu bo plise. Isso também significa que um ke ... ke'e não pode abranger um co.

Outro exemplo:

mi merko limna co mutce certu Eu sou um nadador americano muito experiente.

merko
é americano (sentido dos EUA)

Aqui está a lista de diferentes tipos de agrupadores em relações compostas, classificados do mais restrito ao mais solto:

  1. bo e ke ... ke'e
  2. conectivos lógicos dentro de relações compostas como je
  3. não usar palavras de agrupamento
  4. co

Terminação explícita de argumentos

A pequena palavra ku pode ser usada no final de um argumento para mostrar explicitamente sua fronteira direita. ku é análogo ao colchete direito na matemática.

tu du le badna ku ui tu du le ui badna Aquela é a banana (yay!)

Ao contrário de:

tu du le badna ui Aquela é a banana (yay, que é uma banana e não algo mais na natureza!)

Evitando a terminação explícita

Outro estilo de fala envolve evitar a terminação. Aqui estão alguns casos comuns:

Eliminação de li'u, a aspas direita:

lu mi prami do li'u cu se cusku la .alis. lu mi prami do li'u se cusku la .alis. lu mi prami do cu se cusku la .alis. "Eu te amo", disse Alice.

li'u pode ser omitido aqui porque não pode haver duas construções de relação principal em uma frase. Portanto, primeiro lemos a parte lu mi prami do, e então quando vemos o cu, percebemos que não podemos continuar essa frase citada. Assumimos que a citação terminou e a frase externa continua. Assim, não há ambiguidade.

Eliminação de ku'o, a borda direita de orações relativas:

le prenu noi mi zgana ke'a ku'o ca tavla le pendo be mi le prenu noi mi zgana ke'a ca tavla le pendo be mi A pessoa que estou observando está conversando com meu amigo.

ku'o pode ser omitido aqui quando a oração relativa que precisamos (mi zgana ke'a) termina em um termo, ke'a neste caso. Após a oração relativa, algo diferente de um termo começa, então a oração relativa não pode ser continuada, e assim sabemos que ela termina com sucesso sem nenhuma palavra explícita de colchete direito.

Um truque semelhante seria sempre colocar ke'a no final da oração relativa:

le prenu noi ke'a melbi ku'o ca tavla le pendo be mi le prenu noi melbi fa ke'a ca tavla le pendo be mi A pessoa que é bonita está conversando com meu amigo.

No entanto, no caso a seguir, a terminação é necessária:

le prenu noi mi zgana ke'a ku'o le pendo be mi ca tavla A pessoa que estou observando está conversando com meu amigo.

porque após a oração relativa mi zgana ke'a, escolhemos colocar outro termo (le pendo be mi) que não pertence à oração relativa atual.

Um truque parcial aqui seria usar ce'e:

le prenu noi mi ke'a zgana ce'e le pendo be mi ca tavla A pessoa que estou observando e meu amigo estão conversando.

Aqui, terminamos a oração relativa com o construto principal de relação zgana. Em seguida, temos a conjunção ce'e e um termo depois (le pendo be mi). Como ce'e só pode unir termos, sabemos que à esquerda de ce'e, temos um termo, que só pode ser a pessoa que estou observando. Portanto, o significado é mantido e nenhuma ambiguidade surge. Observe que ainda precisamos de uma palavra separada, ce'e, nesses casos, então, embora tenhamos eliminado a palavra de colchete direito, ainda tivemos que introduzir algo mais.

mi cinmo le ka badri kei le tcini le ka badri cu se cinmo mi le tcini mi cinmo fi le tcini fe le ka badri mi cinmo le ka badri ce'e le tcini Estou triste com a situação.

mi stidi lo ka citka su'o da kei do mi stidi lo ka ce'u su'o da citka ce'e do Sugiro que você coma alguma coisa.

Como você pode ver, nenhum truque torna o resultado mais curto que o original com kei, então para ser mais conciso, você pode querer usar kei.

Conversão de conjuntos em massas

le prenu cu pa moi le'i pendo be mi ku noi lu'o ke'a ca smaji Ele é o primeiro entre meus amigos que guardam silêncio juntos. A pessoa é a primeira entre o conjunto de meus amigos que agora estão, como uma multidão, em silêncio.

A palavra qualificadora lu'o colocada antes de um argumento converte-o em uma massa composta pelos membros desse argumento. Neste caso, ke'a se refere ao conjunto dos meus amigos le'i pendo be mi e, em seguida, lu'o converte os membros do conjunto em uma massa, a multidão dos meus amigos.

Conjuntos e subconjuntos

Alguns infinitivos podem implicar mais de um ce'u:

le'i prenu cu simxu le ka prami le'i prenu cu simxu le ka ce'u prami ce'u As pessoas se amam.

simxu
membros do conjunto fazem reciprocamente

A relação simxu considera todos os pares possíveis do conjunto especificado no lugar e afirma a relação especificada em .

Se tivermos três pessoas, isso significa que todas elas se amam.

do ce la .alis. ce mi simxu le ka prami do ce la .alis. ce mi simxu le ka ce'u prami ce'u Você, Alice e eu todos nos amamos.

ce
conjunção: une vários argumentos em um conjunto

A conjunção ce mescla argumentos em um conjunto. Assim, do ce la .alis. ce mi pode ser uma forma mais detalhada de le'i prenu do exemplo anterior, quando queremos nomear os membros do conjunto.

le'i ci prenu cu simxa le ka tunba
The three people are all siblings to each other.

No total, afirmamos 6 relações:

  1. Você ama a Alice.
  2. Você me ama.
  3. A Alice me ama.
  4. A Alice ama você.
  5. Eu amo a Alice.
  6. Eu amo você.

Portanto, simxu é uma maneira prática de expressar relações mútuas.

Agora, considere o exemplo:

le'i su'o cmima be le'i prenu cu simxu le ka prami Algumas das pessoas se amam.

cmima
é um membro do conjunto

Neste exemplo, mostramos que um subconjunto das pessoas em questão (um subconjunto de le'i prenu) tem amor mútuo.

Isso nos permite transmitir ideias ainda mais complicadas:

le'i su'o citno cmima be le'i stati prenu cu simxu le ka prami Alguns jovens daqueles indivíduos inteligentes se amam. Alguns membros jovens do conjunto de pessoas inteligentes se amam.

Comunidade Lojban

Junte-se ao 💬 chat ao vivo para obter mais informações.

Dicionário

Contém frases com exemplos de seu possível uso.